O Tri­bu­nal Re­gi­o­nal Fe­de­ral da 4ª Re­gião (TRF-​4) ab­sol­veu ape­nas 5 dos 77 con­de­na­dos pe­lo juiz fe­de­ral Sér­gio Mo­ro em qua­se qua­tro anos da Ope­ra­ção La­va Ja­to, in­for­ma O Es­ta­do de S. Pau­lo. A cor­te de se­gun­da ins­tân­cia vai ana­li­sar o pri­mei­ro re­cur­so do ex-​presidente Lu­la con­tra a con­de­na­ção à pe­na de 9 anos e 6 me­ses de pri­são por cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro no pro­ces­so do trí­plex do Gua­ru­já (SP) – pu­ni­ção es­sa im­pos­ta por Mo­ro.

Val­ter Campanato/​Agência Bra­sil


Lula acusa Sérgio Moro de perseguição jurídica

O ín­di­ce de ab­sol­vi­ção na 8ª Tur­ma Cri­mi­nal do TRF-​4, ao ana­li­sar re­cur­sos con­tra o juiz da La­va Ja­to, é de 6,5%. Mes­mo com as re­for­mas das de­ci­sões, 93,5% dos con­de­na­dos não con­se­gui­ram es­ca­par da pe­na de pri­são.

In­te­gran­te da força-​tarefa da ope­ra­ção, o pro­cu­ra­dor da Re­pú­bli­ca Car­los Fer­nan­do dos San­tos Li­ma ava­lia que os nú­me­ros mos­tram a co­e­são en­tre pri­mei­ra e se­gun­da ins­tân­ci­as. “O mais re­le­van­te é o grau de su­ces­so das acu­sa­ções. Co­mo o TRF-​4 é o úl­ti­mo grau de ava­li­a­ção pro­ba­tó­ria, po­de­mos di­zer que o con­ven­ci­men­to das pro­vas le­van­ta­das nas acu­sa­ções é su­pe­ri­or a 90%”, afir­mou Car­los Fer­nan­do ao Es­ta­dão.

Se­gun­do a re­por­ta­gem, 98 de­ci­sões de Mo­ro – um con­de­na­do po­de ter mais de uma sen­ten­ça – fo­ram ana­li­sa­das pe­lo TRF-​4 em 23 re­cur­sos. Fo­ram ab­sol­vi­dos o ex-​tesoureiro do PT João Vac­ca­ri Ne­to (du­as ve­zes), os exe­cu­ti­vos da em­prei­tei­ra OAS Ma­teus Cou­ti­nho de Sá Oli­vei­ra e Fer­nan­do Au­gus­to Stre­mel An­dra­de, o ope­ra­dor An­dré Ca­tão de Mi­ran­da e tam­bém Ma­ria Dir­ce Pe­nas­so, mãe da ope­ra­do­ra Nel­ma Ko­da­ma.

Em­bo­ra te­nha si­do ino­cen­tan­do em du­as ações pe­lo tri­bu­nal re­gi­o­nal fe­de­ral, Vac­ca­ri te­ve a pe­na au­men­ta­da pa­ra 24 anos na ter­cei­ra. Ao re­for­mar a de­ci­são de Mo­ro nos dois pro­ces­sos do ex-​tesoureiro pe­tis­ta, os de­sem­bar­ga­do­res ma­ni­fes­ta­ram que “a exis­tên­cia ex­clu­si­va de de­poi­men­tos” de de­la­to­res não era ca­paz “de sub­si­di­ar a con­de­na­ção”.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

, ,