Uma di­ri­gen­te do PSL de Mi­nas Ge­rais afir­mou em de­poi­men­to à Po­lí­cia Fe­de­ral que par­te dos gas­tos da cam­pa­nha do atu­al mi­nis­tro do Tu­ris­mo, Mar­ce­lo Ál­va­ro Antô­nio, foi pa­gos dois di­as an­tes da elei­ção, por meio de di­nhei­ro vi­vo, trans­por­ta­do em uma ma­la da gri­fe La­cos­te.

Val­ter Camapanato/​Agência Bra­sil


Ex-presidente do PSL em Minas, Marcelo Álvaro Antônio é acusado por candidata de tê-la chamado para ser candidata-laranja

Vice-​presidente da si­gla em Con­se­lhei­ro La­fai­e­te (MG), Iva­ne­te Ma­ria da Sil­va No­guei­ra fa­lou à PF du­as ve­zes Na úl­ti­ma vez, em 27 de agos­to, ela en­tre­gou do­cu­men­tos de com­pro­va­ção de con­tra­ta­ção de pan­fle­tei­ros e de um sa­lão pa­ra o lan­ça­men­to re­gi­o­nal da cam­pa­nha de Ál­va­ro Antô­nio, que foi o de­pu­ta­do fe­de­ral mais vo­ta­do do es­ta­do. As in­for­ma­ções são da Fo­lha de S.Paulo.

De acor­do com as in­ves­ti­ga­ções, ne­nhum des­ses dois ser­vi­ços fo­ram de­cla­ra­dos à Jus­ti­ça pe­lo par­ti­do ou por Ál­va­ro Antô­nio. Em seu de­poi­men­to à PF, Iva­ne­te afir­mou que um as­ses­sor do en­tão can­di­da­to não quis re­ce­ber os re­ci­bos dos gas­tos.

Os dois de­poi­men­tos da di­ri­gen­te do PSL fa­zem par­te do inqué­ri­to que in­ves­ti­ga a re­la­ção do mi­nis­tro do Tu­ris­mo com pos­sí­veis candidaturas-​laranjas em Mi­nas Ge­rais. Ele foi in­di­ci­a­do e de­nun­ci­a­do nas apu­ra­ções sob a acu­sa­ção de três cri­mes.

A PF su­ge­riu a aber­tu­ra de um no­vo inqué­ri­to pa­ra ave­ri­guar pos­sí­vel uso de cai­xa dois na cam­pa­nha do atu­al mi­nis­tro. O re­la­to de Iva­ne­te é um dos in­dí­ci­os que em­ba­sam o pe­di­do. Ca­be ao pro­mo­tor do ca­so re­qui­si­tar for­mal­men­te es­sa in­ves­ti­ga­ção.

A di­ri­gen­te con­ta que Ál­va­ro Antô­nio afir­mou a ela, pes­so­al­men­te, que to­das as tra­ta­ti­vas re­fe­ren­tes a pa­ga­men­tos de cam­pa­nha se­ri­am fei­tas com Jan­dir Vi­ei­ra Si­quei­ra, à épo­ca, as­ses­sor do en­tão can­di­da­to.

“No dia 5 de ou­tu­bro de 2018 [dois di­as an­tes da elei­ção], Jan­dir en­tre­gou à de­cla­ran­te a quan­tia de R$ 17 mil em di­nhei­ro […] A quan­tia es­ta­va guar­da­da em uma cai­xa bran­ca da mar­ca La­cos­te”, afir­ma tre­cho da trans­cri­ção do de­poi­men­to.

No de­poi­men­to, Iva­ne­te afir­ma que en­trou em con­ta­to com Jan­dir, após as elei­ções, “pa­ra en­tre­gar os re­ci­bos do pes­so­al que ha­via tra­ba­lha­do na cam­pa­nha de Mar­ce­lo, mas Jan­dir dis­se que não pre­ci­sa­va e que es­ta­va tu­do ok. […] De­pois dis­so, Jan­dir não aten­deu mais as li­ga­ções”.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,