Em men­sa­gem en­vi­a­da ao Con­gres­so Na­ci­o­nal pa­ra a aber­tu­ra do ano le­gis­la­ti­vo, o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer afir­mou que é “ta­re­fa ur­gen­te” dos par­la­men­ta­res “con­ser­tar” a Pre­vi­dên­cia. O pre­si­den­te não fez qual­quer re­fe­rên­cia à ado­ção de me­di­das de com­ba­te à cor­rup­ção. O tex­to, en­tre­gue pe­lo mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil, Eli­seu Pa­di­lha, ao pre­si­den­te do Con­gres­so, Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB-​CE), foi li­do pe­lo primeiro-​secretário da Me­sa, o de­pu­ta­do Gi­a­co­bo (PR-​PR).

Gil­mar Félix/​Agência Câ­ma­ra


Mensagem do Executivo foi entregue pelo ministro Eliseu Padilha ao presidente do Congresso

“Nos­sas aten­ções es­tão vol­ta­das pa­ra a ta­re­fa ur­gen­te de con­ser­tar a Pre­vi­dên­cia. O atu­al sis­te­ma é so­ci­al­men­te in­jus­to e fi­nan­cei­ra­men­te in­sus­ten­tá­vel. É so­ci­al­men­te in­jus­to por­que trans­fe­re re­cur­sos de quem me­nos tem pa­ra quem me­nos pre­ci­sa, con­cen­tran­do ren­da. É fi­nan­cei­ra­men­te in­sus­ten­tá­vel por­que as con­tas sim­ples­men­te não fe­cham, pon­do em ris­co as apo­sen­ta­do­ri­as de ho­je e de ama­nhã”, afir­mou o pre­si­den­te.

Te­mer res­sal­tou que as con­tas do INSS fe­cha­ram 2017 com um de­fi­cit de R$ 268,8 bi­lhões. “A so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra mostra-​se ca­da vez mais cons­ci­en­te de que a re­for­ma é questão-​chave pa­ra o fu­tu­ro do Bra­sil. A re­for­ma com­ba­te de­si­gual­da­des, pro­te­ge os mais po­bres. Res­pon­de à no­va re­a­li­da­de de­mo­grá­fi­ca de nos­so país e dá sus­ten­ta­bi­li­da­de ao sis­te­ma pre­vi­den­ciá­rio”, de­fen­deu.

Em pro­tes­to con­tra a pro­pos­ta, a opo­si­ção es­ten­deu so­bre o ta­pe­te ver­de do ple­ná­rio, em fren­te à Me­sa, um abaixo-​assinado con­tra a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia. Além de Eu­ní­cio par­ti­ci­pa­ram da ce­rimô­nia os pre­si­den­tes da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, Cár­men Lú­cia, e a procuradora-​geral da Re­pú­bli­ca, Ra­quel Dod­ge, en­tre ou­tras au­to­ri­da­des.

A men­sa­gem do Exe­cu­ti­vo ao Con­gres­so Na­ci­o­nal des­ta­cou in­di­ca­do­res econô­mi­cos con­si­de­ra­dos po­si­ti­vos pe­lo go­ver­no no úl­ti­mo ano, co­mo a bai­xa da in­fla­ção, a que­da da ta­xa Se­lic a 7% ao ano e a que­da do risco-​país. “Fo­ram mais de R$ 42 bi­lhões em in­ves­ti­men­tos e vi­rão mais ain­da em 2018. Um país que vai bem tem con­di­ções de man­ter pro­gra­mas so­ci­ais”, diz o tex­to da men­sa­gem do pre­si­den­te Mi­chel Te­mer, lis­tan­do exe­cu­ções no pro­gra­ma Mi­nha Ca­sa, Mi­nha Vi­da, o re­a­jus­te do Bol­sa Fa­mí­lia e a li­be­ra­ção de re­cur­sos do Fun­do de Ga­ran­tia do Tem­po de Ser­vi­ço (FGTS).

O tex­to fez um ba­lan­ço ain­da das ações de com­ba­te à vi­o­lên­cia, ci­tan­do in­ter­ven­ções da For­ça Na­ci­o­nal e das For­ças Ar­ma­das quan­do ne­ces­sá­rio no Rio de Ja­nei­ro e no Es­pí­ri­to San­to. Na área tra­ba­lhis­ta, a men­sa­gem faz uma de­fe­sa das mu­dan­ças na le­gis­la­ção pro­vo­ca­das pe­la re­for­ma da Con­so­li­da­ção das Leis do Tra­ba­lho (CLT) e no­vas re­gras de ter­cei­ri­za­ção.

“Em no­me do cres­ci­men­to e do bem-​estar do bra­si­lei­ro, atu­a­li­za­mos a le­gis­la­ção tra­ba­lhis­ta. A no­va lei da ter­cei­ri­za­ção dá mais li­ber­da­de de con­tra­ta­ção. A mo­der­ni­za­ção tra­ba­lhis­ta dá mais efi­ci­ên­cia à eco­no­mia, que tam­bém es­tá sen­do des­tra­va­da”, afir­mou Te­mer, no tex­to da men­sa­gem. Por meio da men­sa­gem, o pre­si­den­te ain­da de­fen­deu a re­for­ma tri­bu­tá­ria pa­ra des­tra­var a eco­no­mia por meio da sim­pli­fi­ca­ção tri­bu­tá­ria.

Com in­for­ma­ções da Agên­cia Câ­ma­ra

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,