O Mi­nis­té­rio da Saú­de anun­ci­ou nes­te sá­ba­do (27) que vai fir­mar um acor­do de co­o­pe­ra­ção en­tre a Fun­da­ção Oswal­do Cruz (Fi­o­cruz), Uni­ver­si­da­de de Ox­ford e As­tra­Ze­ne­ca pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to tec­no­ló­gi­co e aces­so do Bra­sil à va­ci­na pa­ra covid-​19.

Reprodução/​TV Bra­sil


Ministério da Saúde anuncia parceria para produção de vacina contra covid-19

O acor­do pre­vê a com­pra de lo­tes da va­ci­na e da trans­fe­rên­cia de tec­no­lo­gia. A prin­cí­pio, se­rão dois lo­tes en­tre­gues en­tre de­zem­bro de 2020 e ja­nei­ro de 2021, to­ta­li­zan­do 30 mi­lhões de do­ses. Se de­mons­tra­da efi­cá­cia, ha­ve­rá mais 70 mi­lhões de do­ses à dis­po­si­ção da po­pu­la­ção bra­si­lei­ra. A pri­o­ri­da­de, nes­te ca­so, se­rá a va­ci­na­ção de po­pu­la­ção vul­ne­rá­vel, pro­fis­si­o­nais de saú­de e se­gu­ran­ça pú­bli­ca.

Nes­sa fa­se ini­ci­al, o va­lor to­tal se­rá de U$ 127 mi­lhões, dos quais U$ 30 mi­lhões se­rão des­ti­na­dos à aqui­si­ção de in­su­mo e ade­qua­ção do par­que fa­bril de Bio-​Manguinhos. Ca­da do­se cus­ta­rá U$ 2,30.

“É um gran­de avan­ço no de­sen­vol­vi­men­to tec­no­ló­gi­co e ci­en­tí­fi­co. Nes­ta en­tre­ga es­tão pre­vis­tos dois lo­tes de cer­ca de 30 mi­lhões de do­ses. Mas es­sa va­ci­na já es­tá na fa­se clí­ni­ca e nos­so país é mem­bro do con­jun­to de paí­ses que es­tão tes­tan­do o me­di­ca­men­to. Pe­la USP, en­tre dois e cin­co mil bra­si­lei­ros vão par­ti­ci­par des­se es­tu­do. Não so­mos os úni­cos a tes­tar e, por­tan­to, te­mos opor­tu­ni­da­de de pro­du­zir­mos e avan­çar­mos com a ofer­ta des­sa en­co­men­da tec­no­ló­gi­ca. É ób­vio que a en­tre­ga pa­ra a po­pu­la­ção se­rá fei­ta me­di­an­te pro­to­co­los far­ma­co­ló­gi­cos de se­gu­ran­ça”, dis­se­ram os téc­ni­cos do mi­nis­té­rio.

O acor­do tem du­as eta­pas. Co­me­ça com uma en­co­men­da em que o Bra­sil as­su­me tam­bém os ris­cos da pes­qui­sa. Ou se­ja, se­rá pa­ga pe­la tec­no­lo­gia mes­mo não ten­do os re­sul­ta­dos dos en­sai­os clí­ni­cos fi­nais. Em uma se­gun­da fa­se, ca­so a va­ci­na se mos­tre efi­caz e se­gu­ra, se­rá am­pli­a­da a com­pra.

“Os re­sul­ta­dos de efi­cá­cia se­rão ava­li­a­dos mês a mês e a ideia é que os re­sul­ta­dos pre­li­mi­na­res se­jam apre­sen­ta­dos en­tre ou­tu­bro e no­vem­bro [de 2020]. Os pa­ci­en­tes se­rão acom­pa­nha­dos por um ano, mas até ou­tu­bro já te­re­mos da­dos pre­li­mi­na­res da va­ci­na”, apon­ta­ram os téc­ni­cos.

O go­ver­no fe­de­ral con­si­de­ra que es­se ris­co de pes­qui­sa e pro­du­ção ne­ces­sá­rio de­vi­do a ur­gên­cia pe­la bus­ca de uma so­lu­ção efe­ti­va pa­ra ma­nu­ten­ção da saú­de pú­bli­ca.

“Ca­so a va­ci­na não se mos­tre efi­caz, aci­ma de tu­do, te­re­mos aces­so a in­su­mos ad­qui­ri­dos que po­de­rão nos aju­dar na fa­bri­ca­ção de ou­tras va­ci­nas. O que é im­por­tan­te. Nós ire­mos apren­der com a trans­fe­rên­cia da tec­no­lo­gia e a va­ci­na se­rá pro­du­zi­da e en­va­sa­da em nos­so ter­ri­tó­rio por Bio-​Manguinhos”, com­ple­men­ta­ram.

Se a va­ci­na for se­gu­ra e efi­caz e ti­ver o re­gis­tro no Bra­sil, se­rão mais 70 mi­lhões de do­ses, no va­lor es­ti­ma­do em US$ 2,30 por do­se. Com o acor­do que se­rá fir­ma­do, o Bra­sil se co­lo­ca na li­de­ran­ça do de­sen­vol­vi­men­to da va­ci­na con­tra o co­ro­na­ví­rus. A ini­ci­a­ti­va, as­sim, não ape­nas ga­ran­te que o pro­du­to es­te­ja à dis­po­si­ção, mas da­rá au­to­no­mia bra­si­lei­ra na pro­du­ção.

“Uma vez che­ga­das as 30 mi­lhões de do­ses e ten­do a se­gu­ran­ça far­ma­co­di­nâ­mi­ca da va­ci­na, a dis­tri­bui­ção é rá­pi­da, ques­tão de se­ma­nas, por­que so­mos o SUS e te­mos lar­ga ex­pe­ri­ên­cia em va­ci­na­ção rá­pi­da. Fi­ze­mos es­tu­dos epi­de­mi­o­ló­gi­cos de qual a co­ber­tu­ra va­ci­nal que po­de­mos apre­sen­tar. Te­ría­mos pa­ra es­sa co­ber­tu­ra vá­ri­as ques­tões e cál­cu­los pa­ra che­gar­mos ao quan­ti­ta­ti­vo de do­ses. Nos­so es­tu­do diz que, con­fir­ma­da a efi­cá­cia, com apro­xi­ma­da­men­te 100 mi­lhões de do­ses te­ría­mos a co­ber­tu­ra dos pa­ci­en­tes ido­sos, com co­mor­bi­da­des, in­dí­ge­nas, pro­fis­si­o­nais de saú­de, pro­fes­so­res, pes­so­as em pri­va­ção de li­ber­da­de, pro­fis­si­o­nais da se­gu­ran­ça pú­bli­ca, mo­to­ris­tas de trans­por­te co­le­ti­vo.” An­tes da dis­tri­bui­ção, a va­ci­na tam­bém pre­ci­sa­rá pas­sar pe­lo cri­vo da An­vi­sa.

Além do mi­nis­té­rio da Eco­no­mia e a Fi­o­cruz, par­ti­ci­pa­ram do pro­ces­so de acor­do nos úl­ti­mos 15 di­as, a Ca­sa Ci­vil, o mi­nis­té­rio da Eco­no­mia, a Em­bai­xa­da Bri­tâ­ni­ca, o mi­nis­té­rio das Re­la­ções Ex­te­ri­o­res e a Controladoria-​geral da União.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,