A Controladoria-​Geral da União (CGU) res­trin­giu o aces­so a do­cu­men­tos so­li­ci­ta­dos por meio da Lei de Aces­so à In­for­ma­ção (LAI). De acor­do com re­por­ta­gem do jor­nal O Glo­bo, pa­re­ce­res ju­rí­di­cos ela­bo­ra­dos pe­los mi­nis­té­ri­os que fo­rem en­vi­a­dos co­mo re­co­men­da­ção à Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca na san­ção ou ve­to de pro­je­tos apro­va­dos no Con­gres­so se­rão con­si­de­ra­dos si­gi­lo­sos a par­tir de agora.

Arquivo/​Governo

O no­vo en­ten­di­men­to da CGU ser­viu pa­ra bar­rar o aces­so às su­ges­tões de ve­to en­ca­mi­nha­das pe­los mi­nis­té­ri­os ao pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro no fim do ano pas­sa­do, quan­do ele san­ci­o­nou o pro­je­to de abu­so de au­to­ri­da­de, in­for­ma a re­por­ta­gem de Fran­cis­co Le­a­li. Na épo­ca, o en­tão mi­nis­tro da Jus­ti­ça, Ser­gio Mo­ro, e a CGU re­co­men­da­ram o ve­to de par­te do tex­to do Con­gres­so. Nem to­dos fo­ram acolhidos.

Es­ta não é a pri­mei­ra vez que o go­ver­no Bol­so­na­ro di­fi­cul­ta o aces­so a in­for­ma­ções que de­ve­ri­am ser pú­bli­cas. No iní­cio do ano pas­sa­do um de­cre­to as­si­na­do pe­lo en­tão pre­si­den­te em exer­cí­cio, Ha­mil­ton Mou­rão, am­pli­ou o rol de ser­vi­do­res com po­der pa­ra clas­si­fi­car do­cu­men­tos co­mo si­gi­lo­sos. O de­cre­to foi der­ru­ba­do pe­lo Congresso.

Re­cen­te­men­te, já no meio da pan­de­mia, o go­ver­no edi­tou uma me­di­da pro­vi­só­ria pa­ra de­so­bri­gar ór­gãos pú­bli­cos a res­pon­de­rem a pe­di­dos de in­for­ma­ção. A MP foi sus­pen­sa pe­lo Su­pre­mo Tri­bu­nal Federal.

Fon­te: Con­gres­so em Foco

,