O pre­si­den­te da CPI mis­ta das Fa­ke News, se­na­dor Ân­ge­lo Co­ro­nel (PSD-​BA), pre­ten­de co­lo­car em vo­ta­ção to­dos os 80 re­que­ri­men­tos de con­vo­ca­ção e con­vi­te nes­ta se­ma­na. En­tre os pos­sí­veis con­vo­ca­dos es­tão o ve­re­a­dor ca­ri­o­ca Car­los Bol­so­na­ro (PSC), fi­lho e res­pon­sá­vel pe­las re­des so­ci­ais do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, e os ex-​presidentes Lu­la e Dil­ma.

Ge­ral­do Magela/​Agência Se­na­do


Lídice da Mata. relatora, e Ângelo Coronel, presidente da CPI, comandam as investigações

Co­ro­nel tam­bém de­ve sub­me­ter ao ple­ná­rio do co­le­gi­a­do a re­con­vo­ca­ção de Hans Ri­ver do Nas­ci­men­to, ex-​funcionário da em­pre­sa Ya­cows, acu­sa­da de dis­pa­rar men­sa­gens em mas­sa du­ran­te as elei­ções de 2018. Após seu de­poi­men­to à CPI, na se­ma­na pas­sa­da, Hans foi de­nun­ci­a­do pe­la re­la­to­ra da CPI, de­pu­ta­da Lí­di­ce da Ma­ta (PSB-​BA), à Procuradoria-​Geral da Re­pú­bli­ca por fal­so tes­te­mu­nho. Di­an­te de de­pu­ta­dos e se­na­do­res, ele su­ge­riu que a jor­na­lis­ta Pa­trí­cia Cam­pos Mel­lo, da Fo­lha de S.Paulo, se in­si­nu­ou se­xu­al­men­te pa­ra ele em tro­ca de in­for­ma­ções que em­ba­sas­sem sua re­por­ta­gem.

A ver­são de­le foi des­mon­ta­da pe­la pró­pria Fo­lha, que di­vul­gou as tro­cas de men­sa­gem que man­te­ve com o fun­ci­o­ná­rio. A de­cla­ra­ção tam­bém foi re­pu­di­a­da por en­ti­da­des e au­to­ri­da­des, mas ex­plo­ra­da pe­lo de­pu­ta­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro (PSL-​SP) e ou­tros bol­so­na­ris­tas.

Palanque político

Em even­tu­al no­vo de­poi­men­to, Hans po­de­rá sair pre­so da CPI, ad­ver­te o se­na­dor. “Se con­fir­mar que men­tiu, po­de ser pre­so. Qual­quer tes­te­mu­nha sob ju­ra­men­to po­de­rá ser pre­so se men­tir”, afir­mou o se­na­dor ao Con­gres­so em Fo­co. A mes­ma ob­ser­va­ção va­le pa­ra o fi­lho do pre­si­den­te, al­vo da opo­si­ção, e aos de­po­en­tes. Par­la­men­ta­res li­ga­dos a Bol­so­na­ro, por sua vez, que­rem le­var à CPI os ex-​presidentes Lu­la e Dil­ma, o ex-​ministro An­to­nio Pa­loc­ci e o em­pre­sá­rio Mar­ce­lo Ode­bre­cht.

Pa­ra Co­ro­nel, a co­mis­são es­tá che­gan­do a um mo­men­to de­ci­si­vo. “Es­ta­mos afu­ni­lan­do as in­ves­ti­ga­ções pa­ra des­co­brir­mos qual par­ti­do ou po­lí­ti­co usou What­sApp pa­ra dis­pa­ro em mas­sa fe­rin­do a lei elei­to­ral. Se che­gar­mos à con­clu­são que o Car­los uti­li­zou es­se ex­pe­di­en­te, se­rá im­por­tan­te a sua oi­ti­va. Che­ga­mos a uma fa­se que não dá mais pa­ra fi­car fo­ca­do em ila­ções. Te­mos que ou­vir pes­so­as, reu­nir pro­vas e tes­te­mu­nhas. Não te­mos tem­po pa­ra pa­lan­que po­lí­ti­co”, afir­mou. “Agi­rei com to­tal im­par­ci­a­li­da­de em to­dos os ca­sos”, acres­cen­tou.

Carlos

O re­que­ri­men­to de con­vo­ca­ção de Car­los Bol­so­na­ro foi apre­sen­ta­do pe­lo se­na­dor Ran­dol­fe Ro­dri­gues (Rede-​AP), lí­der da opo­si­ção no Se­na­do. O se­na­dor des­ta­ca a im­por­tân­cia do pa­pel exer­ci­do por Car­los na cam­pa­nha elei­to­ral do pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca.

