O secretário-​substituto de Vi­gi­lân­cia em Saú­de do Mi­nis­té­rio da Saú­de, Edu­ar­do Ma­cá­rio, par­ti­ci­pou ho­je (14) de en­tre­vis­ta no Pa­lá­cio do Pla­nal­to so­bre covid-​19 no Bra­sil. Ele apre­sen­tou da­dos cap­ta­dos pe­lo SUS No­ti­fi­ca, sis­te­ma cri­a­do no iní­cio da pan­de­mia pa­ra reu­nir os da­dos so­bre o no­vo co­ro­na­ví­rus no país.

Rahel Patrasso/​Reuters

Se­gun­do o se­cre­tá­rio, até o mo­men­to fo­ram iden­ti­fi­ca­dos 199.768 pro­fis­si­o­nais de saú­de com sus­pei­ta de covid-​19. Des­tes, 31.790 fo­ram con­fir­ma­dos e 114.301 es­tão em in­ves­ti­ga­ção. Ou­tros 53.677 des­car­ta­dos. Do to­tal dos ca­sos sus­pei­tos, as mo­da­li­da­des mais atin­gi­das são téc­ni­cos ou au­xi­li­a­res de en­fer­ma­gem (34,2%), en­fer­mei­ro (16,9%), mé­di­co (13,3%), re­cep­ci­o­nis­ta (4,3%).

Tendência de alta

Edu­ar­do Ma­cá­rio res­sal­tou que o Bra­sil pas­sou a Fran­ça em nú­me­ro de ca­sos. De acor­do com o grá­fi­co, o Bra­sil apre­sen­ta uma ten­dên­cia de al­ta, as­sim co­mo os Es­ta­dos Uni­dos, en­quan­to ou­tros paí­ses com gran­de nú­me­ro de ca­sos já si­na­li­zam uma ten­dên­cia de que­da.

“Es­ta­mos nu­ma ten­dên­cia cres­cen­te prin­ci­pal­men­te por con­ta do quan­ti­ta­ti­vo de tes­tes as­sim co­mo a trans­mis­são que es­tá ocor­ren­do em vá­ri­as ci­da­des. Es­ta­mos em uma as­cen­dên­cia no nú­me­ro de óbi­tos [por covid-​19], mos­tran­do que si­tu­a­ção epi­de­mi­o­ló­gi­ca é de aler­ta no Bra­sil. Não há pers­pec­ti­va de es­ta­bi­li­za­ção ou di­mi­nui­ção”, pon­tu­ou o se­cre­tá­rio.

Es­sa ava­li­a­ção, acres­cen­tou, ser­ve pa­ra os ges­to­res lo­cais ba­li­za­rem su­as me­di­das e pa­ra que a po­pu­la­ção to­me os de­vi­dos cui­da­dos pa­ra evi­tar a in­fec­ção. Ele de­fen­deu a es­tra­té­gia de tes­tar, iden­ti­fi­car os in­fec­ta­dos e iso­lar os con­ta­tos.

Con­tu­do, não co­men­tou as me­di­das de dis­tan­ci­a­men­to mais rí­gi­das sen­do ado­ta­das por di­ver­sos es­ta­dos e ci­da­des nem in­for­mou co­mo fi­cou a si­tu­a­ção das ori­en­ta­ções pa­ra o dis­tan­ci­a­men­to cu­ja ver­são pre­li­mi­nar foi anun­ci­a­da na segunda-feira(11). On­tem o Mi­nis­té­rio da Saú­de can­ce­lou a en­tre­vis­ta co­le­ti­va diá­ria sob a ale­ga­ção de que não ha­via con­se­gui­do con­sen­so com se­cre­tá­ri­os es­ta­du­ais e mu­ni­ci­pais.

Estados e cidades

De acor­do com o ma­pa do Mi­nis­té­rio da Saú­de, em 2.988 ci­da­des do país já fo­ram re­gis­tra­dos ca­sos da do­en­ça. E em ou­tros 1.087 mu­ni­cí­pi­os já ocor­re­ram óbi­tos por con­ta da covid-​19. A equi­pe da pas­ta tam­bém ela­bo­rou le­van­ta­men­to pa­ra iden­ti­fi­car a ve­lo­ci­da­de de avan­ço da pan­de­mia, con­si­de­ran­do a evo­lu­ção a par­tir do re­gis­tro do 50º ca­so. Es­te in­di­ca­dor não com­pa­ra o nú­me­ro de ca­sos.

No Bra­sil, a mé­dia de au­men­to diá­rio dos ca­sos de covid-​19 foi de 7,3%. Na Re­gião Nor­des­te, os es­ta­dos com mai­or ve­lo­ci­da­de de dis­se­mi­na­ção do ví­rus são a Pa­raí­ba, com 10,4%; e Ma­ra­nhão, 8,9%. Na Re­gião Nor­te, os de mai­or in­ten­si­da­de de au­men­to da epi­de­mia são Pa­rá (10,4%) e Ama­zo­nas (9,1%). No Su­des­te, os es­ta­dos com evo­lu­ção mais rá­pi­da da pan­de­mia são Rio de Ja­nei­ro ( 6,4%) e São Pau­lo (6,1%). No Sul, Rio Gran­de do Sul (5,8%) e San­ta Ca­ta­ri­na (5,1%). E no Centro-​Oeste, Ma­to Gros­so (7,2%) e Dis­tri­to Fe­de­ral (6,8%).

Testes de covid-19

Ma­cá­rio de­cla­rou que fo­ram dis­tri­buí­dos até ago­ra três mi­lhões de tes­tes. Se­gun­do ele, ago­ra o mo­men­to é da 2ª fa­se, pa­ra a qual es­tá pre­vis­to o en­ca­mi­nha­men­to de se­te mi­lhões de tes­tes de la­bo­ra­tó­rio (PCR) e 9,5 mi­lhões de kits pa­ra exa­mes so­ro­ló­gi­cos. Até o fim do ano, a pre­vi­são é che­gar a 46 mi­lhões re­a­li­za­dos. De acor­do com o re­pre­sen­tan­te do Mi­nis­té­rio da Saú­de, 128 mil exa­mes ain­da es­tão em pro­ces­sa­men­to.

Fon­te: Agên­cia Bra­sil

,