O pro­je­to de lei que vai pro­por­ci­o­nar a cri­a­ção do Future-​se - pro­gra­ma do Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção que pre­vê no­vas for­mas de fi­nan­ci­a­men­to pa­ra as uni­ver­si­da­des fe­de­rais - nem che­gou ao Con­gres­so e já en­fren­ta re­sis­tên­cia na Câ­ma­ra. De­pu­ta­dos do Nor­te e do Nor­des­te re­cla­mam que o go­ver­no quer uti­li­zar re­cur­sos dos Fun­dos Cons­ti­tu­ci­o­nais de Fi­nan­ci­a­men­to, que ho­je con­tri­bu­em com o de­sen­vol­vi­men­to re­gi­o­nal, pa­ra ban­car par­te do Future-​se. Por is­so, movimentam-​se pa­ra pe­dir que o Exe­cu­ti­vo en­con­tre ou­tras fon­tes de fi­nan­ci­a­men­to pa­ra a edu­ca­ção.

Di­vul­ga­ção


Marcelo Ramos e João Campos questionam o uso de recursos dos Fundos Constitucionais de Financiamento no Future-se

“Nós de­fen­de­mos, mais do que nin­guém, o for­ta­le­ci­men­to do en­si­no su­pe­ri­or. Mas a so­lu­ção pa­ra es­se pro­ble­ma não po­de ser da­da co­lo­can­do o Nor­te e o Nor­des­te pa­ra pa­gar a con­ta”, ar­gu­men­tou o de­pu­ta­do João Cam­pos (PSB-​PE), que vem co­or­de­nan­do es­se mo­vi­men­to jun­to com o de­pu­ta­do Mar­ce­lo Ra­mos (PL-​AM). “So­mos a fa­vor de au­men­tar os re­cur­sos da edu­ca­ção, mas não ti­ran­do dos Fun­dos Cons­ti­tu­ci­o­nais de Fi­nan­ci­a­men­to. E o que o go­ver­no es­tá pro­pon­do é ti­rar 60% dos re­cur­sos dos fun­dos pa­ra is­so. Por is­so, es­ta­mos fa­zen­do um tra­ba­lho pre­ven­ti­vo”, acres­cen­tou Ra­mos.

A ideia é unir as ban­ca­das do Nor­te, do Nor­des­te e tam­bém do Centro-​Oeste, que jun­tas re­pre­sen­tam me­ta­de da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, con­tra es­se pon­to do Future-​se. E as ar­ti­cu­la­ções já co­me­ça­ram. De­pois de dis­cu­ti­rem o as­sun­to na se­ma­na pas­sa­da, João Cam­pos e Mar­ce­lo Ra­mos pre­pa­ram uma no­ta téc­ni­ca so­bre o as­sun­to. As­sim que ti­ve­rem es­se do­cu­men­to em mãos, vão bus­car o apoio e a as­si­na­tu­ra dos co­le­gas de ban­ca­da pa­ra en­tre­gar o ma­te­ri­al ao go­ver­no.

João Cam­pos ex­pli­ca que os Fun­dos Cons­ti­tu­ci­o­nais de Fi­nan­ci­a­men­to do Nor­des­te (FNE), do Nor­te (FNO) e do Centro-​Oeste (FCO) es­tão pre­vis­tos na Cons­ti­tui­ção e, anu­al­men­te, in­je­tam bi­lhões de re­ais no de­sen­vol­vi­men­to re­gi­o­nal. Os fun­dos são ali­men­ta­dos com 3% de tu­do que é ar­re­ca­da­do atra­vés do Im­pos­to de Ren­da (IR) e do Im­pos­to so­bre Pro­du­tos In­dus­tri­a­li­za­dos (IPI). Por is­so, só pa­ra o Nor­des­te li­be­ra­ram R$ 24,3 bi­lhões nes­te ano - re­cur­sos que são fi­nan­ci­a­dos a ju­ros bai­xos pa­ra o se­tor pro­du­ti­vo.

“Há mais de 30 anos os fun­dos vêm ge­ran­do de­sen­vol­vi­men­to e in­clu­são. Mas o go­ver­no quer aca­bar com is­so. O Future-​se quer pe­gar R$ 33 bi­lhões des­se fun­do e o Fun­deb mais R$ 6,5 bi­lhões. É um gran­de ris­co”, re­ve­lou o de­pu­ta­do. Ele ain­da lem­brou que a ideia de “ti­rar di­nhei­ro da re­gião mais po­bre do país pa­ra ban­car a edu­ca­ção” sur­ge lo­go de­pois de o go­ver­no con­tin­gen­ci­ar par­te do or­ça­men­to pre­vis­to pa­ra a edu­ca­ção. “A edu­ca­ção tem que ser va­lo­ri­za­da. Tem que ter mais di­nhei­ro. Mas não des­sa for­ma. Ima­gi­ne só um alu­no es­tu­dan­do em uma es­co­la pú­bli­ca do su­des­te bra­si­lei­ro sen­do ban­ca­do pe­lo fun­do que era do Nor­te e Nor­des­te”, re­cla­mou João Cam­pos.

Pas­ta que te­ve R$ 6 bi­lhões con­tin­gen­ci­a­dos só nes­te ano - va­lor que cor­res­pon­de a um quar­to das des­pe­sas dis­cri­ci­o­ná­ri­as da edu­ca­ção, se­gun­do es­tu­do da Ins­ti­tui­ção Fis­cal In­de­pen­den­te do Se­na­do -, o Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção (MEC) con­fir­ma em seu si­te que gran­de par­te do fun­do pre­vis­to pa­ra o Future-​se se­rá fi­nan­ci­a­do pe­los Fun­dos Cons­ti­tu­ci­o­nais de Fi­nan­ci­a­men­to. Se­gun­do a pá­gi­na cri­a­da pa­ra di­vul­gar o pro­je­to recém-​anunciado pe­lo mi­nis­tro Abraham Wein­traub, dos R$ 100 bi­lhões pre­vis­tos pa­ra o fun­ding, R$ 33 bi­lhões vi­rão dos Fun­dos Cons­ti­tu­ci­o­nais; R$ 17,7 de Leis de In­cen­ti­vos Fis­cais e de­pó­si­tos à vis­ta; R$ 1,2 bi­lhão da Cul­tu­ra e o res­tan­te do pa­trimô­nio da União.

Ain­da no si­te do MEC, o Future-​se re­ce­be su­ges­tões da so­ci­e­da­de ci­vil. Se­gun­do o go­ver­no, a con­sul­ta pú­bli­ca vai até o dia 29 e se­rá le­va­da em con­ta na ela­bo­ra­ção do tex­to fi­nal do pro­je­to de lei que se­rá en­vi­a­do ao Con­gres­so. Na Câ­ma­ra, uma au­di­ên­cia pú­bli­ca tam­bém foi re­a­li­za­da pa­ra dis­cu­tir o as­sun­to. Na oca­sião, as de­pu­ta­das Ali­ce Por­tu­gal (PCdoB-​BA) e Pro­fes­so­ra Ro­sa Nei­de (PT-​MT) re­cla­ma­ram que as ins­ti­tui­ções de en­si­no su­pe­ri­or não fo­ram ou­vi­das na ela­bo­ra­ção do Future-​se e têm me­do de per­der au­to­no­mia ca­so en­trem no fun­do.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,