O vo­lu­me li­be­ra­do pa­ra fi­nan­ci­a­men­to imo­bi­liá­rio com re­cur­sos da pou­pan­ça no Bra­sil au­men­tou 29% no pri­mei­ro se­mes­tre des­te ano em com­pa­ra­ção ao pri­mei­ro se­mes­tre de 2019, al­can­çan­do R$ 43,4 bi­lhões. O va­lor é vol­ta­do ao fi­nan­ci­a­men­to da aqui­si­ção e cons­tru­ção de imó­veis. Os da­dos fo­ram di­vul­ga­dos ho­je (23) pe­la As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra das En­ti­da­des de Cré­di­to Imo­bi­liá­rio e Pou­pan­ça (Abe­cip).

To­maz Silva/​Agência Bra­sil

As uni­da­des da fe­de­ra­ção que ti­ve­ram as mai­o­res va­ri­a­ções com­pa­ran­do os pri­mei­ros se­mes­tre de 2019 e 2020 fo­ram To­can­tins, com um au­men­to de 117%; Acre, com 101%; e, Dis­tri­to Fe­de­ral, com 97%. Já aque­les que ti­ve­ram as me­no­res va­ri­a­ções fo­ram o Rio de Ja­nei­ro, com que­da de 1%; Pa­rá, com au­men­to de 2%; e Ce­a­rá, com au­men­to de 6%.

“Com a pan­de­mia, com to­da es­sa si­tu­a­ção que es­ta­mos vi­ven­do, ain­da te­mos um cres­ci­men­to”, diz a pre­si­den­te da Abe­cip, Cris­ti­a­ne Por­tel­la. “Es­se pri­mei­ro se­mes­tre é um pri­mei­ro se­mes­tre que foi mai­or que o pri­mei­ro se­mes­tre do ano pas­sa­do em to­das as re­giões do país, com a ex­ce­ção do Rio”.

Cris­ti­a­ne en­fa­ti­za, no en­tan­to, que o pri­mei­ro se­mes­tre de 2019 foi me­nos aque­ci­do que o se­gun­do se­mes­tre do ano pas­sa­do. A com­pa­ra­ção des­te ano é, por­tan­to, fei­ta com o pe­río­do de me­nos aque­ci­men­to do fi­nan­ci­a­men­to imo­bi­liá­rio do ano pas­sa­do. No se­gun­do se­mes­tre de 2019, o va­lor fi­nan­ci­a­do che­gou a R$ 45 bi­lhões, to­ta­li­zan­do R$ 78,7 bi­lhões no ano.

A va­ri­a­ção no vo­lu­me fi­nan­ci­a­do ob­ser­va­da na com­pa­ra­ção do pri­mei­ro se­mes­tre de 2019 e de 2020 foi pu­xa­da prin­ci­pal­men­te pe­lo va­lor usa­do pa­ra fi­nan­ci­ar aqui­si­ções de imó­veis, que to­ta­li­zou, no país, R$ 34,1 bi­lhões, um au­men­to de 34% em re­la­ção aos R$ 25,5 bi­lhões usa­dos pa­ra es­se fim no mes­mo pe­río­do do ano pas­sa­do. O fi­nan­ci­a­men­to da aqui­si­ção de imó­veis usa­dos apre­sen­tou um au­men­to de 56% na com­pa­ra­ção en­tre os se­mes­tres, en­quan­to o de imó­veis no­vos au­men­tou 2%.

Já o fi­nan­ci­a­men­to usa­do pa­ra a cons­tru­ção de imó­veis nes­se pe­río­do te­ve um au­men­to de 12%, pas­san­do de R$ 8,2 bi­lhões no ano pas­sa­do pa­ra R$ 9,2 bi­lhões es­te ano.

Projeções

A ex­pec­ta­ti­va da Abe­cip é que, nes­te ano, os fi­nan­ci­a­men­tos cres­çam 12% em re­la­ção ao ano pas­sa­do. Es­sa ex­pec­ta­ti­va, do mês de ju­lho, au­men­tou em re­la­ção a cal­cu­la­da em ju­nho, quan­do esperava-​se um cres­ci­men­to de 7% no ano.

“O que a gen­te per­ce­beu é as pes­so­as es­tão sim com­pran­do imó­veis, se­ja pe­lo dé­fi­cit ha­bi­ta­ci­o­nal, se­ja pe­la con­jun­ção dos va­lo­res atra­ti­vos dos imó­veis, em ter­mos de va­lo­ri­za­ção, mais a ta­xa de ju­ros, se­ja pe­la ques­tão que mui­tos já ha­vi­am se pla­ne­ja­do, já ha­vi­am jun­ta­do o va­lor da en­tra­da e não vi­ram o seu flu­xo fi­nan­cei­ro tão se­ri­a­men­te afe­ta­do que fi­zes­se de­sis­tir dis­so. O que a gen­te per­ce­beu em maio e ju­nho é que o mer­ca­do con­ti­nu­ou vin­do”, diz, Cris­ti­a­ne.

A pre­si­den­te pon­de­ra, no en­tan­to, que an­tes da pan­de­mia, no co­me­ço des­te ano, a pro­je­ção de cres­ci­men­to pa­ra 2020 era 32%. Nos anos an­te­ri­o­res, en­tre 2018 e 2019, hou­ve um au­men­to de 37,1% con­si­de­ra­dos os fi­nan­ci­a­men­tos pa­ra cons­tru­ção e aqui­si­ção com re­cur­sos da pou­pan­ça. Uma no­va pro­je­ção de­ve­rá ser di­vul­ga­da em um mês pe­la Abe­cip.

Fon­te: Agên­cia Bra­sil

,