Apre­sen­ta­do no iní­cio do ano co­mo uma das pau­tas pri­o­ri­tá­ri­as do go­ver­no fe­de­ral no cam­po da se­gu­ran­ça pú­bli­ca, o pa­co­te an­ti­cri­me do mi­nis­tro Ser­gio Mo­ro ain­da não des­lan­chou no Con­gres­so. Ao con­trá­rio, tem re­ce­bi­do crí­ti­cas e até der­ro­tas no gru­po de tra­ba­lho que ana­li­sa a ma­té­ria na Câ­ma­ra. Por is­so, vai ga­nhar um re­for­ço do Pla­nal­to: o pa­co­te é o al­vo da no­va cam­pa­nha pu­bli­ci­tá­ria da União, que re­ce­beu um in­ves­ti­men­to de R$ 10 mi­lhões e se­rá lan­ça­da nes­ta quinta-​feira (3).

Ma­ri­na Barbosa/​Congresso em Fo­co


Campanha anticrime conta com painéis na Esplanada dos Ministérios e anúncios nos veículos de comunicação

A es­tra­té­gia pu­bli­ci­tá­ria, cu­jo slo­gan é “Pa­co­te An­ti­cri­me. A lei tem que es­tar aci­ma da im­pu­ni­da­de”, se­rá lan­ça­da em uma ce­rimô­nia que vai reu­nir o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, o mi­nis­tro Ser­gio Mo­ro e in­te­gran­tes da ban­ca­da da ba­la no Pa­lá­cio do Pla­nal­to na ma­nhã des­ta quinta-​feira.

Co­mo adi­an­tou o Con­gres­so em Fo­co, a cam­pa­nha pre­vê a vei­cu­la­ção de anún­ci­os em rá­dio, te­le­vi­são, in­ter­net, ci­ne­ma e mo­bi­liá­ri­os ur­ba­nos. Os pré­di­os da Es­pla­na­da do Mi­nis­té­rio, por exem­plo, já ga­nha­ram “out­do­ors” com di­ze­res co­mo “Pa­co­te an­ti­cri­me. A lei tem que es­tar aci­ma da im­pu­ni­da­de”, “Mais ri­gi­dez no cum­pri­men­to das pe­nas pa­ra cri­mes de cor­rup­ção, rou­bo e pe­cu­la­to”, “Mais tem­po de pri­são em re­gi­me fe­cha­do pa­ra cri­mes he­di­on­dos”.

Os anún­ci­os fi­ca­rão no ar por 28 di­as, até 31 de ou­tu­bro. E, se­gun­do o Pla­nal­to, mos­tram que “a le­gis­la­ção atu­al so­bre a se­gu­ran­ça pú­bli­ca já não aten­de às ne­ces­si­da­des da so­ci­e­da­de e que as al­te­ra­ções pro­pos­tas do Pro­je­to de Lei 882/​2019 vi­sam a con­fe­rir mai­or agi­li­da­de ao com­ba­te à cri­mi­na­li­da­de, às ações pe­nais e à efe­ti­vi­da­de no cum­pri­men­to das pe­nas”.

A cam­pa­nha mi­ra pú­bli­cos di­ver­sos, des­de par­la­men­ta­res, ser­vi­do­res pú­bli­cos, agen­tes de se­gu­ran­ça pú­bli­ca até for­ma­do­res de opi­nião. E, des­sa for­ma, ten­ta me­lho­rar a ima­gem do pa­co­te an­ti­cri­me di­an­te da opi­nião pú­bli­ca. Afi­nal, des­de a mor­te da me­ni­na Ágatha Ch­ris­tie no Rio de Ja­nei­ro, as crí­ti­cas ao pro­je­to de Mo­ro ga­nha­ram for­ça, por con­ta da pos­si­bi­li­da­de de a no­va le­gis­la­ção abran­dar a pe­na im­pos­ta a po­li­ci­ais que co­me­tem cri­mes em si­tu­a­ção de con­fron­to imi­nen­te - o cha­ma­do ex­clu­den­te de ili­ci­tu­de.

Nas pa­la­vras do Pla­nal­to, a ideia “é mos­trar à so­ci­e­da­de a im­por­tân­cia da re­vi­são do ar­ca­bou­ço ju­rí­di­co da se­gu­ran­ça pú­bli­ca e da ade­qua­ção das leis da área à re­a­li­da­de atu­al do país”. Mi­nis­tro da Jus­ti­ça e Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, Ser­gio Mo­ro ar­gu­men­tou que é ne­ces­sá­rio pro­mo­ver o co­nhe­ci­men­to e a re­fle­xão so­bre a im­por­tân­cia da evo­lu­ção das leis na área de se­gu­ran­ça.

“Va­mos pro­mo­ver o de­ba­te e as­se­gu­rar que to­dos os ci­da­dãos sai­bam dos be­ne­fí­ci­os que es­sas mu­dan­ças po­dem tra­zer”, dis­se Mo­ro, des­ta­can­do que o ob­je­ti­vo do pa­co­te an­ti­cri­me é com­ba­ter a cor­rup­ção e me­lho­rar a se­gu­ran­ça pú­bli­ca no país. “Não po­de­mos ter uma po­lí­ti­ca de con­vi­vên­cia pa­cí­fi­ca com es­sas gran­des or­ga­ni­za­ções cri­mi­no­sas e a men­sa­gem mais for­te é aque­la men­sa­gem que po­de vir do go­ver­no e do par­la­men­to, com a apro­va­ção de leis ri­go­ro­sas em re­la­ção a es­sa cri­mi­na­li­da­de”, de­fen­deu o mi­nis­tro.

Pre­si­den­te da ban­ca­da da ba­la e re­la­tor do pa­co­te an­ti­cri­me, o de­pu­ta­do Ca­pi­tão Au­gus­to (PL-​SP) foi con­vi­da­do pa­ra a ce­rimô­nia des­ta quinta-​feira e tem de­fen­di­do a apro­va­ção do pa­co­te an­ti­cri­me na Câ­ma­ra. Ele tem, in­clu­si­ve, se ar­ti­cu­la­do pa­ra ten­tar re­to­mar os pon­tos do pro­je­to que fo­ram der­ru­ba­dos pe­lo gru­po de tra­ba­lho na vo­ta­ção em ple­ná­rio. En­tre es­ses pon­tos es­tão o ex­clu­den­te de ili­ci­tu­de e a pri­são em se­gun­da ins­tân­cia.

Co­mo es­sa vo­ta­ção es­tá se apro­xi­man­do, o de­pu­ta­do acre­di­ta que a cam­pa­nha do Pla­nal­to vem em um mo­men­to opor­tu­no e po­de con­tri­buir pa­ra a apro­va­ção do pa­co­te an­ti­cri­me na Câ­ma­ra. “A pro­pa­gan­da é óti­ma pa­ra a po­pu­la­ção sa­ber que es­tá sen­do pau­ta­do, apoi­ar, co­brar e acom­pa­nhar de per­to seus de­pu­ta­dos”, afir­mou o co­or­de­na­dor da ban­ca­da da ba­la, que mi­ni­mi­zou as crí­ti­cas fei­tas pe­la opo­si­ção ao pro­je­to. “A cam­pa­nha é pa­ra is­so, não é pa­ra re­ver­ter ne­nhu­ma ima­gem ne­ga­ti­va”, ga­ran­tiu o Ca­pi­tão Au­gus­to.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,