Aten­den­do a um pe­di­do do se­na­dor Flá­vio Bol­so­na­ro (PSL-​SP), o pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), mi­nis­tro Di­as Tof­fo­li, sus­pen­deu tem­po­ra­ri­a­men­te to­dos os pro­ces­sos ju­di­ci­ais que te­nham co­mo ba­se da­dos si­gi­lo­sos com­par­ti­lha­dos pe­lo Con­se­lho de Con­tro­le de Ati­vi­da­des Fi­nan­cei­ras (Co­af) e pe­la Re­cei­ta Fe­de­ral sem au­to­ri­za­ção pré­via da Jus­ti­ça. A de­ci­são po­de be­ne­fi­ci­ar o fi­lho do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro em in­ves­ti­ga­ções que tra­mi­tam na Jus­ti­ça do Rio de Janeiro.

Fá­bio Ro­dri­gues Pozzebom/​Agência Brasil


Decisão beneficia senador Flávio Bolsonaro

Em 2018, o Co­af apon­tou ope­ra­ções ban­cá­ri­as sus­pei­tas de 74 ser­vi­do­res e ex-​funcionários da As­sem­bleia Le­gis­la­ti­va do Rio de Ja­nei­ro (Alerj). O do­cu­men­to re­ve­lou mo­vi­men­ta­ção atí­pi­ca de R$ 1,2 mi­lhão na con­ta de Fa­brí­cio Quei­roz, que atu­ou co­mo mo­to­ris­ta e as­ses­sor de Flá­vio à épo­ca em que ele era de­pu­ta­do estadual.

Tof­fo­li sus­pen­deu ain­da inqué­ri­tos e pro­ce­di­men­tos de in­ves­ti­ga­ção cri­mi­nais (PICs) em tra­mi­ta­ção tan­to no Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral quan­to nos mi­nis­té­ri­os pú­bli­cos es­ta­du­ais e no Dis­tri­to Fe­de­ral. Ele clas­si­fi­cou co­mo “te­me­rá­ria” a atu­a­ção do MP em ca­sos en­vol­ven­do o com­par­ti­lha­men­to de in­for­ma­ções fis­cais sem a su­per­vi­são da Justiça.

Tof­fo­li é o mi­nis­tro res­pon­sá­vel pe­lo plan­tão no re­ces­so do Ju­di­ciá­rio. Sua de­ci­são foi as­si­na­da na segunda-​feira (15), mas o con­teú­do foi di­vul­ga­do nes­ta terça-​feira (16).

Fon­te: Con­gres­so em Foco

,