Nos Es­ta­dos Uni­dos pa­ra re­ce­ber uma ho­me­na­gem, o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro co­men­tou nes­ta quinta-​feira (16) as in­ves­ti­ga­ções so­bre seu fi­lho mais ve­lho, o se­na­dor Flá­vio Bol­so­na­ro (PSL-​RJ), afir­man­do que a in­ten­ção é pre­ju­di­car o seu go­ver­no.

Mar­cos Corrêa/​PR


O presidente da República, Jair Bolsonaro, fala à imprensa em Dallas, no Texas (EUA)

“Fa­çam jus­ti­ça! Que­rem me atin­gir? Ve­nham pra ci­ma de mim! Que­rem que­brar meu si­gi­lo, eu sei que tem que ter um fa­to, mas eu abro o meu si­gi­lo. Não vão me pe­gar”, afir­mou em Dal­las, no Te­xas.

Ele foi ques­ti­o­na­do so­bre as no­vas in­for­ma­ções em tor­no das in­ves­ti­ga­ções que atin­gem seu fi­lho e dis­pa­rou crí­ti­cas à im­pren­sa e aos go­ver­nos do PT.

O Mi­nis­té­rio Pú­bli­co do Rio de Ja­nei­ro con­si­de­ra ha­ver in­dí­ci­os de pe­cu­la­to, la­va­gem de di­nhei­ro e or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa no ga­bi­ne­te de Flá­vio quan­do de­pu­ta­do es­ta­du­al no Rio en­tre 2007 e 2018.

O MP in­di­ca uma va­lo­ri­za­ção ex­ces­si­va de imó­veis com lu­cros, pe­la ven­da de­les, que che­ga­ram a 292% - ven­di­dos por qua­se o tri­plo do va­lor de com­pra. As in­ves­ti­ga­ções fa­lam, ain­da, que o ga­bi­ne­te do se­na­dor tem ca­rac­te­rís­ti­cas de or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa.

Em no­ta en­vi­a­da ao Con­gres­so em Fo­co, o se­na­dor se dis­se “ví­ti­ma de se­gui­dos e cons­tan­tes va­za­men­tos de in­for­ma­ções” e ne­gou os nú­me­ros ci­ta­dos na ma­té­ria da Ve­ja. “Os va­lo­res in­for­ma­dos são ab­so­lu­ta­men­te fal­sos e não che­gam nem per­to dos va­lo­res re­ais. Sem­pre de­cla­rei to­do meu pa­trimô­nio à Re­cei­ta Fe­de­ral e tu­do é com­pa­tí­vel com a mi­nha ren­da”, res­pon­deu.

Pa­ra o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, os in­ves­ti­ga­do­res co­me­te­ram “ile­ga­li­da­de” com a que­bra de si­gi­lo, e ago­ra bus­cam “dar um ver­niz de le­ga­li­da­de” às apu­ra­ções. “É a jo­ga­di­nha, que­bra­ram o si­gi­lo ban­cá­rio de­le [Flá­vio] des­de o ano pas­sa­do e ago­ra, pa­ra dar um ver­niz de le­ga­li­da­de, que­bra­ram ofi­ci­al­men­te o si­gi­lo de­le. Mais, se eu não me en­ga­no, 93 pes­so­as […] O ob­je­ti­vo, que­rem me atin­gir. Que­brou o si­gi­lo ban­cá­rio des­de o ano pas­sa­do. Is­so aí é ile­ga­li­da­de. O que diz a ju­ris­pru­dên­cia? Eu não sou ad­vo­ga­do, nu­li­da­de de pro­ces­so. Fi­ze­ram aqui­lo pra pre­ju­di­car”.

Bol­so­na­ro afir­mou ain­da há in­sa­tis­fa­ção com seu go­ver­no e, por is­so, per­se­gui­ções. “Des­de o co­me­ço do meu man­da­to o pes­so­al es­tá atrás de mim o tem­po to­do, usan­do a mi­nha fa­mí­lia, que­bram o si­gi­lo de uma ex-​companheira mi­nha, que eu es­tou se­pa­ra­do há 11 anos de­la, que nun­ca foi em­pre­ga­da no ga­bi­ne­te is­so. Por que is­so? Eu me per­gun­to, por que is­so? Qual a in­ten­ção dis­so?”

E ata­cou a im­pren­sa: “Gran­des se­to­res da mí­dia, ao qual vo­cês [re­pór­te­res] in­te­gram, não es­tão sa­tis­fei­tos com o meu go­ver­no que é um go­ver­no de aus­te­ri­da­de, é um go­ver­no de res­pon­sa­bi­li­da­de com o di­nhei­ro pú­bli­co, é um go­ver­no que não vai men­tir e não vai acei­tar ne­go­ci­a­ções, não vai acei­tar con­cha­vos pa­ra aten­der in­te­res­se de quem quer que se­ja. E pon­to fi­nal”, com­ple­tou o pre­si­den­te.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,