O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer (MDB) foi in­di­ci­a­do pe­la Po­lí­cia Fe­de­ral, nes­ta terça-​feira (16), por or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa, cor­rup­ção pas­si­va e la­va­gem de di­nhei­ro no inqué­ri­to so­bre o cha­ma­do “De­cre­to dos Por­tos”. Te­mer é acu­sa­do de in­te­grar es­que­ma de pa­ga­men­to de pro­pi­na pa­ra fa­vo­re­cer a em­pre­sa Ro­dri­mar S/​A, con­ces­si­o­ná­rio do Por­to de San­tos, ao edi­tar o De­cre­to 9.048/2017 em maio do ano pas­sa­do. Ele e mais dez pes­so­as cons­tam do re­la­tó­rio fi­nal que a PF en­tre­gou ao Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) so­bre a in­ves­ti­ga­ção (ve­ja a lis­ta abai­xo). A as­ses­so­ria do Pa­lá­cio do Pla­nal­to ain­da não co­men­tou o in­di­ci­a­men­to ale­gan­do ain­da não ter ti­do aces­so ao re­la­tó­rio fi­nal.

Lu­la Marques/​AGPT


Temer e sua filha Maristela estão entre os investigados

A fi­lha do pre­si­den­te, Ma­ris­te­la Te­mer, es­tá en­tre os in­di­ci­a­dos. Mas, no ca­so de­la, o in­di­ci­a­men­to a en­qua­dra ex­clu­si­va­men­te co­mo sus­pei­ta de la­va­gem de di­nhei­ro. Além dos in­di­ci­a­men­tos, a PF pe­de a pri­são pre­ven­ti­va de João Bap­tis­ta Li­ma Fi­lho, o Co­ro­nel Li­ma, ami­go e braço-​direito de Te­mer em as­sun­tos par­ti­cu­la­res, além de ou­tros três in­ves­ti­ga­dos. Eles es­tão proi­bi­dos de dei­xar o país (con­fi­ra na lis­ta abai­xo) e ti­ve­ram os bens blo­que­a­dos, in­clu­si­ve Te­mer.

O as­sun­to ator­men­ta Te­mer, pa­ren­tes e ali­a­dos há me­ses, e po­de fe­char o cer­co ao pre­si­den­te a par­tir de 1º de ja­nei­ro de 2019, quan­do ele dei­xa o man­da­to e per­de a blin­da­gem do fo­ro pri­vi­le­gi­a­do. O re­la­tó­rio já foi en­ca­mi­nha­do pe­lo mi­nis­tro do STF Luís Ro­ber­to Bar­ro­so, re­la­tor do ca­so, pa­ra a Procuradoria-​Geral da Re­pú­bli­ca (PGR), que tem pra­zo de até 15 di­as pa­ra se ma­ni­fes­tar so­bre as con­clu­sões da PF. Bar­ro­so já ha­via au­to­ri­za­do a pror­ro­ga­ção do tem­po de in­ves­ti­ga­ção por qua­tro ve­zes.

Ini­ci­a­da em 2017 a par­tir de de­la­ção pre­mi­a­da de exe­cu­ti­vos do Gru­po J&F (do­no da JBS), a in­ves­ti­ga­ção se de­bru­çou so­bre a sus­pei­ta de que o de­cre­to de Te­mer – atre­la­do à edi­ção da me­di­da pro­vi­só­ria edi­ta­da em 2013, quan­do Te­mer era vice-​presidente – ser­viu co­mo con­tra­par­ti­da ao re­ce­bi­men­to de pro­pi­na pa­ga pe­la Ro­dri­mar.

A ne­go­ci­a­ta da cha­ma­da “MP dos Por­tos”, se­gun­do as in­ves­ti­ga­ções, foi in­ter­me­di­a­da pe­lo ex-​assessor es­pe­ci­al da Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca Ro­dri­go Ro­cha Lou­res (PMDB), su­plen­te de de­pu­ta­do pe­lo Pa­ra­ná que pas­sou a ser cha­ma­do de “de­pu­ta­do da ma­la”. Além de Te­mer e Ro­cha Lou­res, exe­cu­ti­vos da Ro­dri­mar tam­bém são in­ves­ti­ga­dos.

Em 29 de abril, Lou­res foi fil­ma­do pe­la PF fu­gin­do por uma rua de São Pau­lo com uma ma­la com R$ 500 mil em es­pé­cie e vi­rou réu de­vi­do ao epi­só­dio. Blin­da­do por de­pu­ta­dos da ba­se em du­as vo­ta­ções de ple­ná­rio, Te­mer, a quem foi atri­buí­do o di­nhei­ro, foi be­ne­fi­ci­a­do pe­la le­gis­la­ção vi­gen­te e só po­de ser in­ves­ti­ga­do por ato co­me­ti­do no exer­cí­cio do man­da­to, e mes­mo as­sim com au­to­ri­za­ção da Câ­ma­ra. Com as ne­ga­ti­vas da Câ­ma­ra, a con­ti­nui­da­de do pro­ces­so con­tra o pre­si­den­te só te­rá cur­so quan­do ele dei­xar o man­da­to.

