O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer (MDB) foi às re­des so­ci­ais pa­ra mi­ni­mi­zar os pro­ble­mas de­cor­ren­tes do en­cer­ra­men­to da par­ti­ci­pa­ção de Cu­ba no Pro­gra­ma Mais Mé­di­cos. Em ví­deo vei­cu­la­do em sua con­ta no Twit­ter (ví­deo abai­xo) nes­ta segunda-​feira (26), o eme­de­bis­ta dis­se que seu su­ces­sor, Jair Bol­so­na­ro (PSL), não te­rá pro­ble­mas no se­tor de aten­di­men­to bá­si­co de saú­de – o Con­se­lho Na­ci­o­nal de Se­cre­ta­ri­as Mu­ni­ci­pais de Saú­de es­ti­ma que, com a saí­da de mais de 8 mil mé­di­cos cu­ba­nos do país até o fim do ano, 611 ci­da­des cor­rem o ris­co de fi­car de­sas­sis­ti­das.

Reprodução/​Twitter


Temer chamou Gilberto Occhi para celebrar "rapidez" na substituição dos médicos cubanos no Mais Médicos

“Te­nho a in­for­ma­ção de que mais de oi­to mil e du­zen­tos mé­di­cos já fo­ram se­le­ci­o­na­dos, e es­tão fa­zen­do as in­di­ca­ções pa­ra os mu­ni­cí­pi­os aon­de pre­ten­dem pres­tar es­se ser­vi­ço. Ve­jam que nós não va­mos dei­xar es­se pro­ble­ma pa­ra o pró­xi­mo go­ver­no. Es­ta­mos re­sol­ven­do, nes­te mo­men­to, um pro­ble­ma que an­gus­tia to­da a po­pu­la­ção bra­si­lei­ra, es­pe­ci­al­men­te a po­pu­la­ção dos mu­ni­cí­pi­os bra­si­lei­ros”, dis­cur­sou Te­mer, ao la­do do mi­nis­tro da Saú­de, Gil­ber­to Oc­chi.

Se­gun­do o Mi­nis­té­rio da Saú­de, 97,2% das va­gas aber­tas no no­vo edi­tal já es­tão pre­en­chi­das. A des­pei­to do rá­pi­do pre­en­chi­men­to da ofer­ta de tra­ba­lho, es­ta­tís­ti­cas re­fe­ren­tes à pri­mei­ra fa­se do Pro­gra­ma dão con­ta que um al­to per­cen­tu­al de mé­di­cos bra­si­lei­ros dei­xa­ram seus pos­tos de aten­di­men­to me­nos de um ano de­pois da ade­são.

Ou­tros da­dos re­fle­tem a di­fi­cul­da­de na im­ple­men­ta­ção do Pro­gra­ma ape­nas com mé­di­cos bra­si­lei­ros. Em 2013, ain­da no go­ver­no Dil­ma Rous­seff (PF), in­for­ma­ções pres­ta­das por pre­fei­tu­ras ao Mi­nis­té­rio da Saú­de de­ram con­ta de que cer­ca de 90% dos bra­si­lei­ros ins­cri­tos pa­ra atu­ar em áre­as in­dí­ge­nas de­sis­ti­ram de per­ma­ne­cer nes­sas lo­ca­li­da­des. Nos pri­mei­ros di­as de se­tem­bro da­que­le ano, 127 bra­si­lei­ros pe­di­ram des­li­ga­men­to do Pro­gra­ma.

“Na pró­xi­ma se­ma­na, nós de­ve­re­mos ter uma gran­de quan­ti­da­de de mé­di­cos já in­do pa­ra es­sas ci­da­des. Até a úl­ti­ma sexta-​feira [23], 40 mé­di­cos des­ta nos­sa se­le­ção já se apre­sen­ta­ram e já es­tão tra­ba­lhan­do. A nos­sa ideia é que nos pró­xi­mos di­as mais mé­di­cos pos­sam ir pa­ra es­sas ci­da­des subs­ti­tuir os mé­di­cos cu­ba­nos”, emen­dou o mi­nis­tro Oc­chi, lem­bran­do que os pro­fis­si­o­nais têm o re­gis­tro no Con­se­lho Re­gi­o­nal de Me­di­ci­na.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

, ,