A Câ­ma­ra dei­xou ca­du­car a Me­di­da Pro­vi­só­ria 946/​20, que per­mi­te ao tra­ba­lha­dor sa­car até R$ 1.045 (um sa­lá­rio mí­ni­mo) do Fun­do de Ga­ran­tia do Tem­po de Ser­vi­ço (FGTS) em ra­zão da pan­de­mia de covid-​19 e trans­fe­re pa­ra es­se fun­do as con­tas in­di­vi­du­ais do an­ti­go PIS-​Pasep. Os de­pu­ta­dos ana­li­sa­ri­am as mu­dan­ças fei­tas pe­los se­na­do­res, que am­pli­a­ram as pos­si­bi­li­da­des de sa­que, in­cluin­do em ca­so de pe­di­do de de­mis­são e pa­ra quem fez acor­dos de re­du­ção de sa­lá­rio.

Fa­bio Ro­dri­gues Pozzebom/​Agência Bra­sil

As prin­ci­pais in­for­ma­ções des­te tex­to fo­ram en­vi­a­das an­tes pa­ra os as­si­nan­tes dos ser­vi­ços pre­mium do Con­gres­so em Fo­co. Cadastre-​se e fa­ça um test dri­ve. Aten­den­do a ape­lo do go­ver­no, que ale­ga­va pro­ble­mas no tex­to, o Ple­ná­rio de­ci­diu pe­la re­ti­ra­da de pau­ta por 294 vo­tos a fa­vor e 148 con­trá­ri­os, além de uma abs­ten­ção. Com is­so, a me­di­da per­de­rá va­li­da­de, vis­to que te­ria que ser vo­ta­da até ho­je (4). O re­sul­ta­do é uma vi­tó­ria do go­ver­no, que con­se­guiu reu­nir os vo­tos ne­ces­sá­ri­os com apoio dos par­ti­dos do cha­ma­do Cen­trão. A opo­si­ção vo­tou con­tra a re­ti­ra­da de pau­ta.

O re­la­tor do tex­to, de­pu­ta­do Mar­cel Van Hat­tem (Novo-​RS), cri­ti­cou a ar­ti­cu­la­ção do go­ver­no, ten­do em vis­ta que a me­di­da foi re­la­ta­da no Se­na­do pe­lo lí­der do go­ver­no na­que­la Ca­sa, se­na­dor Fer­nan­do Be­zer­ra Co­e­lho (MDB-​PE). “A fal­ta de diá­lo­go en­tre as du­as li­de­ran­ças, creio eu, aca­bou re­dun­dan­do nes­te re­sul­ta­do”, la­men­tou ele.

Novo projeto

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), afir­mou que o sa­que emer­gen­ci­al do FGTS du­ran­te a pan­de­mia se­rá ob­je­to de um pro­je­to de lei a ser vo­ta­do até a pró­xi­ma quarta-​feira (12). “O me­lhor ca­mi­nho se­rá um pro­je­to de lei, que te­rá a ur­gên­cia vo­ta­da, e se­rá ana­li­sa­do até quarta-​feira que vem. E o pro­je­to or­ga­ni­za os efei­tos da me­di­da pro­vi­só­ria”, dis­se ele.

“O go­ver­no es­ta­va mui­to pre­o­cu­pa­do com o im­pac­to so­bre o FGTS. Sa­be­mos das pre­o­cu­pa­ções le­gí­ti­mas do re­la­tor em re­la­ção à ques­tão do apoio às pes­so­as nes­se mo­men­to de cri­se, mas nós va­mos ter chan­ce de de­ba­ter pe­lo me­nos a ga­ran­tia do sa­que, dos R$ 1.045, pa­ra to­dos aque­les que pre­ci­sa­rem num pro­je­to de lei à par­te”, dis­se o lí­der do go­ver­no, Vi­tor Hu­go (PSL-​GO).

O lí­der ale­gou que as al­te­ra­ções te­ri­am im­pac­to de até R$ 120 bi­lhões e iri­am pre­ju­di­car o uso dos re­cur­sos do FGTS no fi­nan­ci­a­men­to da ha­bi­ta­ção de bai­xa ren­da. Ele tam­bém afir­mou que a re­ti­ra­da de pau­ta for­ne­ce mais tem­po pa­ra ne­go­ci­a­ção.

Se­gun­do o re­la­tor, me­ta­de dos be­ne­fi­ciá­ri­os do sa­que es­pe­ci­al não ti­ve­ram aces­so ao de­pó­si­to e mais de 80% não sa­ca­ram o di­nhei­ro ain­da.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

,