“Nós va­mos con­ti­nu­ar, por­que con­ti­nu­an­do a gen­te vai en­fren­tar o nos­so ini­mi­go. O nos­so ini­mi­go tem no­me e so­bre­no­me: é o covid-​19. Nós te­mos uma so­ci­e­da­de pa­ra ten­tar lu­tar, pa­ra ten­tar pro­te­ger. Mé­di­co não aban­do­na pa­ci­en­te. Eu não vou aban­do­nar”, dis­se o mi­nis­tro da Saú­de, Luiz Hen­ri­que Man­det­ta, em co­le­ti­va à im­pren­sa na noi­te des­ta segunda-​feira (6).

Re­pro­du­ção

“In­fe­liz­men­te co­me­ça­mos com mais um so­la­van­co a se­ma­na de tra­ba­lho. Es­pe­ra­mos que nós pos­sa­mos ter paz pa­ra pros­se­guir”. Nes­ta se­gun­da, sur­gi­ram no­tí­ci­as dan­do con­ta de uma pos­sí­vel de­mis­são de Man­det­ta pe­lo pre­si­den­te Bol­so­na­ro, que tem fei­to rei­te­ra­das crí­ti­cas ao mi­nis­tro.

“A úni­ca coi­sa que a gen­te es­tá pe­din­do é que nós te­nha­mos o me­lhor am­bi­en­te pa­ra tra­ba­lhar aqui no Mi­nis­té­rio da Saú­de”, dis­se Man­det­ta, acom­pa­nha­do dos se­cre­tá­ri­os da pas­ta. O mi­nis­tro clas­si­fi­cou o dia co­mo emo­ci­o­nal­men­te mui­to du­ro pa­ra a equi­pe e ad­mi­tiu apre­en­são. Ele tam­bém con­fir­mou que che­ga­ram a lim­par ga­ve­tas e que al­guns ser­vi­do­res dis­se­ram que se ele dei­xas­se o mi­nis­té­rio, não sai­ria so­zi­nho.

Man­det­ta re­for­çou que o tra­ba­lho de­sen­vol­vi­do é téc­ni­co e que o ór­gão bus­ca ou­vir a voz da ci­ên­cia pa­ra ado­tar pro­to­co­los e es­tra­té­gi­as. “Eu dou ape­nas al­guns pe­que­nos pal­pi­tes”, dis­se.

O mi­nis­tro ava­li­ou que a reu­nião mi­nis­te­ri­al con­vo­ca­da es­ta tar­de pe­lo pre­si­den­te Bol­so­na­ro foi pro­du­ti­va. Se­gun­do ele, o go­ver­no se po­si­ci­o­nou no sen­ti­do de ter mais fo­co e união.

Balanço

Ao fa­zer um ba­lan­ço do tra­ba­lho, Man­det­ta dis­se que tem si­do uma cons­tan­te o mi­nis­té­rio ado­tar uma de­ter­mi­na­da li­nha e ter que re­cu­ar e fa­zer con­tra­pon­tos de­pois. “A equi­pe fi­ca nu­ma sen­sa­ção de an­gús­tia”, re­co­nhe­ceu.

Man­det­ta se quei­xou tam­bém de co­bran­ças por so­lu­ções a pro­ble­mas his­tó­ri­cos do país, co­mo a má qua­li­da­de dos ser­vi­ços de trans­por­te e de sa­ne­a­men­to bá­si­co.

Defesa do isolamento

Por en­quan­to, o mi­nis­tro dis­se que a saí­da que o país tem ain­da é uma me­di­da que clas­si­fi­cou de “mui­to pri­mi­ti­va”, a do iso­la­men­to so­ci­al. “Nós es­ta­mos nu­ma fa­se de fa­zer dis­tan­ci­a­men­to so­ci­al”, dis­se ele, adi­ci­o­nan­do que as aglo­me­ra­ções têm que pa­rar pa­ra evi­tar mai­or pro­pa­ga­ção do ví­rus no país.

Na con­tra­mão do pre­si­den­te, Man­det­ta de­fen­deu que po­pu­la­ção si­ga as ori­en­ta­ções dos go­ver­na­do­res. “Nós não es­ta­mos pre­pa­ra­dos. Nós não es­ta­mos pron­tos pa­ra uma es­ca­la­da de ca­sos nas nos­sas gran­des me­tró­po­les, ain­da te­mos mui­to o que fa­zer”, dis­se ele.

Hidroxicloroquina

So­bre es­tu­dos re­la­ti­vos ao uso da hi­dro­xi­clo­ro­qui­na no tra­ta­men­to do covid-​19, Man­det­ta de­fen­deu apro­fun­da­men­to dos es­tu­dos pa­ra que uma te­se se­ja fir­ma­da. Se hou­ver evi­dên­cia ci­en­tí­fi­ca e con­sen­so no Con­se­lho Fe­de­ral de Me­di­ci­na, o mi­nis­té­rio não te­rá pro­ble­ma em ado­tar o me­di­ca­men­to.

“Va­mos fa­zer pe­la ci­ên­cia, ci­ên­cia. Não va­mos per­der o fo­co. Ci­ên­cia, dis­ci­pli­na, pla­ne­ja­men­to, fo­co. Ci­ên­cia, dis­ci­pli­na, pla­ne­ja­men­to, fo­co”, re­pe­tiu.

Apoio

O mi­nis­tro não res­pon­deu per­gun­tas de jor­na­lis­tas, per­mi­tin­do so­men­te que se­cre­tá­ri­os e ou­tras au­to­ri­da­des fa­las­sem.

A de­pu­ta­da Car­mem Za­not­to (Cidadania-​SC), pre­si­den­te da fren­te par­la­men­tar mis­ta da saú­de, foi uma das que pa­ra­be­ni­zou a equi­pe pe­lo tra­ba­lho.

Entrevista coletiva com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,