Com Fo­ram 72 vo­tos fa­vo­rá­veis, dois con­trá­ri­os e três abs­ten­ções, se­na­do­res ele­ge­ram em ple­ná­rio há pou­co a cha­pa úni­ca que con­cor­ria aos car­gos da Me­sa Di­re­to­ra do Se­na­do, pre­si­di­da por Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP). Os par­la­men­ta­res que con­du­zi­rão os tra­ba­lhos na Ca­sa pa­ra o bi­ê­nio 2019-​2020 são: An­to­nio Anas­ta­sia (PSDB-​MG) na 1ª Vice-​Presidência; La­si­er Mar­tins (Podemos-​RS) na 2º Vi­ce; Sér­gio Pe­te­cão (PSD-​AC) na 1ª Se­cre­ta­ria; Edu­ar­do Go­mes (MDB-​TO) na 2ª Se­cre­ta­ria; Flá­vio Bol­so­na­ro (PSL-​RJ) na 3ª Se­cre­ta­ria; e Luis Car­los Hein­ze (PP-​RS) na 4ª Se­cre­ta­ria.

Pe­dro França/​Agência Se­na­do


Mesmo com nome envolvido em invesgitações, Flávio Bolsonaro ganha cadeira na nova Mesa Diretora do Senado

A no­vi­da­de é que ca­da um dos pos­tos de co­man­do se­rá ocu­pa­do por um par­ti­do di­fe­ren­te. Elei­tos na mes­ma cha­pa, os su­plen­tes de se­cre­ta­ria es­co­lhi­dos são os se­na­do­res Mar­cos do Val (PPS-​ES), We­ver­ton (PDT-​MA), Ja­ques Wag­ner (PT-​BA) e Lei­la Bar­ros (PSB-​DF).

Ao in­cluir Flá­vio Bol­so­na­ro en­tre os mem­bros da Me­sa, os co­le­gas se­na­do­res si­na­li­zam a re­la­ti­vi­za­ção das de­nún­ci­as que com­pli­cam o fi­lho do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro (PSL) jun­to ao Mi­nis­té­rio Pú­bli­co do Rio de Ja­nei­ro. En­ro­la­do em in­ves­ti­ga­ção so­bre mo­vi­men­ta­ções fi­nan­cei­ras atí­pi­cas de­tec­ta­das pe­lo Con­se­lho de Con­tro­le de Ati­vi­da­des Fi­nan­cei­ras (Co­af), Flá­vio foi ban­ca­do pe­lo lí­der do PSL no Se­na­do, Ma­jor Olím­pio (SP), e foi brin­da­do com um si­lên­cio unâ­ni­me so­bre o ca­so du­ran­te a es­co­lha de ple­ná­rio nes­ta quarta-​feira (6).

A for­ma­ção do co­le­gi­a­do fi­ca mar­ca­da pe­lo fim da he­ge­mo­nia do MDB, ago­ra ocu­pan­te de pos­to se­cun­dá­rio cu­jo ti­tu­lar tem, en­tre su­as atri­bui­ções, a res­pon­sa­bi­li­da­de de la­vrar atas de ses­sões se­cre­tas (a pró­pria elei­ção pa­ra pre­si­den­te do Se­na­do, a vo­ta­ção de ve­tos e es­co­lha de au­to­ri­da­des).

Fi­ca­ram de fo­ra dos pos­tos da Me­sa os cin­co no­mes do MDB ve­ta­dos por Da­vi Al­co­lum­bre. O pre­si­den­te do Se­na­do se­quer acei­ta con­ce­der o co­man­do de co­mis­sões te­má­ti­cas ao “clu­be dos cin­co”, a mai­o­ria al­vo de de­nún­ci­as de cor­rup­ção.

Não por coin­ci­dên­cia, ca­ci­ques da le­gen­da: Re­nan Ca­lhei­ros (AL), der­ro­ta­do por Da­vi Al­co­lum­bre, Ja­der Bar­ba­lho (PA), Edu­ar­do Bra­ga (AM), Fer­nan­do Be­zer­ra (PE) e Jo­sé Ma­ra­nhão (PB), ali­a­do de Re­nan que pre­si­diu a ses­são de vo­ta­ção se­cre­ta as­sim de­ter­mi­na­da pe­lo pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), mi­nis­tro Di­as Tof­fo­li.

Ago­ra, a dis­pu­ta se­rá pe­lo co­man­do das co­mis­sões te­má­ti­cas, mas a mais im­por­tan­te do Se­na­do, a Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça, de­ve­rá fi­car sob a che­fia de Si­mo­ne Te­bet (MS). A se­na­do­ra, que dá si­nais de que po­de dei­xar o MDB, em um pri­mei­ro mo­men­to foi der­ro­ta­da por Re­nan na es­co­lha in­ter­na da ban­ca­da co­mo no­me do par­ti­do pa­ra dis­pu­tar a Pre­si­dên­cia do Se­na­do. Mas, em seu pri­mei­ro man­da­to, ela sur­pre­en­deu os co­le­gas ao re­nun­ci­ar à dis­pu­ta co­mo can­di­da­ta avul­sa em fa­vor de Da­vi Al­co­lum­bre. A de­ci­são da se­na­do­ra, anun­ci­a­da em ple­ná­rio, foi apon­ta­da co­mo de­ter­mi­nan­te pa­ra a vi­tó­ria do co­le­ga ama­pa­en­se já em pri­mei­ro tur­no.

Os 42 vo­tos con­quis­ta­dos por Al­co­lum­bre (um a mais que o ne­ces­sá­rio pa­ra dis­pen­sar se­gun­do tur­no) fo­ram o ápi­ce da der­ro­ta de Re­nan, que dis­pa­rou crí­ti­cas con­tra os no­va­tos da Ca­sa e tro­cou in­sul­tos, aos gri­tos, com Tas­so Je­reis­sa­ti (PSDB-​CE). An­tes da de­sis­tên­cia do se­na­dor ve­te­ra­no, que pro­vo­cou uma ex­plo­são de fes­te­jo em ple­ná­rio, es­ta­va em cur­so a dis­pu­ta mais acir­ra­da da his­tó­ria do Se­na­do.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,