“O ve­re­a­dor da ci­da­de do Rio de Ja­nei­ro, Car­los Bol­so­na­ro, fi­lho do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, foi o res­pon­sá­vel pe­la es­tra­té­gia e ope­ra­ci­o­na­li­za­ção da cam­pa­nha de seu pai nas re­des so­ci­ais em 2018. O pró­prio pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca ad­mi­tiu que Car­los ‘se des­ta­cou à fren­te das mí­di­as so­ci­ais’ du­ran­te sua cam­pa­nha”, ar­gu­men­ta Ran­dol­fe no pe­di­do.

“É ine­gá­vel que o fenô­me­no das fa­ke news te­ve gran­de in­fluên­cia e foi am­pla­men­te uti­li­za­do na cam­pa­nha elei­to­ral de 2018 e no atu­al go­ver­no. É pre­ci­so, ago­ra, des­co­brir os res­pon­sá­veis pe­la dis­se­mi­na­ção des­sas no­tí­ci­as fal­sas, e en­ten­der o mo­dus ope­ran­di”, emen­da o lí­der opo­si­ci­o­nis­ta.

Lula e Dilma

A con­vo­ca­ção de Lu­la é re­que­ri­da pe­lo de­pu­ta­do Pas­tor Mar­co Fe­li­ci­a­no (sem partido-​SP), que acu­sa o par­ti­do do pre­si­den­te de ser uma “má­qui­na de des­truir re­pu­ta­ções” des­de a dé­ca­da de 90. “O que se pre­ten­de com a oi­ti­va do con­de­na­do é en­ten­der co­mo foi mon­ta­do o pri­mei­ro gran­de apa­ra­to político-​partidário de pro­du­ção de no­tí­ci­as fal­sas com a fi­na­li­da­de de des­truir a re­pu­ta­ção de ad­ver­sá­ri­os po­lí­ti­cos”

Já na me­ta­de de seu tem­po de du­ra­ção, a CPI das Fa­ke News foi cri­a­da pa­ra apu­rar de­nún­ci­as de uti­li­za­ção das re­des so­ci­ais pa­ra di­fa­mar can­di­da­tos nas elei­ções pre­si­den­ci­ais de 2018. Se­gun­do Ân­ge­lo Co­ro­nel, a CPI tam­bém avan­ça­rá com pro­pos­tas pa­ra aper­fei­ço­ar a le­gis­la­ção so­bre as re­des. “Es­ta CPI não vai aca­bar em piz­za. Pre­ci­sa­mos le­gis­lar so­bre o que fa­zem com nos­sos da­dos nas re­des so­ci­ais. Ven­dem nos­sas in­for­ma­ções sem nos pe­dir au­to­ri­za­ção. Eles sa­bem tu­do da nos­sa vi­da pri­va­da.”

A con­vo­ca­ção de Dil­ma é so­li­ci­ta­da pe­la de­pu­ta­da Ca­ro­li­na de To­ni (PSL-​SC). “Em de­la­ção pre­mi­a­da re­a­li­za­da pe­la La­va Ja­to, os mar­que­tei­ros, João­San­ta­na e Mô­ni­ca Mou­ra, de­cla­ra­ram que foi uti­li­za­do di­nhei­ro da La­va Ja­to – R$ 200 mil - pa­ra re­a­ti­va­ção do per­fil di­gi­tal ‘Dil­ma Bo­la­da’, com o fim de pro­pa­gar pos­ta­gens fa­vo­rá­veis ao go­ver­no da épo­ca”, jus­ti­fi­ca a de­pu­ta­da.

A co­mis­são mis­ta de­ve ou­vir, na pró­xi­ma ter­ça (18), re­pre­sen­tan­tes da Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al da Saú­de (OMS) e da So­ci­e­da­de Bra­si­lei­ra de Imu­ni­za­ções. Já na quarta-​feira (19) a CPI to­ma­rá o de­poi­men­to de Flá­via Al­ves e de Lin­dol­fo Antô­nio Al­ves Ne­to, sócios-​proprietários da em­pre­sa Ya­cows, pa­ra a qual Hans Ri­ver tra­ba­lha­va. Eles se­rão ou­vi­dos in­di­vi­du­al­men­te. Ân­ge­lo Co­ro­nel diz que se não con­se­guir con­cluir a vo­ta­ção dos re­que­ri­men­tos de con­vi­te e con­vo­ca­ção nes­ta se­ma­na, de­vi­do aos de­poi­men­tos, pau­ta­rá a de­li­be­ra­ção pa­ra na pri­mei­ra se­ma­na após o Car­na­val.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,