De­pu­ta­dos e se­na­do­res da ba­se do go­ver­no e do cha­ma­do Cen­trão - gru­po in­for­mal for­ma­do por DEM, PP, PR, PRB e So­li­da­ri­e­da­de - ten­tam vo­tar, nes­ta terça-​feira (11), o pro­je­to (PLN 4) que abre um cré­di­to ex­tra de R$ 248,9 bi­lhões à equi­pe econô­mi­ca do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, apor­te que o Pla­nal­to tra­ta co­mo fun­da­men­tal pa­ra man­ter o pa­ga­men­to de be­ne­fí­ci­os so­ci­ais.

Ro­que de Sá/​Agência Se­na­do


Sessão conjunta do Congresso na semana passada: deputados e senadores se reunião novamente nesta terça

Cos­tu­ra­do du­ran­te o úl­ti­mo fim de se­ma­na, um acor­do en­tre go­ver­nis­tas e os par­ti­dos de cen­tro de­ve fa­ci­li­tar a apro­va­ção do tex­to na Co­mis­são Mis­ta de Or­ça­men­to (CMO), que ana­li­sa a pro­pos­ta a par­tir das 11h. Se apro­va­do na CMO, po­rém, o pro­je­to ain­da te­rá de pas­sar pe­lo ple­ná­rio do Con­gres­so, em ses­são mar­ca­da pa­ra as 14h.

Nes­sa eta­pa, espera-​se re­sis­tên­cia fer­re­nha da opo­si­ção, que, nes­sa segunda-​feira (10) anun­ci­ou que fa­rá obs­tru­ção de vo­ta­ções im­por­tan­tes pa­ra pres­si­o­nar o mi­nis­tro da Jus­ti­ça e Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, Sér­gio Mo­ro, al­vo de va­za­men­tos de men­sa­gens que su­ge­rem que ele tro­ca­va ori­en­ta­ções e es­tra­té­gi­as com a força-​tarefa da La­va Ja­to na épo­ca em que era o juiz fe­de­ral que con­du­zia a ope­ra­ção.

O re­a­tor do PLN 4 na CMO, de­pu­ta­do Hil­do Ro­cha (MDB-​MA), re­co­nhe­ce que o ca­so Mo­ro dá mais mu­ni­ção à opo­si­ção con­tra o tex­to. “Eles ago­ra vão usar is­so. Acho que sur­giu mais um ar­gu­men­to pa­ra eles bo­ta­rem di­fi­cul­da­de pa­ra apro­var”, ava­li­ou o par­la­men­tar ao Con­gres­so em Fo­co. Além de ar­ti­cu­la­rem me­di­das co­mo uma con­vo­ca­ção de Mo­ro pa­ra dar es­cla­re­ci­men­tos ao Par­la­men­to e um pe­di­do de CPI da La­va Ja­to, li­de­res opo­si­to­res de­fen­dem que o mi­nis­tro se afas­te do car­go pa­ra ser in­ves­ti­ga­do, já que sua pas­ta co­man­da a Po­lí­cia Fe­de­ral (PF).

Programas sociais

A vo­ta­ção do PLN 4 é fun­da­men­tal pa­ra o go­ver­no. Bol­so­na­ro afir­mou pe­lo Twit­ter, no úl­ti­mo fim de se­ma­na, que a apro­va­ção é vi­tal pa­ra a con­ti­nui­da­de de re­pas­ses co­mo o Be­ne­fí­cio de Pres­ta­ção Con­ti­nu­a­da (BPC), pa­go a ido­sos e pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia em mi­se­ra­bi­li­da­de, e do Bol­sa Fa­mí­lia. A União pre­ci­sa do re­cur­so pa­ra hon­rar es­ses com­pro­mis­sos pa­ra sem des­cum­prir a cha­ma­da re­gra de ou­ro, que im­pe­de o en­di­vi­da­men­to pa­ra co­brir des­pe­sas de cus­teio. A equi­pe econô­mi­ca quer ver o tex­to apro­va­do até o pró­xi­mo dia 15, sob o ris­co de não po­der anun­ci­ar o Pla­no Sa­fra - pro­gra­ma que ofe­re­ce li­nhas de cré­di­to es­pe­ci­ais a pro­du­to­res ru­rais - por fal­ta de re­cur­sos.

