O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro san­ci­o­nou nes­ta segunda-​feira (11) um tre­cho da Lei 13.834, de 2019, que pu­ne com dois a oi­to anos de pri­são quem di­vul­gar no­tí­ci­as fal­sas com fi­na­li­da­de elei­to­ral.

A lei ha­via si­do san­ci­o­na­da ori­gi­nal­men­te em ju­nho, mas um ve­to par­ci­al dei­xou de fo­ra o dis­po­si­ti­vo que ti­pi­fi­ca co­mo cri­me a dis­se­mi­na­ção de fa­ke news nas elei­ções. O ve­to foi der­ru­ba­do pe­lo Con­gres­so em agos­to, o que de­ter­mi­nou a atu­a­li­za­ção da nor­ma.

“LEI Nº 13.834, DE 4 DE JUNHO DE 2019

Men­sa­gem de ve­to
(Pro­mul­ga­ção par­tes ve­ta­das)

Al­te­ra a Lei nº 4.737, de 15 de ju­lho de 1965 - Có­di­go Elei­to­ral, pa­ra ti­pi­fi­car o cri­me de de­nun­ci­a­ção ca­lu­ni­o­sa com fi­na­li­da­de elei­to­ral.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Fa­ço sa­ber que o Con­gres­so Na­ci­o­nal de­cre­ta e eu san­ci­o­no a se­guin­te Lei:

Art. 1º Es­ta Lei acres­cen­ta ar­ti­go à Lei nº 4.737, de 15 de ju­lho de 1965 - Có­di­go Elei­to­ral, pa­ra ti­pi­fi­car o cri­me de de­nun­ci­a­ção ca­lu­ni­o­sa com fi­na­li­da­de elei­to­ral.

Art. 2º A Lei nº 4.737, de 15 de ju­lho de 1965 - Có­di­go Elei­to­ral, pas­sa a vi­go­rar acres­ci­da do se­guin­te art. 326-​A:

“Art. 326-​A. Dar cau­sa à ins­tau­ra­ção de in­ves­ti­ga­ção po­li­ci­al, de pro­ces­so ju­di­ci­al, de in­ves­ti­ga­ção ad­mi­nis­tra­ti­va, de inqué­ri­to ci­vil ou ação de im­pro­bi­da­de ad­mi­nis­tra­ti­va, atri­buin­do a al­guém a prá­ti­ca de cri­me ou ato in­fra­ci­o­nal de que o sa­be ino­cen­te, com fi­na­li­da­de elei­to­ral:

Pe­na - re­clu­são, de 2 (dois) a 8 (oi­to) anos, e mul­ta.

§ 1º A pe­na é au­men­ta­da de sex­ta par­te, se o agen­te se ser­ve do ano­ni­ma­to ou de no­me su­pos­to.

§ 2º A pe­na é di­mi­nuí­da de me­ta­de, se a im­pu­ta­ção é de prá­ti­ca de con­tra­ven­ção.

§ 3º (VETADO)” (Pro­mul­ga­ção par­tes ve­ta­das)

§ 3º In­cor­re­rá nas mes­mas pe­nas des­te ar­ti­go quem, com­pro­va­da­men­te ci­en­te da ino­cên­cia do de­nun­ci­a­do e com fi­na­li­da­de elei­to­ral, di­vul­ga ou pro­pa­la, por qual­quer meio ou for­ma, o ato ou fa­to que lhe foi fal­sa­men­te atri­buí­do.

Art. 3º Es­ta Lei en­tra em vi­gor na da­ta de sua pu­bli­ca­ção.

Bra­sí­lia, 4 de ju­nho de 2019; 198o da In­de­pen­dên­cia e 131o da Re­pú­bli­ca.

JAIR MESSIAS BOLSONARO
An­dré Luiz de Al­mei­da Men­don­ça

Es­te tex­to não subs­ti­tui o pu­bli­ca­do no DOU de 5.6.2019

LEI Nº 13.834, DE 4 DE JUNHO DE 2019

Men­sa­gem de ve­to
Al­te­ra a Lei nº 4.737, de 15 de ju­lho de 1965 - Có­di­go Elei­to­ral, pa­ra ti­pi­fi­car o cri­me de de­nun­ci­a­ção ca­lu­ni­o­sa com fi­na­li­da­de elei­to­ral.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Fa­ço sa­ber que o Con­gres­so Na­ci­o­nal de­cre­ta e eu pro­mul­go, nos ter­mos do pa­rá­gra­fo 5o do art. 66 da Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral, a se­guin­te par­te ve­ta­da da Lei no 13.834, de 4 de ju­nho de 2019:

“Art. 2º A Lei nº 4.737, de 15 de ju­lho de 1965 - Có­di­go Elei­to­ral, pas­sa a vi­go­rar acres­ci­da do se­guin­te art. 326-​A:

‘Art. 326-​A. Dar cau­sa à ins­tau­ra­ção de in­ves­ti­ga­ção po­li­ci­al, de pro­ces­so ju­di­ci­al, de in­ves­ti­ga­ção ad­mi­nis­tra­ti­va, de inqué­ri­to ci­vil ou ação de im­pro­bi­da­de ad­mi­nis­tra­ti­va, atri­buin­do a al­guém a prá­ti­ca de cri­me ou ato in­fra­ci­o­nal de que o sa­be ino­cen­te, com fi­na­li­da­de elei­to­ral:

.….….….….….….….….….….….….

.….….….….….….….….….….….….

§ 3º In­cor­re­rá nas mes­mas pe­nas des­te ar­ti­go quem, com­pro­va­da­men­te ci­en­te da ino­cên­cia do de­nun­ci­a­do e com fi­na­li­da­de elei­to­ral, di­vul­ga ou pro­pa­la, por qual­quer meio ou for­ma, o ato ou fa­to que lhe foi fal­sa­men­te atri­buí­do.’”

Bra­sí­lia, 8 de no­vem­bro de 2019; 198o da In­de­pen­dên­cia e 131o da Re­pú­bli­ca.

JAIR MESSIAS BOLSONARO

Es­te tex­to não subs­ti­tui o pu­bli­ca­do no DOU de 11.11.2019”

Com in­for­ma­ções da Agên­cia Se­na­do

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,