Os atos de cri­a­ção das co­mis­sões es­pe­ci­ais pa­ra ana­li­sar o mé­ri­to das re­for­mas da Pre­vi­dên­cia e tra­ba­lhis­ta fo­ram li­dos na ses­são ple­ná­ria des­ta terça-​feira (7) da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos. A lei­tu­ra dos atos é uma exi­gên­cia re­gi­men­tal pa­ra ofi­ci­a­li­zar a cri­a­ção das co­mis­sões. A par­tir daí, os lí­de­res par­ti­dá­ri­os têm até 48 ho­ras pa­ra in­di­ca­rem os re­pre­sen­tan­tes de su­as ban­ca­das pa­ra a com­po­si­ção dos co­le­gi­a­dos.

Agên­cia Brasil/​EBC

Uma das co­mis­sões vai de­ba­ter e ana­li­sar o mé­ri­to da Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) 287, que tra­ta da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia So­ci­al, en­vi­a­da à Câ­ma­ra no fi­nal do ano pas­sa­do pe­lo go­ver­no. A ou­tra co­mis­são vai ana­li­sar as mu­dan­ças na re­for­ma tra­ba­lhis­ta pro­pos­tas no Pro­je­to de Lei do Exe­cu­ti­vo (PL) 6.788/16. Ca­da uma de­las se­rá for­ma­da por 37 de­pu­ta­dos ti­tu­la­res e igual nú­me­ro de su­plen­tes.

Co­mo a dis­tri­bui­ção das va­gas nas co­mis­sões é pro­por­ci­o­nal ao ta­ma­nho das ban­ca­das ou blo­cos par­ti­dá­ri­os, os par­ti­dos que in­te­gram a ba­se go­ver­nis­ta te­rão a am­pla mai­o­ria de in­te­gran­tes tan­to na co­mis­são que vai ana­li­sar a PEC da Pre­vi­dên­cia quan­to na co­mis­são que vai dis­cu­tir a re­for­ma tra­ba­lhis­ta. Os ali­a­dos do go­ver­no fa­rão a in­di­ca­ção de 29 de­pu­ta­dos ti­tu­la­res e igual nú­me­ro de su­plen­tes. As ban­ca­das de opo­si­ção te­rão di­rei­to a oi­to in­di­ca­ções de ti­tu­la­res e oi­to de su­plen­tes.

A ins­ta­la­ção das du­as co­mis­sões e a res­pec­ti­va elei­ção dos pre­si­den­tes e vi­ces de­ve­rá ocor­rer na tar­de de quinta-​feira (9). Os re­la­to­res das du­as pro­pos­tas se­rão in­di­ca­dos pe­los pre­si­den­tes dos co­le­gi­a­dos, me­di­an­te acor­do fir­man­do en­tre os par­ti­dos. Os par­ti­dos já de­fi­ni­ram que ca­be­rá ao de­pu­ta­do Car­los Ma­run (PMDB-​MS) pre­si­dir a co­mis­são que vai cui­dar da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia e a re­la­to­ria fi­ca­rá com o de­pu­ta­do Arthur de Oli­vei­ra Maia (PPS-​BA). Em re­la­ção à re­for­ma tra­ba­lhis­ta, a re­la­to­ria de­ve­rá fi­car com o Ro­gé­rio Ma­ri­nho (PSDB-​RN). A pre­si­dên­cia ain­da não es­tá de­fi­ni­da.

Mais ce­do, ao anun­ci­ar que a lei­tu­ra dos atos se­ria fei­ta ho­je, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, de­pu­ta­do Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), dis­se que a cri­a­ção das co­mis­sões e su­as ins­ta­la­ções nes­ta se­ma­na não irão atra­pa­lhar os de­ba­tes. “Eu acho que a gen­te tem que dis­cu­tir os te­mas. Nin­guém es­tá di­zen­do que vai vo­tar da noi­te pa­ra o dia dois te­mas co­mo es­tes. A gen­te tem que co­me­çar o de­ba­te. Se a gen­te não ins­ta­lar, o de­ba­te vai co­me­çar na quarta-​feira que vem, na me­lhor das hi­pó­te­ses”, dis­se Maia.

Fon­te: Agên­cia Brasil/​EBC

, ,