O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), foi à tri­bu­na da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos nes­ta terça-​feira (5) pa­ra ex­pres­sar sua po­si­ção so­bre o pro­je­to de so­cor­ro a es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os du­ran­te a pan­de­mia da covid-​19. Apro­va­da no Se­na­do no úl­ti­mo sá­ba­do (3), o tex­to es­tá sen­do ana­li­sa­do nes­te mo­men­to pe­los deputados.

Na­ja­ra Araujo/​Câmara dos Deputados


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

Maia es­ta­va fa­lan­do do de­ba­te em tor­no do pro­je­to quan­do ci­tou crí­ti­cas do mi­nis­tro da Eco­no­mia, Pau­lo Gue­des, a sua pes­soa e à Câ­ma­ra. “A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos nun­ca se­rá sub­mis­sa a ne­nhum go­ver­no. Se­rá sem­pre res­pei­to­sa e sem­pre vai tra­ba­lhar de for­ma in­de­pen­den­te”, dis­se ele. Maia e Gue­des tro­ca­ram far­pas nas úl­ti­mas se­ma­nas, o que fez a equi­pe econô­mi­ca tra­tar do pro­je­to de au­xí­lio a es­ta­dos com o pre­si­den­te do Se­na­do, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP).

Se­gun­do Maia, a dis­cus­são em tor­no do tex­to foi útil pa­ra mos­trar que a te­se de de­fe­sa a es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os pre­va­le­ceu. “A nos­sa te­se do va­lor a ser trans­fe­ri­do a es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os du­ran­te o pe­río­do de qua­tro me­ses pre­va­le­ceu”, dis­se ele.

Pa­ra Maia, a di­ver­gên­cia com o Se­na­do foi ape­nas no to­can­te à for­ma de dis­tri­bui­ção dos re­cur­sos. Ele ne­gou que­da de bra­ço en­tre as du­as Ca­sas. “Eu não vou bri­gar com o pre­si­den­te Da­vi. Eu não vou cri­ar con­fli­tos in­su­pe­rá­veis com o Se­na­do Fe­de­ral por­que o nos­so pa­pel, ho­je e sem­pre, é de cons­truir con­ver­gên­ci­as e, atra­vés do diá­lo­go, cons­truir so­lu­ções”, afirmou.

O de­pu­ta­do de­fen­deu que a Câ­ma­ra apro­ve o tex­to tal qual en­ca­mi­nha­do pe­los se­na­do­res, sem al­te­ra­ções, a fim de re­me­ter o pro­je­to à san­ção o quan­to an­tes e as­se­gu­rar a des­ti­na­ção dos re­cur­sos aos en­tes da Fe­de­ra­ção. Em sua opi­nião, o con­ge­la­men­to do sa­lá­rio do fun­ci­o­na­lis­mo pú­bli­co por 18 me­ses é um ges­to de con­tri­bui­ção à crise.

Fon­te: Con­gres­so em Foco

,