Após os pro­cu­ra­do­res da Ope­ra­ção La­va Ja­to pe­di­rem pe­la pro­gres­são de pe­na do ex-​presidente Lu­la, que es­tá pre­so em Cu­ri­ti­ba des­de abril de 2018, o ad­vo­ga­do Cris­ti­a­no Za­nin, que de­fen­de a cau­sa pe­tis­ta, se pro­nun­ci­ou con­trá­rio a saí­da de Lu­la da ca­deia pa­ra pri­são do­mi­ci­li­ar. Os pe­tis­tas se­guem con­fi­an­te de que Lu­la re­ce­be­rá um ha­be­as cor­pus ain­da nes­te ano. Mas mes­mo que não quei­ra, Lu­la po­de ser obri­ga­do a dei­xar a se­de da Po­lí­cia Fe­de­ral (PF) pa­ra cum­prir pe­na em ca­sa.

Pau­lo Lopes/​Futura Press/​Estadão Con­teú­do


Lula está preso na sede da PF em Curitiba desde abril de 2018

O Con­gres­so em Fo­co ha­via con­ver­sa­do com a pre­si­den­te do Par­ti­do dos Tra­ba­lha­do­res (PT), Glei­si Hoff­mann, na úl­ti­ma terça-​feira (24), três di­as an­tes do pe­di­do dos pro­cu­ra­do­res vir à to­na, e na oca­sião, a par­la­men­tar dis­se acre­di­tar que o jul­ga­men­to do pe­di­do de ha­be­as cor­pus do ex-​presidente de­ve acon­te­cer no Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) até no­vem­bro e se dis­se con­fi­an­te de que Lu­la sai­rá vi­to­ri­o­so.

“Nós acre­di­ta­mos que o STF vai ava­li­ar o ha­be­as cor­pus num pe­río­do mais cur­to, a gen­te acre­di­ta que en­tre ou­tu­bro e no­vem­bro e acre­di­ta­mos que o STF vai res­ga­tar a jus­ti­ça em re­la­ção a Lu­la”, afir­mou a pre­si­den­te pe­tis­ta no iní­cio da se­ma­na pas­sa­da.

A Quin­ta Tur­ma do Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Jus­ti­ça (STJ) de­ci­diu, em jul­ga­men­to no dia 13 de maio, re­du­zir a pe­na do ex-​presidente Lu­la em sua con­de­na­ção pa­ra 8 anos, 10 me­ses e 20 di­as.

A de­ci­são foi to­ma­da por una­ni­mi­da­de, com 4 vo­tos a 0. A pe­na an­te­ri­or de Lu­la, que ha­via si­do fi­xa­da pe­lo TRF-​4, era de 12 anos e 1 mês.

A de­ci­são abriu a pos­si­bi­li­da­de de que o ex-​presidente pro­gri­da pa­ra o re­gi­me se­mi­a­ber­to des­de a úl­ti­ma segunda-​feira (23). Is­so por­que ele cum­priu um sex­to da no­va pe­na, o que equi­va­le a 1 ano, 5 me­ses e 25 di­as.

Cris­ti­a­no Za­nin Mar­tins, ad­vo­ga­do do pe­tis­ta, emi­tiu no­ta e afir­mou que “o ex-​presidente Lu­la de­ve ter sua li­ber­da­de ple­na res­ta­be­le­ci­da por­que não pra­ti­cou qual­quer cri­me e foi con­de­na­do por meio de um pro­ces­so ile­gí­ti­mo e cor­rom­pi­do por fla­gran­tes nu­li­da­des”. O ad­vo­ga­do afir­mou ain­da que con­ver­sa­rá com Lu­la nes­ta segunda-​feira (30). “Con­ver­sa­re­mos no­va­men­te com Lu­la na pró­xi­ma segunda-​feira so­bre o di­rei­to em ques­tão pa­ra que ele to­me a sua de­ci­são so­bre o as­sun­to”, afir­mou Za­nin em no­ta.

Mas ao con­trá­rio do que afir­mou o ad­vo­ga­do do ex-​presidente, po­de não ca­ber a ele es­sa de­ci­são. Se­gun­do a Lei de Exe­cu­ções Pe­nais (LEP) o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co tem a prer­ro­ga­ti­va de pe­dir pe­la pro­gres­são de re­gi­me. O ar­ti­go 68 da LEP diz que “a con­ver­são de pe­nas, a pro­gres­são ou re­gres­são nos re­gi­mes e a re­vo­ga­ção da sus­pen­são con­di­ci­o­nal da pe­na e do li­vra­men­to con­di­ci­o­nal”.

Por se tra­tar de um di­rei­to sub­je­ti­vo, não ca­be ao réu acei­tar ou não a pro­gres­são. Sen­do as­sim, mes­mo que o ex-​presidente não de­se­je a pri­são do­mi­ci­li­ar, ele po­de ser obri­ga­do a cum­prir. O ar­ti­go 66 da LEP pre­vê ain­da que ca­be ao juiz de exe­cu­ção a de­ci­são. O ca­so de Lu­la es­tá nas mãos da juí­za Ca­ro­li­na Leb­bos.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,