O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro anun­ci­ou nes­ta segunda-​feira (8) a saí­da do mi­nis­tro Ri­car­do Vé­lez Ro­drí­guez do Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção. Em men­sa­gem pu­bli­ca­da no Twit­ter, Bol­so­na­ro in­for­mou que o eco­no­mis­ta e pro­fes­sor Abraham Wein­traub as­su­mi­rá a pas­ta. Com is­so, o pre­si­den­te afas­ta uma dis­pu­ta po­lí­ti­ca pe­lo car­go que se anun­ci­a­va en­tre po­lí­ti­cos, se­gui­do­res do es­cri­tor Ola­vo de Car­va­lho e mi­li­ta­res. Vé­lez foi re­ce­bi­do por vol­ta das 10h no Pa­lá­cio do Pla­nal­to. A de­mis­são de­le era da­da co­mo pra­ti­ca­men­te cer­ta des­de a sex­ta pas­sa­da, quan­do Bol­so­na­ro de­cla­rou à im­pren­sa que a ges­tão de Vé­lez não es­ta­va fun­ci­o­nan­do bem no Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção.

Reprodução/​YouTube


Economista, Abraham Weintraub colabora com Bolsonaro desde a campanha eleitoral

Abraham é secretário-​executivo da Ca­sa Ci­vil, nú­me­ro dois da pas­ta do mi­nis­tro Onyx Lo­ren­zo­ni. Ele e o ir­mão, Arthur Wein­traub, par­ti­ci­pa­ram da cam­pa­nha de Bol­so­na­ro e atu­a­ram no go­ver­no de tran­si­ção. O no­vo mi­nis­tro da Edu­ca­ção co­la­bo­ra­va com o go­ver­no.

Con­for­me mos­trou o Pai­nel do Po­der, do Con­gres­so em Fo­co, o mi­nis­tro Vé­lez era o pi­or ava­li­a­do pe­los par­la­men­ta­res mais in­flu­en­tes da Câ­ma­ra e do Se­na­do.

Bol­so­na­ro re­co­nhe­ceu, em ca­fé da ma­nhã com jor­na­lis­tas na úl­ti­ma sexta-​feira, que a ges­tão no Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção não es­tá fun­ci­o­nan­do e adi­an­tou que te­rá ho­je uma con­ver­sa de­ci­si­va­com o au­xi­li­ar. No fim de se­ma­na, Ola­vo cha­mou o “afi­lha­do” po­lí­ti­co de “trai­ço­ei­ro” e si­na­li­zou apoio à sua even­tu­al de­mis­são.

Vé­lez ha­via afir­ma­do na sexta-​feira que não iria en­tre­gar o car­go e só sai­ria se fos­se de­mi­ti­do. O co­lom­bi­a­no é o se­gun­do mi­nis­tro a cair. O pri­mei­ro ha­via si­do Gus­ta­vo Be­bi­an­no (Secretaria-​Geral da Pre­si­dên­cia), que dei­xou o go­ver­no após en­trar em con­fron­to com Car­los Bol­so­na­ro e, em se­gui­da, com o pró­prio pre­si­den­te.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,