O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro bar­rou a vei­cu­la­ção de uma cam­pa­nha pu­bli­ci­tá­ria do Ban­co do Bra­sil mar­ca­da pe­la di­ver­si­da­de de ra­ça e es­ti­lo dos ato­res e atri­zes. A pe­ça, de 30 se­gun­dos, ado­ta um tom jo­vi­al pa­ra con­vi­dar o pú­bli­co a abrir con­ta na ins­ti­tui­ção.

Re­pro­du­ção


Comercial com diversidade de atores foi barrado pelo Planalto

Veja o comercial

A in­for­ma­ção foi di­vul­ga­da pe­lo blog de Lau­ro Jar­dim, do jor­nal O Glo­bo, e con­fir­ma­da pe­lo Con­gres­so em Fo­co. A or­dem foi da­da por Bol­so­na­ro di­re­ta­men­te ao pre­si­den­te do ban­co, Ru­bem No­va­es, e o di­re­tor de Co­mu­ni­ca­ção e Mar­ke­ting da Ins­ti­tui­ção, De­la­no Va­len­tim, foi de­mi­ti­do no des­do­bra­men­to do ca­so.

“O pre­si­den­te e eu con­cor­da­mos que o fil­me de­ve­ria ser re­co­lhi­do. Saí­da do di­re­tor em de­ci­são de con­sen­so in­clu­si­ve com acei­ta­ção do pró­prio”, afir­mou Ru­bem No­va­es, por meio da as­ses­so­ria do ban­co. O Pa­lá­cio do Pla­nal­to tam­bém foi pro­cu­ra­do, mas in­for­mou que não vai se ma­ni­fes­tar.

"Brasil não pode ser um país de turismo gay"

Em um ca­fé da ma­nhã com jor­na­lis­tas na ma­nhã des­ta quinta-​feira (25), em Bra­sí­lia, Bol­so­na­ro re­cla­mou da fa­ma de ho­mo­fó­bi­co que te­ria no ex­te­ri­or. “Eu co­me­cei a as­su­mir es­sa pau­ta con­ser­va­do­ra. Es­sa ima­gem de ho­mo­fó­bi­co fi­cou lá fo­ra”, dis­se o pre­si­den­te ao co­men­tar ao Mu­seu de His­tó­ria Na­tu­ral, de No­va Ior­que, em re­a­li­zar um even­to em sua ho­me­na­gem. “O Bra­sil não po­de ser um país do mun­do gay, de tu­ris­mo gay. Te­mos fa­mí­li­as”, com­ple­tou.

Nos 27 anos em que foi de­pu­ta­do fe­de­ral, Bol­so­na­ro co­le­ci­o­nou fa­las po­lê­mi­cas so­bre o pú­bli­co LGBT. Em um dos epi­só­di­os, cha­mou de “pa­lha­ça­da” um pro­je­to de lei que pro­pu­nha a cri­mi­na­li­za­ção da ho­mo­fo­bia. “Tem de ter ca­re­co­fo­bia, fla­men­go­fo­bia, co­rin­ti­a­no­fo­bia, ma­gre­fo­lo­bia. Não é por­que faz se­xo pe­lo ór­gão ex­cre­tor que tem de fa­zer uma lei pa­ra ele”, afir­mou em en­tre­vis­ta à TV Câ­ma­ra. “Ser ho­mos­se­xu­al vi­rou um gran­de ne­gó­cio”, emen­dou.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,