An­tes que sur­gis­se o ca­so Mo­ro, os opo­si­to­res vi­nham com­ba­ten­do o PLN 4 com o ar­gu­men­to de que o Te­sou­ro Na­ci­o­nal cal­cu­lou a ne­ces­si­da­de de cré­di­to em R$ 146,7 bi­lhões, e não nos R$ 248,9 bi­lhões pe­di­dos no pro­je­to. “Por­tan­to, au­men­tar mais R$ 102 bi­lhões per­mi­ti­rá ao go­ver­no au­men­tar ain­da mais a dí­vi­da pú­bli­ca bra­si­lei­ra, e com is­so au­men­tar a quan­ti­da­de de ju­ros pa­gos. Nós não con­cor­da­mos com is­so”, ex­pli­ca o de­pu­ta­do Car­los Za­rat­ti­ni (PT-​SP).

Nes­sa se­gun­da, o re­la­tor do pro­je­to na CMO si­na­li­zou que po­de au­to­ri­zar, em seu pa­re­cer, ape­nas a cap­ta­ção dos R$ 146,7 bi­lhões pe­di­dos pe­lo Te­sou­ro, e os R$ 102 bi­lhões res­tan­tes se­ri­am re­ma­ne­ja­dos do lu­cro do Ban­co Cen­tral. A pos­si­bi­li­da­de ain­da não es­tá de­fi­ni­da.

Par­la­men­ta­res pró­xi­mos a Bol­so­na­ro e o pró­prio pre­si­den­te têm con­du­zi­do, nos úl­ti­mos di­as, uma cam­pa­nha nas re­des so­ci­ais pe­la apro­va­ção do PLN 4 e ata­ca­do a es­tra­té­gia da es­quer­da. “In­fe­liz­men­te al­gu­mas pes­so­as da opo­si­ção têm fei­to po­lí­ti­ca atra­vés des­se PLN 4, por­que, se ele não for apro­va­do, es­se pes­so­al en­ten­de que o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro vai ter que in­cor­rer em cri­me de res­pon­sa­bi­li­da­de, o que a gen­te sa­be que dá en­se­jo pa­ra im­pe­a­ch­ment”, dis­se o de­pu­ta­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro (PSL-​SP) em um ví­deo di­vul­ga­do no úl­ti­mo do­min­go (9).

Acordo

Se­gun­do Hil­do Ro­cha, o acor­do que go­ver­nis­tas e o Cen­trão fe­cha­ram no úl­ti­mo fim de se­ma­na, pa­ra fa­ci­li­tar a apro­va­ção do tex­to na CMO, pre­vê que Bol­so­na­ro ga­ran­ti­rá re­cur­sos pa­ra o pro­gra­ma Mi­nha Ca­sa, Mi­nha Vi­da e pa­ra obras da trans­po­si­ção do Rio São Fran­cis­co em tro­ca da li­be­ra­ção do cré­di­to.

No ple­ná­rio do Con­gres­so, no en­tan­to, as dis­cus­sões de­vem ser mais ar­ras­ta­das. Além de en­fren­tar o com­ba­te da opo­si­ção, os par­la­men­ta­res te­rão de vo­tar, an­tes do PLN 4, qua­tro ve­tos pre­si­den­ci­ais que ain­da tran­cam a pau­ta con­jun­ta do ple­ná­rio do Con­gres­so. Es­ses tex­tos fi­ca­ram pen­den­tes de apre­ci­a­ção após uma ses­são que ana­li­sou 23 ve­tos, na se­ma­na pas­sa­da, e ter­mi­nou com uma bri­ga en­tre a lí­der do go­ver­no no Con­gres­so, Joi­ce Has­sel­mann (PSL-​SP), e o lí­der do PSL no Se­na­do, Ma­jor Olím­pio (SP).

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,