Os ca­mi­nho­nei­ros man­têm, pe­lo ter­cei­ro dia con­se­cu­ti­vo, as ma­ni­fes­ta­ções nas prin­ci­pais ro­do­vi­as fe­de­rais do Rio de Ja­nei­ro, con­tra o pre­ço al­to do com­bus­tí­vel. De acor­do com a Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Fe­de­ral, há pe­lo me­nos oi­to pon­tos de pro­tes­to em qua­tro ro­do­vi­as que cor­tam o es­ta­do. Se­gun­do a PRF, os ma­ni­fes­tan­tes es­tão ape­nas nos acos­ta­men­tos das es­tra­das e, por­tan­to, não blo­quei­am as pis­tas.

Agên­cia Bra­sil


Por causa da manifestação, a entrega de combustível nos postos e empresas de ônibus está sendo prejudicada. Com a falta de combustível, algumas empresas de ônibus anunciaram que devem reduzir a frota hoje no estado

Na BR-​101, há dois pon­tos de pro­tes­to: um em Cam­pos, no km 75, e ou­tro em Ita­bo­raí, no km 296. Na BR-​116, são três pon­tos: em Se­ro­pé­di­ca (km 204) e Bar­ra Man­sa (km 276), am­bos na Via Du­tra, e em Gua­pi­mi­rim (km 104), na Rio-​Teresópolis.

Ou­tros pon­tos de ma­ni­fes­ta­ção são: BR-​393 (em Pa­raí­ba do Sul, no km 182, e, em Vol­ta Re­don­da, no km 281) e BR-​465 (em No­va Igua­çu, no km 17). O pro­tes­to co­me­çou no fi­nal­zi­nho da noi­te de do­min­go (20), em to­do o país.

Consequências

Por cau­sa da ma­ni­fes­ta­ção, a en­tre­ga de com­bus­tí­vel nos pos­tos e em­pre­sas de ôni­bus es­tá sen­do pre­ju­di­ca­da. Com a fal­ta de com­bus­tí­vel, al­gu­mas em­pre­sas de ôni­bus anun­ci­a­ram que de­vem re­du­zir a fro­ta ho­je no es­ta­do.

O Ri­oÔ­ni­bus, sin­di­ca­to que re­pre­sen­ta as con­ces­si­o­ná­ri­as de ôni­bus do mu­ni­cí­pio do Rio, in­for­mou que ain­da não há um ba­lan­ço so­bre a cir­cu­la­ção dos co­le­ti­vos nes­ta quarta-​feria, mas que as con­ces­si­o­ná­ri­as que ti­nham es­to­que de com­bus­tí­vel nas su­as ga­ra­gens co­lo­ca­ram as fro­tas nas ru­as. Al­gu­mas que não ti­nham es­to­que es­tão re­cor­ren­do ao abas­te­ci­men­to em pos­tos de ga­so­li­na co­muns.

A pre­fei­tu­ra di­vul­gou no­ta on­tem acon­se­lhan­do a po­pu­la­ção a re­cor­rer a trans­por­te co­le­ti­vo de mas­sa, que não usam óleo di­e­sel, co­mo o me­trô, os trens e o VLT (bon­de que cir­cu­la no cen­tro da ci­da­de). O Me­trô­Rio, con­ces­si­o­ná­ria que ad­mi­nis­tra o me­trô, re­for­çou as equi­pes nas es­ta­ções pa­ra re­ce­ber um nú­me­ro mai­or de pas­sa­gei­ros.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

, ,