Ro­cha Lou­res foi o prin­ci­pal ar­ti­cu­la­dor do de­cre­to. Ex-​homem de con­fi­an­ça de Te­mer, o ex-​deputado atu­ou co­mo in­ter­me­diá­rio en­tre o pre­si­den­te e em­pre­sas do se­tor por­tuá­rio. Se­gun­do a PF, os eme­de­bis­tas in­te­gram o nú­cleo po­lí­ti­co do es­que­ma de cor­rup­ção e de­vem res­pon­der pe­los três cri­mes (cor­rup­ção, la­va­gem e or­ga­ni­za­ção).

Ami­go de Te­mer há mais de 30 anos, Co­ro­nel Li­ma foi as­ses­sor mi­li­tar do pre­si­den­te quan­do o eme­de­bis­ta foi Se­cre­tá­rio de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca de São Pau­lo, na dé­ca­da de 1980, além de só­cio na em­pre­sa de ar­qui­te­tu­ra e en­ge­nha­ria Ar­ge­plan. Se­gun­do a PF, a fir­ma foi uti­li­za­da co­mo for­ma de dis­far­ce pa­ra o re­ce­bi­men­to de pro­pi­na em es­que­ma que en­vol­veu ou­tro só­cio, Car­los Al­ber­to Cos­ta, em no­me de Te­mer. Car­los tam­bém foi in­di­ci­a­do pe­los três cri­mes.

Além de­les, o fi­lho de Car­los, o di­re­tor da Ar­ge­plan Car­los Al­ber­to Cos­ta Fi­lho, foi in­di­ci­a­do por la­va­gem de di­nhei­ro, bem co­mo o con­ta­dor da em­pre­sa, Al­mir Mar­tins Fer­rei­ra. Já Antô­nio Cel­so Grec­co, só­cio do Gru­po Ro­dri­mar, in­te­grou o es­que­ma e por is­so de­ve res­pon­der por or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa, cor­rup­ção ati­va e la­va­gem de di­nhei­ro.

Ou­tro di­re­tor do Gru­po Ro­dri­mar, Ro­dri­go Mes­qui­ta, foi in­di­ci­a­do por la­va­gem de di­nhei­ro. O nú­cleo em­pre­sa­ri­al do es­que­ma, de acor­do com as in­ves­ti­ga­ções, é Gon­ça­lo Bor­ges Tor­re­al­ba, só­cio do Gru­po Li­bra. Ele foi in­di­ci­a­do por or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa, cor­rup­ção ati­va e la­va­gem de di­nhei­ro.

Reforma

O in­di­ci­a­men­to de Ma­ris­te­la te­ve co­mo prin­ci­pal ele­men­to in­cri­mi­na­tó­rio uma re­for­ma pro­mo­vi­da em sua ca­sa em São Pau­lo, en­tre 2013 e 2015. Com o avan­çar das in­ves­ti­ga­ções, a PF con­se­guiu dos em­pre­sá­ri­os do gru­po J&F a con­fis­são so­bre o re­pas­se de R$ 1 mi­lhão ao Co­ro­nel Li­ma em 2014.

O di­nhei­ro, diz o re­la­tó­rio, era en­tre­gue na se­de da Ar­ge­plan, de pro­pri­e­da­de do co­ro­nel. A ar­qui­te­ta res­pon­sá­vel pe­la obra foi Ma­ria Ri­ta Fra­te­zi, es­po­sa do Co­ro­nel Li­ma – e, co­mo o ma­ri­do, tam­bém in­di­ci­a­da por la­va­gem de di­nhei­ro, mas isen­ta dos ou­tros dois cri­mes.

Di­an­te do con­jun­to pro­ba­tó­rio, o re­la­tó­rio da PF apon­ta a prá­ti­ca dos cri­mes de cor­rup­ção pas­si­va (ar­ti­go 317 do Có­di­go Pe­nal), cor­rup­ção ati­va (ar­ti­go 333 do CP), la­va­gem de di­nhei­ro (ar­ti­go 1º da Lei nº 9.613/1998) e or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa (ar­ti­go 1º da Lei nº 12.850/2013). O es­que­ma cri­mi­no­so, se­gun­do as in­ves­ti­ga­ções, foi di­vi­di­do em qua­tro nú­cle­os (po­lí­ti­co, ad­mi­nis­tra­ti­vo, empresarial/​econômico e operacional/​financeiro).

Veja a lista de indiciados:

1. Mi­chel Mi­guel Eli­as Te­mer Lu­lia
2. Ro­dri­go San­tos da Ro­cha Lou­res
3. Antô­nio Cel­so Grec­co
4. Ri­car­do Con­ra­do Mes­qui­ta
5. Gon­ça­lo Bor­ges Tor­re­al­ba
6. João Bap­tis­ta Li­ma Fi­lho
7. Ma­ria Ri­ta Fra­te­zi
8. Car­los Al­ber­to Cos­ta
9. Car­los Al­ber­to Cos­ta Fi­lho
10. Al­mir Mar­tins Fer­rei­ra
11. Ma­ris­te­la de To­le­do Te­mer Lu­lia

Pedidos de prisão:

1. João Bap­tis­ta Li­ma Fi­lho
2. Car­los Al­ber­to Cos­ta
3. Al­mir Mar­tins Fer­rei­ra
4. Ma­ria Ri­ta Fra­te­zi

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,