O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro re­co­nhe­ceu nes­ta quarta-​feira (23) o de­pu­ta­do Ju­an Guai­dó, de 35 anos, co­mo pre­si­den­te in­te­ri­no da Ve­ne­zu­e­la e pro­me­teu apoio po­lí­ti­co e econô­mi­co pa­ra que “a de­mo­cra­cia e a paz so­ci­al vol­tem” ao país. O anún­cio foi fei­to por Bol­so­na­ro pe­las re­des so­ci­ais di­re­ta­men­te de Da­vos, na Suí­ça, on­de par­ti­ci­pa do Fó­rum Econô­mi­co Mun­di­al. Ele se­guiu o mes­mo po­si­ci­o­na­men­to do pre­si­den­te norte-​americano, Do­nald Trump.

Mi­guel Gutiérrez/​EFE


Juan Guaidó é engenheiro, tem 35 anos e preside a Assembleia Nacional, o Parlamento venezuelano

“O se­nhor Ju­an Guai­dó, pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal ve­ne­zu­e­la­na, as­su­miu ho­je, 23/​01, as fun­ções de pre­si­den­te en­car­re­ga­do da Ve­ne­zu­e­la, de acor­do com a Cons­ti­tui­ção da­que­le país, tal co­mo ava­li­za­do pe­lo Tri­bu­nal Su­pre­mo de Jus­ti­ça (TSJ). O Bra­sil re­co­nhe­ce o se­nhor Ju­an Guai­dó co­mo pre­si­den­te en­car­re­ga­do da Ve­ne­zu­e­la. O Bra­sil apoi­a­rá po­lí­ti­ca e eco­no­mi­ca­men­te o pro­ces­so de tran­si­ção pa­ra que a de­mo­cra­cia e a paz so­ci­al vol­tem à Ve­ne­zu­e­la”, es­cre­veu Bol­so­na­ro.

Trump ha­via se ma­ni­fes­ta­do no mes­mo sen­ti­do: “Os ci­da­dãos da Ve­ne­zu­e­la so­fre­ram mui­to tem­po nas mãos do re­gi­me ile­gí­ti­mo de Ma­du­ro”. O pre­si­den­te Ni­co­lás Ma­du­ro foi re­e­lei­to em uma elei­ção cer­ca­da de sus­pei­tas de frau­de, se­gun­do seus opo­si­to­res. O atu­al man­da­to, ini­ci­a­do em 10 de ja­nei­ro, es­tá pre­vis­to até 2025.

Além do Bra­sil e dos Es­ta­dos Uni­dos, tam­bém re­co­nhe­ce­ram Guai­dó co­mo pre­si­den­te da Ve­ne­zu­e­la, até o mo­men­to, os se­guin­tes paí­ses: Ar­gen­ti­na, Pa­ra­guai, Colôm­bia e Ca­na­dá.

Manifestações

Ma­ni­fes­tan­tes saí­ram às ru­as de Ca­ra­cas e das prin­ci­pais ci­da­des da Ve­ne­zu­e­la no ter­cei­ro dia de pro­tes­tos con­tra o pre­si­den­te ve­ne­zu­e­la­no, Ni­co­lás Ma­du­ro. A con­vo­ca­ção foi fei­ta por Guai­dó, pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal. Ele se de­cla­rou pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca em exer­cí­cio e ju­rou em no­me de Deus.

Apon­ta­do co­mo prin­ci­pal lí­der da opo­si­ção, Guai­dó fez o ju­ra­men­to comprometendo-​se a as­su­mir o po­der in­te­ri­na­men­te e pro­mo­ver elei­ções ge­rais. O ju­ra­men­to foi fei­to du­ran­te um pro­tes­to con­tra o go­ver­no Ma­du­ro em Ca­ra­cas.

“Ho­je, 23 de ja­nei­ro de 2019, em mi­nha con­di­ção de pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, an­te Deus todo-​poderoso e a Ve­ne­zu­e­la, ju­ro as­su­mir for­mal­men­te as com­pe­tên­ci­as do Exe­cu­ti­vo na­ci­o­nal co­mo pre­si­den­te em exer­cí­cio da Ve­ne­zu­e­la.”

An­tes do ju­ra­men­to, Guai­dó rei­te­rou a pro­mes­sa de anis­tia aos mi­li­ta­res que aban­do­na­rem Ma­du­ro e ape­lou pa­ra que fi­quem “do la­do do po­vo”. Se­gun­do ele, é pre­ci­so re­a­gir à “usur­pa­ção” do po­der por par­te do pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, ins­tau­rar o go­ver­no de tran­si­ção e elei­ções li­vres.

Violência

Nas ru­as, or­ga­ni­za­ções não go­ver­na­men­tais, co­mo Ob­ser­va­tó­rio Ve­ne­zu­e­la­no de Co­ni­ti­vi­da­de So­ci­al (OVCS), de­nun­ci­am vi­o­lên­cia e con­fron­tos en­tre ma­ni­fes­tan­tes e for­ças po­li­ci­ais. Se­gun­do a OVCS, um ado­les­cen­tes de 16 anos foi ba­le­a­do em um dos pro­tes­tos.

“Con­de­na­mos o as­sas­si­na­to do jo­vem Ali­xon Pi­za­ni [16] por fe­ri­men­tos a ba­la du­ran­te uma ma­ni­fes­ta­ção em Ca­tia, Ca­ra­cas”, in­for­mou o OVCS em sua con­ta no Twit­ter.

On­tem hou­ve vá­ri­os pro­tes­tos con­tra Ma­du­ro nas ru­as de Ca­ra­cas e re­gião. Ima­gens di­vul­ga­das pe­las en­ti­da­des ci­vis or­ga­ni­za­das mos­tram em­ba­tes en­tre ma­ni­fes­tan­tes e agen­tes do Es­ta­do, bar­ri­ca­das nas ru­as e uso de co­que­tel Mo­lo­tov.

O porta-​voz da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das (ONU), Farhan Haq, dis­se ho­je que a en­ti­da­de acom­pa­nha de per­to os des­do­bra­men­tos da cri­se na Ve­ne­zu­e­la e as ma­ni­fes­ta­ções. Ele dis­se que a en­ti­da­de re­cha­ça qual­quer ti­po de vi­o­lên­cia e aguar­da pe­lo avan­ço de ne­go­ci­a­ções.

Com in­for­ma­ções da Agên­cia Bra­sil

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,