A Quin­ta Tur­ma do Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Jus­ti­ça (STJ) de­ci­diu, em jul­ga­men­to na tar­de des­ta terça-​feira (13), re­du­zir a pe­na do ex-​presidente Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va em sua con­de­na­ção no pro­ces­so do trí­plex do Gua­ru­já (SP) pa­ra 8 anos, 10 me­ses e 20 di­as. A de­ci­são foi to­ma­da por una­ni­mi­da­de, com 4 vo­tos a 0. A pe­na an­te­ri­or de Lu­la, que ha­via si­do fi­xa­da pe­lo Tri­bu­nal Re­gi­o­nal Fe­de­ral da 4ª Re­gião (TRF-​4), era de 12 anos e 1 mês.

Reprodução/​STJ


Lula é julgado pela quinta turma do STJ

A de­ci­são abre a pos­si­bi­li­da­de de que o ex-​presidente pro­gri­da pa­ra o re­gi­me se­mi­a­ber­to no fi­nal de se­tem­bro des­te ano. Is­so por­que ele te­rá cum­pri­do um sex­to da no­va pe­na, o que equi­va­le­rá a 1 ano, 5 me­ses e 25 di­as des­de abril de 2018, quan­do foi pre­so. Ou­tros dis­po­si­ti­vos, co­mo a re­du­ção de pe­na pe­la lei­tu­ra, po­dem en­cur­tar ain­da mais es­te pra­zo.

O que po­de in­vi­a­bi­li­zar es­se pa­no­ra­ma, no en­tan­to, é a even­tu­al con­fir­ma­ção, no TRF-​4, da con­de­na­ção de Lu­la em ou­tro pro­ces­so, o do sí­tio de Ati­baia. Em maio des­te ano, Lu­la foi con­de­na­do a mais 12 anos e 11 me­ses de pri­são pe­la juí­za Ga­bri­e­la Hardt, da Jus­ti­ça Fe­de­ral do Pa­ra­ná. Se a pe­na for man­ti­da ou am­pli­a­da, o tem­po ne­ces­sá­rio pa­ra vol­tar ao re­gi­me se­mi­a­ber­to vol­ta a au­men­tar.

e o pro­ces­so de Ati­baia não for jul­ga­do até se­tem­bro, ca­be­rá à juí­za fe­de­ral Ca­ro­li­na Leb­bos (que cui­da da exe­cu­ção pe­nal do pe­tis­ta) de­fi­nir co­mo Lu­la cum­pri­rá o se­mi­a­ber­to. O Pa­ra­ná, no en­tan­to, tem su­per­lo­ta­ção nos es­ta­be­le­ci­men­tos pa­ra es­se ti­po de re­gi­me: se­gun­do o con­tro­le on­li­ne do De­par­ta­men­to Pe­ni­ten­ciá­rio (De­pen) do es­ta­do, já há 271 pre­sos em ex­ces­so nes­tes lo­cais. A ten­dên­cia, por­tan­to, é que o ex-​presidente se­ja li­ber­ta­do com tor­no­ze­lei­ra e ou­tras res­tri­ções que se­rão de­ter­mi­na­das em pri­mei­ra ins­tân­cia.

O julgamento

Pri­mei­ro a vo­tar, Fis­cher (que é re­la­tor da La­va Ja­to no STJ) se ma­ni­fes­tou pe­la ma­nu­ten­ção da con­de­na­ção do pe­tis­ta e re­fu­tou que o ca­so se­ja le­va­do à Jus­ti­ça Elei­to­ral, co­mo pre­ten­dia a de­fe­sa do pe­tis­ta. O re­la­tor, no en­tan­to, se ma­ni­fes­tou pe­la re­du­ção da pe­na de Lu­la (que ho­je é de 12 anos e 1 mês) pa­ra 8 anos, 10 me­ses e 20 di­as.

Fis­cher tam­bém vo­tou por re­du­ção da mul­ta apli­ca­da ao ex-​presidente. Em vo­tos na sequên­cia, os mi­nis­tro Jor­ge Mus­si, Rey­nal­do So­a­res e Mar­ce­lo Na­var­ro con­cor­da­ram com a mes­ma re­du­ção da pe­na.

Tam­bém re­cor­rem da con­de­na­ção o pre­si­den­te do Ins­ti­tu­to Lu­la, Pau­lo Oka­mot­to, além dos ex-​executivos da em­prei­tei­ra OAS Léo Pi­nhei­ro e Age­nor Fran­klin.

Defesa

Em no­ta di­vul­ga­da pe­lo PT, o ad­vo­ga­do Cris­ti­a­no Za­nin Mar­tins, que de­fen­de Lu­la, afir­mou que “pe­lo me­nos um pas­so foi da­do pa­ra de­be­lar os abu­sos pra­ti­ca­dos” con­tra o ex-​presidente. “Pe­la pri­mei­ra vez um Tri­bu­nal re­co­nhe­ceu que as pe­nas apli­ca­das pe­lo ex-​juiz Sér­gio Mo­ro e pe­lo TRF4 fo­ram abu­si­vas. É pou­co. Mas é o iní­cio”, pu­bli­cou Za­nin.

“Es­pe­ra­mos que as ins­tân­ci­as que ain­da irão se ma­ni­fes­tar so­bre o pro­ces­so aju­dem a res­ta­be­le­cer a ple­ni­tu­de do Es­ta­do de Di­rei­to em nos­so país, por­que is­so pres­su­põe a ab­sol­vi­ção de Lu­la e o res­ta­be­le­ci­men­to da sua li­ber­da­de ple­na”, com­ple­tou o ad­vo­ga­do.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

, ,