O si­gi­lo nas con­tas da pro­pos­ta da emen­da à Cons­ti­tui­ção da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, do qual o go­ver­no só quer abrir mão quan­do a PEC pas­sar pa­ra a pró­xi­ma eta­pa na Câ­ma­ra - ou se­ja, for apro­va­da na Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça (CCJ) e for ins­ta­la­da a co­mis­são es­pe­ci­al -, pro­me­te ge­rar mais atra­sos em sua tra­mi­ta­ção. A opo­si­ção que adi­ar a vo­ta­ção, agen­da­da pa­ra es­ta terça-​feira (23), sob o ar­gu­men­to de que não é pos­sí­vel vo­tar a cons­ti­tu­ci­o­na­li­da­de de um tex­to sem sa­ber a fun­do os im­pac­tos fis­cais que ele cau­sa.

Gus­ta­vo Lima/​Camara dos De­pu­ta­dos


Líder da oposição na Câmara quer derrubar sigilo de contas da PEC da Previdência

Nes­ta se­gun­da (22), o lí­der da opo­si­ção da Ca­sa, Ales­san­dro Mo­lon (PSB-​RJ), con­tou que irá pro­cu­rar o pre­si­den­te da CCJ, Fe­li­pe Fran­cis­chi­ni (PSL-​PR), pen­din­do que ele can­ce­le a ses­são con­vo­ca­da pa­ra ama­nhã. “Ca­so ele não acei­te, ire­mos apre­sen­tar uma ques­tão de or­dem, por­que não en­con­tra­mos fun­da­men­ta­ção no ar­gu­men­to de que es­ses da­dos [con­ti­dos nas con­tas sob si­gi­lo] são des­ne­ces­sá­ri­os na CCJ”.

O co­le­ga de par­ti­do, de­pu­ta­do Ali­el Ma­cha­do (PR), en­trou com um man­da­do de se­gu­ran­ça no Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) com pe­di­do de li­mi­nar, fa­lan­do em ile­ga­li­da­de da Pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra e re­que­ren­do a sus­pen­são da tra­mi­ta­ção da PEC até que “a CCJ ana­li­se, in­clua em pau­ta, dis­cu­ta e vo­ta a cons­ti­tu­ci­o­na­li­da­de da pro­po­si­ção, em es­pe­ci­al quan­to à in­di­ca­ção de fon­te de cus­teio pa­ra as obri­ga­ções por ela cri­a­das, im­pac­to or­ça­men­tá­rio, e com­pa­ti­bi­li­da­de com o No­vo Re­gi­me Fis­cal”. (Ve­ja a ín­te­gra do man­da­do de se­gu­ran­ça).

Em con­tra­par­ti­da, Mo­lon pro­to­co­lou um pro­je­to de de­cre­to le­gis­la­ti­vo pa­ra sus­tar os efei­tos da ne­ga­ti­va de abrir os da­dos com ba­se na Lei de Aces­so à In­for­ma­ção. “Fi­cam sus­ta­dos, nos ter­mos do in­ci­so V, do ar­ti­go 49, com­bi­na­do com o art. 37 da Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral, os efei­tos dos atos ad­mi­nis­tra­ti­vos que clas­si­fi­ca­ram co­mo si­gi­lo­sos os es­tu­dos e pa­re­ce­res téc­ni­cos que em­ba­sa­ram a Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção nº 6 de 2019”. (Ve­ja a ín­te­gra do PDL).

A no­tí­cia dos da­dos si­gi­lo­sos, re­ve­la­da pe­la Fo­lha de S.Paulo, cau­rou ir­ri­ta­ção tam­bém no Cen­trão, que es­tá des­de se­ma­na pas­sa­da ne­go­ci­an­do um no­vo tex­to pa­ra le­var à vo­ta­ção na CCJ.

“Há dois me­ses eu es­tou di­zen­do a vo­cês que, por oca­sião da co­mis­são es­pe­ci­al, quan­do va­mos dis­cu­tir o mé­ri­to [da pro­pos­ta], nós ire­mos de­co­di­fi­car e re­fi­nar os da­dos. Nós não es­ta­mos ne­gan­do [o aces­so]”, pro­me­teu nes­ta se­gun­da o se­cre­tá­rio da Pre­vi­dên­cia, Ro­gé­rio Ma­ri­nho.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,