No dia em que se com­ple­ta um ano da pri­são do ex-​presidente Lu­la, mi­li­tan­tes saí­ram às ru­as em vá­ri­as par­tes do país pa­ra, de um la­do, pro­tes­tar e, por ou­tro, co­me­mo­rar a da­ta. O do­min­go (7) tam­bém foi mar­ca­do por ma­ni­fes­ta­ções a fa­vor da Ope­ra­ção La­va Ja­to e con­tra o Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, além da de­fe­sa da ins­ta­la­ção cha­ma­da CPI da La­va To­ga, vol­ta­da à in­ves­ti­ga­ção de tri­bu­nais su­pe­ri­o­res, mas que tem si­do bar­ra­da no Se­na­do. Ain­da não se sa­be o nú­me­ro de ci­da­des on­de ocor­re­ram os atos nem quan­tas pes­so­as par­ti­ci­pa­ram.

Reprodução/​Congresso em Fo­co


Atos do Vem pra Rua em São Paulo e do PT em Curitiba

Em Cu­ri­ti­ba, on­de o ex-​presidente cum­pre pe­na a 12 anos de pri­são, li­de­ran­ças pe­tis­tas, mi­li­tan­tes e sim­pa­ti­zan­tes se con­cen­tra­ram em fren­te à Su­pe­rin­ten­dên­cia da Po­lí­cia Fe­de­ral no Pa­ra­ná. Can­di­da­to que subs­ti­tuiu Lu­la de­pois que ele foi bar­ra­do pe­la Lei da Fi­cha Lim­pa, Fer­nan­do Had­dad dis­cur­sou. A ex-​presidente Dil­ma Rous­seff can­ce­lou a par­ti­ci­pa­ção por es­tar com pneu­mo­nia e en­vi­ou uma car­ta, li­da pe­la de­pu­ta­da Be­ne­di­ta da Sil­va (PT-​RJ).

Had­dad dis­se que a pri­são do ex-​presidente fez par­te de uma sé­rie de fa­tos ar­ti­cu­la­dos pe­la “eli­te” con­tra o in­te­res­se na­ci­o­nal des­de as ma­ni­fes­ta­ções de ju­nho de 2013, pas­san­do pe­la con­tes­ta­ção da vi­tó­ria de Dil­ma na elei­ção de 2014 e pe­lo pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment da pe­tis­ta. Ele clas­si­fi­cou o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, que o der­ro­tou no se­gun­do tur­no, co­mo o pi­or pre­si­den­te do país des­de a re­de­mo­cra­ti­za­ção. Os par­ti­ci­pan­tes tam­bém cri­ti­ca­ram o juiz Sér­gio Mo­ro e a força-​tarefa da La­va Ja­to.

A pre­si­den­te do PT, de­pu­ta­da Glei­si Hoff­mann (PR), leu uma car­ta as­si­na­da pe­lo ex-​presidente. “Meus ad­ver­sá­ri­os pro­cu­ram mo­ti­vos pa­ra co­me­mo­rar e não en­con­tram. Es­tão ca­da vez mais ri­cos, mas sua for­tu­na ob­ti­da à cus­ta do so­fri­men­to de mi­lhões de bra­si­lei­ros não lhes traz fe­li­ci­da­de”, es­cre­veu Lu­la. “Eles es­tão ca­da vez mais rai­vo­sos, in­fe­li­zes e en­ve­ne­na­dos pe­lo pró­prio ve­ne­no que des­ti­lam”, emen­dou. O ex-​presidente tam­bém di­vul­gou um ar­ti­go, pu­bli­ca­do pe­la Fo­lha de S.Paulo e re­pro­du­zi­do pe­lo Con­gres­so em Fo­co. Ve­ja o ví­deo gra­va­do em Cu­ri­ti­ba:

Ain­da na ca­pi­tal pa­ra­na­en­se, ma­ni­fes­tan­tes fa­vo­rá­veis à pri­são do ex-​presidente e da Ope­ra­ção La­va Ja­to fi­ze­ram um ato na Bo­ca Mal­di­ta, no cen­tro da ci­da­de. O pro­tes­to ti­nha ini­ci­al­men­te o ob­je­ti­vo de pres­si­o­nar o Su­pre­mo a man­ter o en­ten­di­men­to fa­vo­rá­vel ao cum­pri­men­to da pe­na após con­de­na­ção em se­gun­da ins­tân­cia. Co­mo o Su­pre­mo adi­ou por tem­po in­de­ter­mi­na­do a de­ci­são, a ma­ni­fes­ta­ção pas­sou a ter co­mo fo­co a “lim­pe­za” da pró­pria cor­te.

O pro­tes­to “Vem pra Rua Sal­var a La­va Ja­to” te­ve co­mo prin­ci­pais al­vos a de­fe­sa da pri­são em se­gun­da ins­tân­cia e o im­pe­a­ch­ment do mi­nis­tro Gil­mar Men­des, do STF. Gil­mar é um dos prin­ci­pais crí­ti­cos da ope­ra­ção e já sol­tou di­ver­sos pre­sos. No mês pas­sa­do ele che­gou a fa­lar que par­te dos pro­cu­ra­do­res da força-​tarefa age com “ca­na­lhi­ce” e “pa­ti­fa­ria”. O ato foi or­ga­ni­za­do pe­lo mo­vi­men­to Vem pra Rua, que se des­ta­cou na cam­pa­nha pe­lo im­pe­a­ch­ment de Dil­ma e usa o ver­de e ama­re­lo co­mo iden­ti­da­de vi­su­al.

Em São Pau­lo os mi­li­tan­tes do Vem pra Rua se con­cen­tra­ram na Ave­ni­da Pau­lis­ta e em Bra­sí­lia em fren­te ao Con­gres­so Na­ci­o­nal e ao Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral na Pra­ça dos Três Po­de­res. Hou­ve bate-​boca e empurra-​empurra en­tre mi­li­tan­tes pró e con­tra Lu­la na ca­pi­tal pau­lis­ta.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,