A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos vai ins­ta­lar uma Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to (CPI) pa­ra in­ves­ti­gar a ori­gem das man­chas de óleo que atin­gem as prai­as do Nor­des­te e do Es­pí­ri­to San­to. Pro­pos­ta pe­lo de­pu­ta­do João Cam­pos (PSB-​PE) com o apoio de 267 par­la­men­ta­res, a CPI do Va­za­men­to de Óleo já re­ce­beu o aval do pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ). A de­ci­são cons­ta de des­pa­cho di­vul­ga­do nes­ta segunda-​feira (18) e se­rá li­da no ple­ná­rio nos pró­xi­mos di­as pa­ra que os lí­de­res par­ti­dá­ri­os in­di­quem os mem­bros do co­le­gi­a­do.

Raul Spinassé/​Folhapress


Pedido da CPI do Vazamento de Óleo foi apresentado pelo deputado João Campos com 267 assinaturas

“Es­ta pre­si­dên­cia dá co­nhe­ci­men­to ao Ple­ná­rio da cri­a­ção da Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to com a fi­na­li­da­de de in­ves­ti­gar as ori­gens das man­chas de óleo que se es­pa­lham pe­lo li­to­ral do Nor­des­te, bem co­mo ava­li­ar as me­di­das que es­tão sen­do to­ma­das pe­los ór­gãos com­pe­ten­tes, apu­rar res­pon­sa­bi­li­da­des pe­lo va­za­men­to e pro­por ações que mi­ti­guem ou ces­sem os atu­ais da­nos e a ocor­rên­cia de no­vos aci­den­tes”, diz o des­pa­cho as­si­na­do por Maia.

Ain­da de acor­do com o ato da pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra, a CPI se­rá com­pos­ta por 34 de­pu­ta­dos e igual nú­me­ro de su­plen­tes. Es­ses mem­bros se­rão in­di­ca­dos pe­los lí­de­res par­ti­dá­ri­os as­sim que o des­pa­cho de Maia for li­do no ple­ná­rio da Câ­ma­ra e te­rão até 180 di­as pa­ra che­gar a uma con­clu­são so­bre as man­chas de óleo que há mais de dois me­ses po­lu­em o li­to­ral do Nor­des­te bra­si­lei­ro. A ex­pec­ta­ti­va é que a re­la­to­ria da co­mis­são fi­que com o PSB, pos­si­vel­men­te com o pró­prio João Cam­pos, que é fi­lho de Edu­ar­do Cam­pos e há mais de 20 di­as vi­nha de­fen­den­do a aber­tu­ra da CPI do Va­za­men­to de Óleo.

Se­gun­do o au­tor do re­que­ri­men­to que propôs a cri­a­ção des­sa Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to, o co­le­gi­a­do vai apu­rar a ori­gem do óleo, es­tu­dar quais pu­ni­ções po­dem ser apli­ca­das aos res­pon­sá­veis pe­lo de­sas­tre am­bi­en­tal que des­de se­tem­bro atin­ge o Nor­des­te, ava­li­ar o tra­ba­lho de con­ten­ção do óleo co­or­de­na­do pe­lo go­ver­no fe­de­ral e tam­bém dis­cu­tir me­di­das que pos­sam evi­tar a ocor­rên­cia de no­vos de­sas­tres am­bi­en­tais co­mo es­se. “Te­mos o di­rei­to de sa­ber a ori­gem des­se óleo, além de ava­li­ar a atu­a­ção dos ór­gãos res­pon­sá­veis e bus­car uma le­gis­la­ção am­bi­en­tal mais ade­qua­da pa­ra es­se ti­po de de­sas­tre”, dis­se João Cam­pos. No Twit­ter, o de­pu­ta­do lem­brou que as pri­mei­ras man­chas de óleo sur­gi­ram há mais de 75 di­as e con­ti­nu­am sem a ori­gem iden­ti­fi­ca­da.

O pe­di­do da CPI do Va­za­men­to de Óleo foi apre­sen­ta­do por João Cam­pos com a as­si­na­tu­ra de 267 de­pu­ta­dos - qua­se 100 a mais que as 171 as­si­na­tu­ras ne­ces­sá­ri­as a um re­que­ri­men­to des­se tipo- em 23 de no­vem­bro. O re­que­ri­men­to le­vou qua­se 20 di­as pa­ra re­ce­ber uma de­ci­são fi­nal de Maia, pois, além da pres­são dos am­bi­en­ta­lis­tas que de­fen­dem a CPI, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra foi pres­si­o­na­do pe­lo tra­de tu­rís­ti­co. O tra­de te­mia que a aber­tu­ra de uma CPI que es­ten­des­se as dis­cus­sões so­bre as man­chas de óleo por mais seis me­ses pre­ju­di­cas­sem ain­da mais a ati­vi­da­de tu­rís­ti­ca na re­gião. De­pu­ta­dos co­mo João Cam­pos, po­rém, ar­gu­men­ta­ram que a CPI se­ria po­si­ti­va pa­ra o tu­ris­mo por­que tam­bém bus­ca­ria for­mas de pre­ve­nir no­vos aci­den­tes co­mo es­se.

A co­bran­ça pe­la in­ves­ti­ga­ção da ori­gem das man­chas de óleo, por si­nal, au­men­tou nos úl­ti­mos di­as, vis­to que o re­sí­duo, que já po­lui o li­to­ral dos no­ve es­ta­dos do Nor­des­te, tam­bém atin­giu o Es­pí­ri­to San­to e po­de che­gar ao Rio de Ja­nei­ro se con­ti­nu­ar se alas­tran­do pe­la re­gião Su­des­te. Se­gun­do o úl­ti­mo ba­lan­ço do Iba­ma, 643 lo­ca­li­da­des de 116 mu­ni­cí­pi­os lo­ca­li­za­dos nes­ses dez es­ta­dos bra­si­lei­ros já fo­ram afe­ta­dos pe­lo óleo.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,