A pa­ra­li­sa­ção na­ci­o­nal de ca­mi­nho­nei­ros de­fla­gra­da nes­ta segunda-​feira (21) te­ve ade­são da ca­te­go­ria em boa par­te dos es­ta­dos. Se­gun­do ba­lan­ço da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Ca­mi­nho­nei­ros (AB­Cam), hou­ve par­ti­ci­pa­ção em 17 uni­da­des da fe­de­ra­ção. Fo­ram re­a­li­za­das ma­ni­fes­ta­ções di­ver­sas, des­de pon­tos de con­cen­tra­ção de mo­to­ris­tas à in­ter­di­ção de ro­do­vi­as. Já le­van­ta­men­to a Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Fe­de­ral apon­tou mo­bi­li­za­ção mai­or, em 21 es­ta­dos.

An­to­nio Cruz/​Agência Bra­sil


Caminhoneiros ocupam Esplanada dos Ministérios contra a alta no preço dos combustíveis

A AB­Cam não in­for­mou nú­me­ro de pro­fis­si­o­nais que se jun­ta­ram ao mo­vi­men­to. A en­ti­da­de rei­vin­di­ca a isen­ção de PIS, Co­fins e Ci­de so­bre o óleo di­e­sel uti­li­za­do por trans­por­ta­do­res autô­no­mos. A as­so­ci­a­ção tam­bém pro­põe me­di­das de sub­sí­dio à aqui­si­ção de óleo di­e­sel, que po­de­ria ser dar por meio de um sis­te­ma ou pe­la cri­a­ção de um Fun­do de Am­pa­ro ao Trans­por­ta­dor Autô­no­mo.

A ca­te­go­ria ale­ga que os ca­mi­nho­nei­ros vêm so­fren­do com aos au­men­tos su­ces­si­vos no di­e­sel, o que tem ge­ra­do au­men­to de cus­tos pa­ra a ati­vi­da­de de trans­por­te. Se­gun­do a as­so­ci­a­ção, o di­e­sel re­pre­sen­ta 42% dos cus­tos do ne­gó­cio e 43% do pre­ço do com­bus­tí­vel na re­fi­na­ria vem do ICMS, PIS, Co­fins e Ci­de.

Mapa da PRF

A Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Fe­de­ral (PRF) mo­ni­to­ra as in­ter­di­ções de es­tra­das em tem­po re­al. Os es­ta­dos com mais pon­tos de blo­queio de es­tra­das são Pa­ra­ná (20), Bahia (14), Rio de Ja­nei­ro (14), Mi­nas Ge­rais (11) e Goiás (9).

Con­for­me o ma­pa da PRF, o mo­vi­men­to es­tá mais in­ten­so no Su­des­te e Centro-​Oeste. Na Re­gião Nor­te, não fo­ram re­gis­tra­das in­ter­di­ções em Ro­rai­ma, Ama­pá e Acre. Em Rondô­nia e no Ama­zo­nas hou­ve ape­nas um re­gis­tro em ca­da, en­quan­to no Pa­rá hou­ve dois e em To­can­tins, três.

Continuidade

A AB­Cam en­vi­ou um ofí­cio ao go­ver­no fe­ral so­bre as rei­vin­di­ca­ções e, co­mo não te­ve re­tor­no, con­vo­cou a pa­ra­li­sa­ção pa­ra es­ta segunda-​feira. De acor­do com o pre­si­den­te da as­so­ci­a­ção, Jo­sé da Fon­se­ca, o mo­vi­men­to te­ve iní­cio pe­la ma­nhã em três es­ta­dos – São Pau­lo, Rio de Ja­nei­ro e Es­pí­ri­to San­to – e ga­nhou for­ça ao lon­go do dia. Ele cre­di­ta o cres­ci­men­to da ade­são du­ran­te o dia ao anún­cio de no­vo au­men­to nos com­bus­tí­veis pe­la Pe­tro­bras.

Até o iní­cio da noi­te de ho­je, a AB­Cam es­pe­ra­va um po­si­ci­o­na­men­to do go­ver­no fe­de­ral. Se­gun­do Fon­se­ca, se não hou­ver re­tor­no às de­man­das apre­sen­ta­das, a ten­dên­cia é que o mo­vi­men­to con­ti­nue e pos­sa, in­clu­si­ve, se in­ten­si­fi­car.

“As coi­sas es­ta­vam in­do bem, cal­mas. Só que ho­je au­men­tou di­e­sel e ga­so­li­na, e is­so foi con­si­de­ra­do co­mo ato de pro­vo­ca­ção. Em São Pau­lo, há pon­tos em que já quei­ma­ram pneus. Não é is­so que nós que­re­mos, mas o go­ver­no nes­sa mo­ro­si­da­de pa­re­ce que quer ver is­so”, diz Fon­se­ca.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

, ,