O mi­nis­tro da Eco­no­mia, Pau­lo Gue­des, anun­ci­ou nes­ta terça-​feira (8) que o go­ver­no vai in­cluir o re­gi­me de ca­pi­ta­li­za­ção na pro­pos­ta de re­for­ma da Pre­vi­dên­cia que se­rá en­vi­a­da ao Con­gres­so em fe­ve­rei­ro. Pe­la ca­pi­ta­li­za­ção, que va­le­rá pa­ra quem en­trar no mer­ca­do de tra­ba­lho após a pro­mul­ga­ção da emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal, ca­da tra­ba­lha­dor te­rá de fa­zer uma es­pé­cie de pou­pan­ça pa­ra ga­ran­tir sua apo­sen­ta­do­ria. No atu­al sis­te­ma, os tra­ba­lha­do­res da ati­va fi­nan­ci­am a apo­sen­ta­do­ria dos mais ve­lhos.

Val­ter Campanato/​Agência Bra­sil


O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni , e o da Economia, Paulo Guedes, falam à imprensa após reunião

“Eu acho que um sis­te­ma de ca­pi­ta­li­za­ção, co­mo es­ta­mos de­se­nhan­do, é al­go bas­tan­te mais ro­bus­to, é mais di­fí­cil, o cus­to de tran­si­ção é al­to. Mas es­ta­mos tra­ba­lhan­do pa­ra as fu­tu­ras ge­ra­ções”, afir­mou Gue­des após reu­nião en­cer­ra­da nes­ta noi­te com o mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil, Onyx Lo­ren­zo­ni.

Regras de transição

Na prá­ti­ca o go­ver­no de­sis­tiu de fa­ti­ar a re­for­ma, hi­pó­te­se co­gi­ta­da pe­lo pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro an­tes da pos­se. Além do sis­te­ma de ca­pi­ta­li­za­ção, a re­for­ma de­ve equi­pa­rar as nor­mas da pre­vi­dên­cia pú­bli­ca e pri­va­da, fi­xar ida­de mí­ni­ma pa­ra apo­sen­ta­do­ria e es­ta­be­le­cer re­gras de tran­si­ção. O mi­nis­tro da Eco­no­mia ad­mi­tiu que po­de con­si­de­rar o pe­río­do de 20 anos pa­ra a tran­si­ção, con­for­me pre­vê a pro­pos­ta do ex-​presidente Mi­chel Te­mer.

“Es­ta­mos dis­cu­tin­do tu­do, fa­zen­do as si­mu­la­ções. Es­se sis­te­ma an­ti­go, des­sa for­ma co­mo es­tá, es­tá con­de­na­do. Nós es­ta­mos ten­tan­do sal­var as fu­tu­ras ge­ra­ções. É um mo­vi­men­to du­plo. Pri­mei­ro vo­cê tem que sal­var a Pre­vi­dên­cia que es­tá aí. Mas pa­ra as fu­tu­ras ge­ra­ções que­re­mos cri­ar um no­vo re­gi­me pre­vi­den­ciá­rio e tra­ba­lhis­ta”, afir­mou Gue­des.

Longo prazo

O mi­nis­tro de­ve apre­sen­tar ras­cu­nho da re­for­ma a Bol­so­na­ro na pró­xi­ma semana.“Estamos fa­zen­do pro­je­ções pa­ra que o go­ver­no te­nha to­da a tran­qui­li­da­de e o Con­gres­so tam­bém. O olhar do mi­nis­tro Pau­lo Gue­des é re­sol­ver o pro­ble­ma de ho­je, mas olhar pa­ra o lon­go pra­zo. Que­re­mos que a so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra só vol­te a dis­cu­tir re­for­ma da Pre­vi­dên­cia da­qui a 20 ou 30 anos”, dis­se Onyx.

Na se­ma­na pas­sa­da o pre­si­den­te su­ge­riu, em en­tre­vis­ta ao SBT, que a re­for­ma es­ta­be­le­ça a ida­de mí­ni­ma de 62 anos pa­ra a apo­sen­ta­do­ria dos ho­mens e 57 anos pa­ra as mu­lhe­res, com au­men­to gra­da­ti­vo. “Uma fa­la do pre­si­den­te tem mui­ta for­ça. E o pre­si­den­te Bol­so­na­ro é uma pes­soa que tem uma ca­pa­ci­da­de mui­to gran­de de si­na­li­zar ca­mi­nhos”, afir­mou Onyx.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,