Até o mo­men­to, 60.632 pes­so­as mor­re­ram em de­cor­rên­cia da pan­de­mia do no­vo co­ro­na­ví­rus no Bra­sil, se­gun­do atu­a­li­za­ção diá­ria do Mi­nis­té­rio da Saú­de di­vul­ga­da nes­ta quarta-​feira (1º). Nas úl­ti­mas 24 ho­ras, 1.038 pes­so­as per­de­ram a vi­da por con­ta da covid-​19. Ain­da há 3.931 óbi­tos em in­ves­ti­ga­ção.

Aman­da Perobelli/​Reuters

Con­tu­do, na ava­li­a­ção do Mi­nis­té­rio da Saú­de, o país atin­giu um platô, quan­do a cur­va do nú­me­ro de mor­tes en­tra em um mo­men­to de es­ta­bi­li­za­ção. Nas úl­ti­mas se­ma­nas, o to­tal de no­vos óbi­tos vêm os­ci­lan­do.

Ain­da de acor­do com o ba­lan­ço do Mi­nis­té­rio da Saú­de, fo­ram re­gis­tra­dos 46.712 no­vos ca­sos con­fir­ma­dos da do­en­ça. Com is­so, o to­tal de ca­sos acu­mu­la­dos de covid-​19 su­biu pa­ra 1.488.753. Di­fe­ren­te­men­te da cur­va de mor­tes, na evo­lu­ção dos nú­me­ros de pes­so­as in­fec­ta­das o Bra­sil se­gue su­bin­do.

“A cur­va de no­vos ca­sos vai nu­ma in­cli­na­ção e a cur­va dos óbi­tos tem se man­ti­do”, afir­mou o se­cre­tá­rio de Vi­gi­lân­cia em Saú­de do Mi­nis­té­rio da Saú­de, Ar­nal­do de Me­dei­ros, em en­tre­vis­ta co­le­ti­va ho­je no Pa­lá­cio do Pla­nal­to.

Da­dos do Mi­nis­té­rio da Saú­de mos­tram que 561.255 pa­ci­en­tes es­tão em ob­ser­va­ção, en­quan­to o to­tal de re­cu­pe­ra­dos des­de o iní­cio da pan­de­mia é de 826.866.

Con­for­me mos­tra ta­be­la do do Mi­nis­té­rio da Saú­de, os es­ta­dos on­de mais ocor­re­ram óbi­tos por covid-​19 fo­ram São Pau­lo (15.030), Rio de Ja­nei­ro (10.198), Ce­a­rá (6.180), Pa­rá (4.960) e Per­nam­bu­co (4.894). Já as Uni­da­des da Fe­de­ra­ção com me­nos óbi­tos fo­ram Ma­to Gros­so do Sul (85), To­can­tins (204), Ro­rai­ma (314), San­ta Ca­ta­ri­na (347) e Acre (370).

Até o mo­men­to, 5.021 mu­ni­cí­pi­os re­gis­tram ca­sos do no­vo co­ro­na­ví­rus, o que equi­va­le a 90,1% de to­das as ci­da­des do país. E 2.551 mu­ni­cí­pi­os re­gis­tra­ram óbi­tos por covid-​19, o equi­va­len­te a 45,8% das ci­da­des.

O bo­le­tim con­fir­mou a ten­dên­cia de in­te­ri­o­ri­za­ção da pan­de­mia. Há pou­co mais de um mês, eram re­gis­tra­dos mais óbi­tos nas ca­pi­tais do que nas de­mais ci­da­des. Es­ta pro­por­ção se in­ver­teu, che­gan­do na 26ª se­ma­na epi­de­mi­o­ló­gi­ca com 62% das mor­tes em con­sequên­cia da covid-​19 no in­te­ri­or e 38% nas ca­pi­tais.

Já quan­do con­si­de­ra­dos os ca­sos con­fir­ma­dos, há mais de dois me­ses, as no­ti­fi­ca­ções nas ca­pi­tais pas­sa­vam dos 60%. Na úl­ti­ma se­ma­na, es­te ín­di­ce caiu pa­ra pou­co me­nos de 50%, com mai­or ocor­rên­cia de pes­so­as in­fec­ta­das no in­te­ri­or.

SRAG

As hos­pi­ta­li­za­ções por Sín­dro­me Res­pi­ra­tó­ria Agu­da Gra­ve (SRAG) so­ma­ram até o mo­men­to 323.423. Des­te to­tal, 148.785 fo­ram por covid-​19 e 70.710 ain­da es­tão em in­ves­ti­ga­ção da cau­sa. Na úl­ti­ma se­ma­na, fo­ram no­ti­fi­ca­das 32.730 no­vas hos­pi­ta­li­za­ções, sen­do 20.246 (61,9%) por covid-​19.

Em re­la­ção ao per­fil dos in­ter­na­dos, 50% ti­nham aci­ma de 60 anos, 43% eram mu­lhe­res e 57% eram ho­mens. No re­cor­te por ra­ça e cor, 31,1% eram par­dos, 28% eram bran­cos, 4,6% eram pre­tos, 0,9% era ama­re­lo, 0,3% era in­dí­ge­na e ou­tros 35,1% não in­for­ma­ram es­sa ca­rac­te­rís­ti­ca.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,