O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer (MDB) su­pe­rou o pró­prio re­cor­de e é o mais im­po­pu­lar da his­tó­ria, apon­ta a no­va pes­qui­sa Da­ta­fo­lha. Nos re­sul­ta­dos apre­sen­ta­dos nes­te do­min­go (10), 82% dos en­tre­vis­ta­dos ava­li­am o go­ver­no Te­mer co­mo ruim ou pés­si­mo, 12 pon­tos a mais que na pes­qui­sa an­te­ri­or, di­vul­ga­da em abril.

Be­to Barata/​Presidência da Re­pú­bli­ca


Pesquisa aponta que 82% dos eleitores considera o governo Temer ruim ou péssimo. Emedebista quebrou o próprio recorde de rejeição, que era de 73%

Na son­da­gem de in­ten­ções de vo­to, o ex-​presidente Lu­la, pre­so há dois me­ses em Cu­ri­ti­ba, se­gue na li­de­ran­ça com 30%. Nos ce­ná­ri­os em que o no­me do pe­tis­ta não é apre­sen­ta­do, 34% dis­se­ram não ter can­di­da­to. O de­pu­ta­do Jair Bol­so­na­ro (PSL-​RJ) é o lí­der nes­te ca­so, com 19%. Ma­ri­na vem em se­gui­da, com 15% da pre­fe­rên­cia dos elei­to­res.

Te­mer, que já era con­si­de­ra­do o pre­si­den­te com pi­o­res ín­di­ces de apro­va­ção des­de a re­de­mo­cra­ti­za­ção, ba­teu o pró­prio re­cor­de após a gre­ve dos ca­mi­nho­nei­ros. Em se­tem­bro do ano pas­sa­do, quan­do te­ve sua pi­or ín­di­ce até o mo­men­to, o go­ver­no do eme­de­bis­ta era con­si­de­ra­do ruim ou pés­si­mo por 73% dos en­tre­vis­ta­dos.

Na úl­ti­ma pes­qui­sa, di­vul­ga­da em abril, Te­mer viu o ín­di­ce apre­sen­tar dis­cre­ta os­ci­la­ção po­si­ti­va, den­tro da mar­gem de er­ro, in­do a 70%. Dois me­ses de­pois, a pes­qui­sa re­gis­tra 82% de ava­li­a­ções “ruim ou pés­si­mo” a ele. Ape­nas 3% con­si­de­ram a ges­tão Te­mer boa ou óti­ma e 14% a ava­li­am co­mo re­gu­lar.

A re­pro­va­ção atu­al de Te­mer su­pe­ra em 11 pon­tos per­cen­tu­ais a pi­or ava­li­a­ção de Dil­ma re­gis­tra­da pe­lo ins­ti­tu­to, que che­gou a 71% em agos­to de 2015.

A pi­or ava­li­a­ção de Te­mer é re­gis­tra­da na re­gião nor­des­te, on­de 87% dos en­tre­vis­ta­dos ava­li­am sua ges­tão co­mo ruim ou pés­si­ma. Nas re­giões sul e su­des­te do país, o ín­di­ce é de 80%.

Corrida presidencial

Ape­sar de já es­tar pre­so há dois me­ses, Lu­la con­ti­nua na li­de­ran­ça na pes­qui­sa dos can­di­da­tos ao Pa­lá­cio do Pla­nal­to. O pe­tis­ta tem 30% das in­ten­ções de vo­to, se­gui­do por Bol­so­na­ro, com 17%, e Ma­ri­na (Re­de), com 10%. Em se­gui­da vêm Ci­ro Go­mes (PDT) e Ge­ral­do Alck­min (PSDB), em­pa­ta­dos com 6% e o se­na­dor Ál­va­ro Di­as, com 4%.

No ce­ná­rio sem o no­me de Lu­la e sem ou­tro can­di­da­to do PT, 34% dos en­tre­vis­ta­dos dis­se­ram não sa­ber em quem vo­tar. A li­de­ran­ça pas­sa a Bol­so­na­ro, que vai a 19%. Ma­ri­na vai a 15% e Ci­ro Go­mes a 11%, em­pa­ta­do tec­ni­ca­men­te com Alck­min, que tem 7%.

Os no­mes de Fer­nan­do Had­dad e Jac­ques Wag­ner, co­ta­dos a “pla­no B” do PT, tam­bém apa­re­cem em ce­ná­ri­os sem Lu­la, mas re­gis­tra­ram ape­nas 1%.

Na si­mu­la­ção pa­ra o se­gun­do tur­no, Lu­la tam­bém ven­ce­ria com fol­ga. Ele te­ria 49% con­tra 27% de Ge­ral­do Alck­min; 46% so­bre os 31% de Ma­ri­na, e 49% con­tra 32% re­gis­tra­dos por Bol­so­na­ro.

O po­der de trans­fe­rên­cia de vo­to do ex-​presidente tam­bém foi tes­ta­do pe­lo Da­ta­fo­lha, e 30% dos elei­to­res en­tre­vis­ta­dos res­pon­de­ram que com cer­te­za vo­ta­ri­am em um can­di­da­to in­di­ca­do por Lu­la. Ou­tros 17% afir­ma­ram que tal­vez vo­tas­sem em um apa­dri­nha­do do pe­tis­ta.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

, ,