Re­for­çan­do as crí­ti­cas do mi­nis­tro do Meio Am­bi­en­te, Ri­car­do Sal­les, aos re­cur­sos do Fun­do Amazô­nia; o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro dis­se nes­te do­min­go (11) que o Bra­sil não pre­ci­sa dos R$ 154,5 mi­lhões que a Ale­ma­nha dei­xou de en­vi­ar pa­ra pro­gra­mas de de­fe­sa am­bi­en­tal no país. As de­cla­ra­ções, con­tu­do, po­dem fa­zer com que o go­ver­no te­nha que apre­sen­tar o re­al or­ça­men­to des­ti­na­do à pre­ser­va­ção da Amazô­nia. É que o vice-​líder do PL na Câ­ma­ra, de­pu­ta­do Mar­ce­lo Ra­mos (AM), vai pro­to­co­lar um pe­di­do pa­ra que o Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te in­for­me a pre­vi­são or­ça­men­tá­ria pre­vis­ta pa­ra com­pen­sar as ações do Fun­do Amazô­nia que es­tão pa­ra­li­sa­das.

Di­da Sam­paio


Para o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, os recursos do Fundo Amazônia são irrisórios. Marcelo Ramos pede, então, que ele diga quanto o governo vai colocar na região

“O mi­nis­tro dis­se que, na opi­nião de­le, o Fun­do Amazô­nia é de um va­lor ir­ri­só­rio e que as po­lí­ti­cas de go­ver­nan­ça pra­ti­ca­das com es­ses re­cur­sos es­tão equi­vo­ca­das. En­tão, na con­di­ção de mi­nis­tro, ele tem o de­ver de di­zer qual a po­lí­ti­ca de go­ver­nan­ça do mi­nis­té­rio em subs­ti­tui­ção ao fun­do e quan­to o Go­ver­no Fe­de­ral es­tá dis­pos­to a co­lo­car pa­ra pro­te­ger a Amazô­nia. Até por­que, se ele acha o va­lor ir­ri­só­rio, ima­gi­no que vá co­lo­car mais”, pro­vo­cou Mar­ce­lo Ra­mos, des­ta­can­do que, na ver­da­de, nos úl­ti­mos anos, a União não tem fei­to in­ves­ti­men­tos ex­pres­si­vos na pre­ser­va­ção da re­gião amazô­ni­ca.

Re­cen­te­men­te, o go­ver­no tem até cri­ti­ca­do os da­dos so­bre des­ma­ta­men­to e a go­ver­nan­ça do Fun­do Amazô­nia, que, nos úl­ti­mos anos re­ce­beu cer­ca de R$ 3,4 bi­lhões da Ale­ma­nha e da No­ru­e­ga. “Ob­vi­a­men­te não são re­cur­sos inex­pres­si­vos. A re­gião pre­ci­sa de­les pa­ra exe­cu­tar pro­je­tos de de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel. E é mai­or do que o go­ver­no co­lo­cou lá”, re­tru­cou Ra­mos, que pro­me­te apre­sen­tar um pe­di­do de in­for­ma­ções ao Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te na pró­xi­ma terça-​feira (13), as­sim que che­gar do Ama­zo­nas em Bra­sí­lia. “Vou fa­zer um ex­pe­di­en­te, com ba­se na Lei de Aces­so à In­for­ma­ção pa­ra que di­gam qual a pre­vi­são de or­ça­men­to pa­ra a go­ver­nan­ça da Amazô­nia”, de­ta­lhou o de­pu­ta­do.

Mar­ce­lo Ra­mos tam­bém cri­ti­cou a pos­tu­ra de Ri­car­do Sal­les na au­di­ên­cia pú­bli­ca re­a­li­za­da na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos na se­ma­na pas­sa­da pa­ra tra­tar do Fun­do Amazô­nia. O mi­nis­tro dei­xou a au­di­ên­cia após bater-​boca com o pre­si­den­te da Fren­te Par­la­men­tar Am­bi­en­ta­lis­ta, de­pu­ta­do Nil­to Tat­to (PT-​SP), que o cha­mou de ‘office-​boy’ do agro­ne­gó­cio. “O mi­nis­tro não fa­lou o que a gen­te es­pe­ra­va”, ava­li­ou Ra­mos.

Os de­pu­ta­dos es­pe­ram, en­tão, uma no­va con­ver­sa com Sal­les so­bre a pre­ser­va­ção da re­gião amazô­ni­ca. Des­ta vez, na Co­mis­são de In­te­gra­ção Na­ci­o­nal, De­sen­vol­vi­men­to Re­gi­o­nal e da Amazô­nia (CINDRA).

Nes­sa oca­sião, o vice-​líder do PL de­ve apre­sen­tar ou­tro plei­to pa­ra o mi­nis­tro: a re­a­ti­va­ção do Cen­tro de Bi­o­tec­no­lo­gia da Amazô­nia (CBA). “O úni­co pas­so da­do nos úl­ti­mos anos no sen­ti­do de fa­zer pes­qui­sas com o ob­je­ti­vo de ter uma ex­plo­ra­ção sus­ten­tá­vel da Amazô­nia foi re­sol­ver a go­ver­nan­ça do Cen­tro de Bi­o­tec­no­lo­gia da Amazô­nia, atra­vés de um pro­ces­so de li­ci­ta­ção que se­le­ci­o­nou um con­sór­cio pa­ra ge­rir o CBA. Mas o atu­al go­ver­no can­ce­lou es­se con­sór­cio por um pre­con­cei­to ide­o­ló­gi­co ab­sur­do. En­tão, a ou­tra me­di­da que a gen­te quer é que o go­ver­no re­sol­va a si­tu­a­ção do CBA”, pe­diu Ra­mos.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,