A lí­der do MDB no Se­na­do, Si­mo­ne Te­bet (MS), in­for­mou nes­ta terça-​feira (22) ao se­na­dor Re­nan Ca­lhei­ros (MDB-​AL) que dis­pu­ta­rá, den­tro da ban­ca­da, a in­di­ca­ção do par­ti­do à pre­si­dên­cia da Ca­sa. Em­bo­ra ne­gue pu­bli­ca­men­te a in­ten­ção de vol­tar ao car­go, Re­nan ar­ti­cu­la sua can­di­da­tu­ra nos bastidores.

Ro­ber­to Castello


"Agora estou livre para pedir voto", diz Simone após conversa com Renan

Os dois con­ver­sa­ram por te­le­fo­ne. “Ago­ra es­tou li­vre pa­ra pe­dir vo­to na ban­ca­da. Fal­ta­va ofi­ci­a­li­zar pa­ra ele e o Ro­me­ro Ju­cá [pre­si­den­te da le­gen­da]”, dis­se a se­na­do­ra ao Con­gres­so em Fo­co. Se­gun­do ela, Re­nan re­a­giu com na­tu­ra­li­da­de ao sa­ber de sua in­ten­ção. “Ele não po­de­ria re­a­gir di­fe­ren­te. To­dos têm di­rei­to a in­di­car um no­me. Is­so faz par­te do pro­ces­so”, completou.

Ela con­tou que tam­bém con­ver­sou com o can­di­da­to do PSL à pre­si­dên­cia do Se­na­do, o se­na­dor elei­to Ma­jor Olim­pio (SP), mas não re­ve­lou o te­or do diá­lo­go. “Co­mo foi uma con­ver­sa fe­cha­da, pre­fi­ro que ele fa­le”, ale­gou. O Con­gres­so em Fo­co ten­tou con­ta­to com Olim­pio, mas ele não aten­deu a ligação.

Sem firula

Si­mo­ne Te­bet dis­se que não há qual­quer chan­ce de re­ti­rar sua can­di­da­tu­ra, que se­rá sub­me­ti­da aos co­le­gas em reu­nião da ban­ca­da no pró­xi­mo dia 29. “Não exis­te a pos­si­bi­li­da­de de re­ti­ra­da. Sou can­di­da­ta pa­ra ga­nhar den­tro da ban­ca­da. Não sou de fa­zer fi­ru­la”, afirmou.

A se­na­do­ra afir­mou que só de­ci­diu se lan­çar à dis­pu­ta por­que foi pro­cu­ra­da por co­le­gas do MDB e de ou­tros par­ti­dos que ma­ni­fes­ta­ram de­se­jo de que ela con­cor­res­se. “Não sou can­di­da­ta de mim. Se me lan­cei, é por­que al­guns co­le­gas se ma­ni­fes­ta­ram nes­se sen­ti­do”, explicou.

Re­nan se ma­ni­fes­tou no Twit­ter, nes­ta tar­de, so­bre a can­di­da­tu­ra da lí­der da ban­ca­da. “A can­di­da­tu­ra da se­na­do­ra Si­mo­ne Te­bet ro­bus­te­ce o pro­ces­so de­ci­só­rio, e con­so­li­da­rá ain­da mais a união da nos­sa ban­ca­da. O fun­da­men­tal é que che­gue­mos jun­tos ao ple­ná­rio no dia 1 de fe­ve­rei­ro”, escreveu.

Onyx

Si­mo­ne de­mons­trou ir­ri­ta­ção com a pos­tu­ra do DEM. O par­ti­do, que co­man­da três mi­nis­té­ri­os e a Câ­ma­ra, se mo­vi­men­ta pa­ra lan­çar o no­me de Da­vi Al­co­lum­bre (AP), cu­ja can­di­da­tu­ra é ar­ti­cu­la­da pe­lo mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil, Onyx Lo­ren­zo­ni. Se­gun­do a lí­der do MDB, se­na­do­res do DEM já lhe con­fir­ma­ram que pre­fe­rem en­fren­tar Re­nan a ela, por con­si­de­ra­rem mais fá­cil derrotá-lo.

A se­na­do­ra anun­ci­ou on­tem seu in­te­res­se em dis­pu­tar a in­di­ca­ção do par­ti­do. Se­gun­do ela, é pre­ci­so ou­vir as ru­as e se ade­quar aos ven­tos das ur­nas. “É um no­vo tem­po, são no­vos ven­tos. É ho­ra de olhar pa­ra a fren­te e nos rein­ven­tar­mos, sob pe­na de su­cum­bir­mos. Há um cla­mor por re­no­va­ção. Por is­so, co­lo­co a mi­nha can­di­da­tu­ra na ban­ca­da”, justificou.

Em no­vem­bro do ano pas­sa­do, no lan­ça­men­to das no­vas di­re­tri­zes do par­ti­do, a lí­der do MDB afir­mou que os eme­de­bis­tas pre­ci­sam fa­zer au­to­crí­ti­ca. “Pre­ci­sa­mos ter hu­mil­da­de pa­ra re­co­nhe­cer que não so­mos mais a sau­do­sa si­gla de que tan­to nos or­gu­lha­mos. Não é mais as­sim que o po­vo nos en­xer­ga”, disse.

Fon­te: Con­gres­so em Foco

,