O Se­na­do Fe­de­ral au­to­ri­zou que o Po­der Exe­cu­ti­vo pa­gue até três sa­lá­ri­os de tra­ba­lha­do­res com car­tei­ra as­si­na­da, com a con­di­ção de que as em­pre­sas não de­mi­tam es­ses fun­ci­o­ná­ri­os pe­lo pe­río­do de um ano após o fim do au­xí­lio.

Reprodução/​Congresso em Fo­co

O va­lor atu­al do sa­lá­rio mí­ni­mo é de R$ 1.045. Por três me­ses, o go­ver­no te­ria que de­sem­bol­sar R$ 3.135. A me­di­da ocor­re no âm­bi­to do Pro­gra­ma de Au­xí­lio Em­pre­go, cri­a­do pe­los se­na­do­res no pro­je­to que faz ou­tras mu­dan­ças no au­xí­lio emer­gen­ci­al de R$ 600 apro­va­do na segunda-​feira (30).

Re­me­ti­do à san­ção, o tex­to ain­da não foi ob­je­to da aná­li­se do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro (sem par­ti­do), o que ge­rou crí­ti­cas de de­pu­ta­dos e se­na­do­res, que co­bra­ram do go­ver­no o pa­ga­men­to do au­xí­lio, ape­li­da­do de “co­ro­na­vou­cher”.

O tex­to ain­da pas­sa­rá pe­la aná­li­se da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,