A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos apro­vou, nes­ta terça-​feira (14), a con­vo­ca­ção do mi­nis­tro da Edu­ca­ção, Abraham Wein­traub, pa­ra fa­lar no ple­ná­rio da Câ­ma­ra so­bre os cor­tes or­ça­men­tá­ri­os no en­si­no su­pe­ri­or nes­ta quarta-​feira, às 15h. O re­que­ri­men­to pe­la con­vo­ca­ção – que im­pli­ca obri­ga­ção em com­pa­re­cer – foi apro­va­do por 307 vo­tos a 82. Wein­traub é o pri­mei­ro mi­nis­tro do go­ver­no Bol­so­na­ro a ser con­vo­ca­do a fa­lar em ple­ná­rio. Ape­nas o PSL e o No­vo ori­en­ta­ram vo­to con­trá­rio ao re­que­ri­men­to.

Gaby Faria/​MEC


Weintaub é o primeiro ministro da Educação convocado a falar em plenário

A vo­ta­ção des­te re­que­ri­men­to fi­cou acer­ta­da mais ce­do, na reu­nião de lí­de­res da Ca­sa, após a der­ru­ba­da de du­as Me­di­das Pro­vi­só­ri­as (MPs) que es­ta­vam agen­da­das pa­ra vo­ta­ção nes­ta ter­ça. Por fal­ta de acor­do dos go­ver­nis­tas com a opo­si­ção e o cha­ma­do cen­trão, a vo­ta­ção de to­das as MPs fi­cou pa­ra a se­ma­na que vem.

O go­ver­no tem pre­o­cu­pa­ção es­pe­ci­al­men­te com a MP 870, com a qual o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro mon­tou sua es­tru­tu­ra de go­ver­no. Se es­te tex­to não for vo­ta­do na Câ­ma­ra e no Se­na­do até o dia 3 de ju­nho, ele per­de­rá a va­li­da­de e o Pla­nal­to se­rá for­ça­do a re­de­se­nhar a es­tru­tu­ra do go­ver­no Te­mer, com 29 mi­nis­té­ri­os ao in­vés dos atu­ais 22.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,