m uma cla­ra cam­pa­nha pós-​prisão, Luís Iná­cio Lu­la da Sil­va ado­tou tom de com­ba­ti­vi­da­de em São Ber­nar­do do Cam­pos no ABC Pau­lis­ta. Acom­pa­nha­do de Fer­nan­do Had­dad (PT), Mar­ce­lo Frei­xo (Psol), Gui­lher­me Bou­los (Psol) e de­mais li­de­ran­ças pe­tis­tas, o ex-​presidente enal­te­ceu os ali­a­dos foi pra ci­ma de Jair Bol­so­na­ro e dos seus mi­nis­tros de go­ver­no. Lu­la con­cla­mou os ali­as a lu­ta­rem ao seu la­do nas ru­as.

Ima­gem ar­qui­vo pes­so­al


Fernando Haddad, Marcelo Freixo e Paulo Teixeira

O ex-​presidente cha­mou a ju­ven­tu­de e ou­tros no­mes for­tes da es­quer­da pa­ra irem pa­ra as ru­as. “Frei­xo, Had­dad, Bou­los, PC­doB, que a gen­te es­te­ja na rua e so­bre­tu­do com a ju­ven­tu­de”, de­cla­rou. O pe­tis­ta de­cla­rou que a es­quer­da em 2022 irá ga­nhar as elei­ções. “Em 2022, a cha­ma­da es­quer­da que o Bol­so­na­ro tem tan­to me­do, vai der­ro­tar a ou­tra di­rei­ta”, dis­se.

Lu­la tam­bém dis­se que em pou­cos di­as irá fa­zer um pro­nun­ci­a­men­to pú­bli­co, no qual, de­ve dei­xar cla­ra quais são su­as in­ten­ções da­qui pra fren­te. “Eu que­ro pen­sar, vou es­cre­ver e ra­bis­car por­que eu que­ro fa­zer um pro­nun­ci­a­men­to. Eu não quis fa­zer ho­je por­que qual­quer coi­sa que eu di­ga mais du­ra, vão di­zer que eu es­tou com ódio”, afir­mou.

O ex-​presidente, po­rém, de­mons­trou de­se­jar pro­mo­ver no Bra­sil ma­ni­fes­ta­ções se­me­lhan­tes às que es­tão to­man­do con­ta do Chi­le. “Nós es­ta­mos ven­do o que es­tá acon­te­cen­do no Chi­le, o Chi­le é o mo­de­lo de país que o Gue­des quer fa­zer aqui. No Chi­le o po­vo es­tá in­do à rua por­que eles acre­di­tam que quem é elei­to não é elei­to pa­ra des­truir, é elei­to pa­ra go­ver­nar” dis­se Lu­la.

Em ata­que di­re­to ao pre­si­den­te Bol­so­na­ro Lu­la dis­se que ele foi elei­to pa­ra go­ver­nar pa­ra o po­vo e não pa­ra mi­li­ci­a­nos. “O ci­da­dão foi elei­to, ele foi elei­to de­mo­cra­ti­ca­men­te e nós res­pei­ta­mos o re­sul­ta­do da elei­ção. Ele tem mais 3 anos. Mas ele foi elei­to pa­ra go­ver­nar pa­ra o po­vo bra­si­lei­ro e não pa­ra os mi­li­ci­a­nos do Rio de Ja­nei­ro. Ele não foi elei­to pa­ra atra­pa­lhar as in­ves­ti­ga­ções do ca­so Ma­ri­el­le (…) Ele tem que ex­pli­car on­de es­tá o Quei­roz. Ele tem que ex­pli­car on­de ele cons­truiu o pa­trimô­nio de 17 ca­sas”, dis­se Lu­la.

Se­gun­do o pe­tis­ta, o go­ver­no de Jair Bol­so­na­ro pi­o­rou a con­di­ção de vi­da do ci­da­dão co­mum e por is­so con­cla­mou os se­gui­do­res a se ma­ni­fes­ta­rem. “O po­vo fi­cou mais po­bre, o po­vo tem me­nos saú­de, o po­vo tem me­nos car­ro, o po­vo tem me­nos em­pre­go. Não tem nin­guém que con­ser­te es­te país se vo­cês não qui­se­rem que con­ser­te. Não adi­an­ta fi­car com me­do com as ame­a­ças que eles fa­zem na te­le­vi­são de que vai ter mi­li­ci­a­no, que vai ter AI5”, dis­se.

“Nós va­mos fa­zer mui­ta lu­ta. E não é um dia de lu­ta, pas­sar três me­ses e de­pois vol­tar não. É to­do dia” dis­se o ex-​presidente. “E os nos­sos de­pu­ta­dos vão ter que vi­rar leões na­que­le Con­gres­so”, de­cla­rou. “A gen­te vai ter que fa­zer que nem o po­vo do Chi­le, que nem o po­vo da Bo­lí­via. A gen­te tem que ata­car e não ape­nas se de­fen­der”, de­cre­tou.

Mar­ce­lo Frei­xo, mui­to ci­ta­do por Lu­la du­ran­te o dis­cur­so, é co­nhe­ci­do por sua atu­a­ção con­tra as mi­lí­ci­as flu­mi­nen­ses e fer­re­nho opo­si­tor de Jair Bol­so­na­ro. O de­pu­ta­do era ami­go pes­so­al de Ma­ri­el­le Fran­co, que foi sua as­ses­so­ra de ga­bi­ne­te an­tes de vi­rar ve­re­a­do­ra. Em en­tre­vis­ta re­cen­te ao Con­gres­so em Fo­co, o de­pu­ta­do dis­se de­fen­der a união da es­quer­da pa­ra se evi­tar uma di­ta­du­ra no país.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,