O go­ver­no ale­mão des­car­tou a li­be­ra­ção de ver­bas pa­ra a flo­res­ta Amazô­nia sus­pen­sa em agos­to do ano pas­sa­do. A ne­ga­ti­va de Ber­lim foi anun­ci­a­da nes­te sá­ba­do (25), pe­la agên­cia de no­tí­ci­as ale­mã DPA, após o pre­si­den­te em exer­cí­cio, ge­ne­ral Ha­mil­ton Mou­rão, afir­mar que acei­ta di­nhei­ro de paí­ses ri­cos pa­ra a pre­ser­va­ção do bi­o­ma. As in­for­ma­ções são da Deuts­che Wel­le.

Re­pro­du­ção


Queimada na floresta Amazônica

A pos­si­bi­li­da­de foi re­jei­ta­da por um porta-​voz da mi­nis­tra ale­mã do Meio Am­bi­en­te, Sven­ja Schul­ze. Ele afir­mou que os re­pas­ses con­ti­nu­am con­ge­la­dos e, pa­ra que se­jam re­to­ma­dos, é ne­ces­sá­rio “que de­sen­vol­va­mos uma per­cep­ção co­mum so­bre o que é ne­ces­sá­rio nas áre­as de pro­te­ção cli­má­ti­ca e de bi­o­di­ver­si­da­de”. Es­se con­sen­so, no en­tan­to, es­tá lon­ge nes­te mo­men­to, se­gun­do o go­ver­no ale­mão.

O re­pas­se de ver­bas foi in­ter­rom­pi­do após a cri­se am­bi­en­tal na flo­res­ta Amazô­nia, que pas­sou por um pe­río­do com al­tas ta­xas de des­ma­ta­men­to, no meio do ano pas­sa­do. Em ra­zão dis­so, Schul­ze anun­ci­ou o con­ge­la­men­to de in­ves­ti­men­tos de 35 mi­lhões de eu­ros (cer­ca de 155 mi­lhões de re­ais), que se­ri­am des­ti­na­dos a di­fe­ren­tes pro­je­tos de pro­te­ção am­bi­en­tal no Bra­sil.

“A po­lí­ti­ca do go­ver­no bra­si­lei­ro na Re­gião Amazô­ni­ca dei­xa dú­vi­das se ain­da se per­se­gue uma re­du­ção con­se­quen­te das ta­xas de des­ma­ta­men­to”, de­cla­rou a mi­nis­tra, em en­tre­vis­ta pu­bli­ca­da em 10 de agos­to pe­lo jor­nal ale­mão Der Ta­ges­s­pi­e­gel. No dia se­guin­te, o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro re­pli­cou, afir­man­do que “o Bra­sil não pre­ci­sa dis­so”, em re­fe­rên­cia ao di­nhei­ro ale­mão.

Na­que­le mes­mo mês, após uma cri­se di­plo­má­ti­ca com o go­ver­no fran­cês, o Bra­sil re­jei­tou US$ 20 mi­lhões dos paí­ses do G7 – Es­ta­dos Uni­dos, Ja­pão, Ale­ma­nha, Rei­no Uni­do, Ca­na­dá e Itá­lia – ofe­re­ci­dos pa­ra o com­ba­te às quei­ma­das na Amazô­nia.

“Re­jei­tou, mas de­pois eu vou lá com ca­ra de pau e pe­ço”, ad­mi­tiu Ha­mil­ton Mou­rão em en­tre­vis­ta à emis­so­ra Glo­bo­news nes­ta quinta-​feira. O vice-​presidente foi anun­ci­a­do co­mo che­fe do Con­se­lho da Amazô­nia, que se­rá res­pon­sá­vel por co­or­de­nar ações do exe­cu­ti­vo pa­ra “pro­te­ção, de­fe­sa e de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel da Amazô­nia”.

O Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te da Ale­ma­nha res­sal­tou que o fi­nan­ci­a­men­to sus­pen­so pe­la pas­ta não tem re­la­ção al­gu­ma com o no­vo con­se­lho cri­a­do pe­lo go­ver­no bra­si­lei­ro.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,