O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro (PSL) dis­se que seu fi­lho Car­los, ve­re­a­dor no Rio pe­lo PSC, ope­ra su­as re­des so­ci­ais e, por tu­do que fez por ele na elei­ção, de­ve­ria ter car­go de mi­nis­tro. Em en­tre­vis­ta à rá­dio Jo­vem Pan na noi­te des­sa segunda-​feira (8), Bol­so­na­ro de­fen­deu o se­gun­do fi­lho, a quem cha­ma de “pit­bull”, das crí­ti­cas de que ele atra­pa­lha­ria seu go­ver­no por cau­sa de atri­tos cons­tan­tes com ali­a­dos.

Jair Bolsonaro/​Instagram


Filho tem sido "porta-voz" de Bolsonaro nas redes sociais

“Ah, o pit­bull? Tá atra­pa­lhan­do o quê? Não me atra­pa­lhou em na­da. Acho até que de­via ter um car­go de mi­nis­tro. Ele que me bo­tou aqui. Foi re­al­men­te a mí­dia de­le que me bo­tou aqui. E ele não tá plei­te­an­do car­go de mi­nis­tro. Po­de­ria botá-​lo, mas não tá plei­te­an­do is­so aí”, dis­se Bol­so­na­ro.

Se­gun­do o pre­si­den­te, mui­tos que­rem afastá-​lo do fi­lho por­que sa­bem da im­por­tân­cia de Car­los pa­ra seu go­ver­no. “Twit­ter, Fa­ce­bo­ok e Ins­ta­gram não to­mam nem 30 mi­nu­tos do dia. Quem re­al­men­te me aju­da nes­sa co­or­de­na­ção é o Car­los Bol­so­na­ro. Por is­so mui­ta gen­te quer afastá-​lo de mim”, afir­mou. O ve­re­a­dor já cau­sou atri­tos nas re­des com o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), e já es­cre­veu que gen­te pró­xi­ma ao pre­si­den­te ti­nha in­ten­ção de matá-​lo pa­ra se be­ne­fi­ci­ar da si­tu­a­ção.

Na cam­pa­nha elei­to­ral Car­los co­or­de­nou as re­des so­ci­ais do pai. Du­ran­te a tran­si­ção de go­ver­no, o pre­si­den­te co­gi­tou nomeá-​lo co­mo mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al. Em meio a crí­ti­cas, Bol­so­na­ro re­cu­ou e man­te­ve a Se­com su­bor­di­na­da à Secretaria-​Geral da Pre­si­dên­cia, sob o co­man­do de Gus­ta­vo Be­bi­an­no. O mi­nis­tro aca­bou dei­xan­do o go­ver­no após que­da de bra­ço com Car­los.

Quan­do sur­gi­ram no­tí­ci­as so­bre sua pos­sí­vel no­me­a­ção, o ve­re­a­dor dis­se que ha­via “mau-​caratismo” ou des­co­nhe­ci­men­to por trás das es­pe­cu­la­ções e que es­ta­va dei­xan­do o con­tro­le das re­des so­ci­ais do pai . “Já fa­lei que não acei­ta­rei mi­nis­té­rio ou se­cre­ta­ria com sta­tus de, mes­mo que tal si­tu­a­ção se­ja per­mi­ti­da por lei. Re­pi­to no­va­men­te e novamente…Sigo meu tra­ba­lho sem pro­ble­ma al­gum no Rio. O res­to das es­pe­cu­la­ções é des­co­nhe­ci­men­to ou mau-​caratismo mes­mo. Fim da his­tó­ria!”, es­cre­veu.

Car­los foi pe­ça de­ci­si­va na que­da de Be­bi­an­no. Ele usou o Twit­ter pa­ra di­zer que o mi­nis­tro ha­via men­ti­do ao de­cla­rar em en­tre­vis­ta que ha­via con­ver­sa­do três ve­zes com Bol­so­na­ro lo­go após o sur­gi­men­to de de­nún­ci­as en­vol­ven­do seu no­me e o es­que­ma de can­di­da­tas la­ran­jas do PSL. Bol­so­na­ro con­fir­mou que não ha­via con­ver­sa­do com o mi­nis­tro e di­vul­gou áu­dio mos­tran­do que ha­via abor­ta­do a ten­ta­ti­va de Be­bi­an­no em fa­lar com ele pe­lo te­le­fo­ne.

Na épo­ca, ele se re­cu­pe­ra­va de uma ci­rur­gia pa­ra a re­cons­ti­tui­ção do in­tes­ti­no, atin­gi­do pe­la fa­ca­da que le­vou du­ran­te a cam­pa­nha elei­to­ral em 6 de agos­to em Juiz de Fo­ra (MG). Mas Be­bi­an­no mos­trou, di­as de­pois, que os dois ha­vi­am tro­ca­do men­sa­gens na oca­sião. O epi­só­dio foi con­si­de­ra­do de­mons­tra­ção de que­bra de con­fi­an­ça pe­lo pre­si­den­te que o de­mi­tiu.

Em en­tre­vis­ta a jor­na­lis­tas na sex­ta, Bol­so­na­ro ad­mi­tiu que não é o úni­co a pu­bli­car em su­as re­des so­ci­ais e dis­se que ape­nas gen­te de sua es­tri­ta con­fi­an­ça tem aces­so à se­nha e au­to­ri­za­ção pa­ra pos­tar em seu no­me.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,