O Mi­nis­té­rio da Saú­de e a Agên­cia Na­ci­o­nal de Vi­gi­lân­cia Sa­ni­tá­ria (An­vi­sa) fo­ram in­for­ma­dos pe­la As­tra­Ze­ne­ca Plc da sus­pen­são dos tes­tes glo­bais de can­di­da­ta a va­ci­na con­tra covid-​19 da em­pre­sa, dis­se­ram as as­ses­so­ri­as de im­pren­sa da pas­ta e do ór­gão re­gu­la­dor em no­tas di­vul­ga­das na noi­te des­ta terça-​feira (8).

Da­do Ruvic/​Reuters

“O la­bo­ra­tó­rio As­tra­Ze­ne­ca anun­ci­ou a pa­ra­li­sa­ção do seu es­tu­do glo­bal pa­ra va­ci­na covid-​19. A de­ci­são foi do pró­prio la­bo­ra­tó­rio, que co­mu­ni­cou os paí­ses par­ti­ci­pan­tes so­bre sua de­ci­são”, dis­se a agên­cia, pri­mei­ra a se ma­ni­fes­tar no Bra­sil. “A An­vi­sa já re­ce­beu a men­sa­gem de sus­pen­são en­vi­a­da pe­lo la­bo­ra­tó­rio, já que o Bra­sil é um dos paí­ses do mun­do que par­ti­ci­pa do es­tu­do global”.

A agên­cia in­for­mou ain­da que aguar­da o en­vio de mais in­for­ma­ções so­bre os mo­ti­vos da sus­pen­são pa­ra ana­li­sar os da­dos e se pro­nun­ci­ar oficialmente.

Se­gun­do o si­te de no­tí­ci­as de saú­de Stat News, a sus­pen­são glo­bal pe­la As­tra­Ze­ne­ca se deu após uma sus­pei­ta de re­a­ção ad­ver­sa sé­ria em um par­ti­ci­pan­te do estudo.

Em no­ta, o Mi­nis­té­rio da Saú­de dis­se que a sus­pen­são tem­po­rá­ria do es­tu­do tem re­gras de­fi­ni­das em pro­to­co­lo e ba­se­a­das em pa­drão internacional.

“Trata-​se de pro­ce­di­men­to pa­drão de ava­li­a­ção de se­gu­ran­ça du­ran­te a re­a­li­za­ção de es­tu­dos clí­ni­cos pa­ra in­ves­ti­gar a cau­sa­li­da­de, ou se­ja, a re­la­ção en­tre o even­to ad­ver­so e a ad­mi­nis­tra­ção da va­ci­na”, dis­se, ao ci­tar que ór­gãos re­gu­la­tó­ri­os já ha­vi­am si­do no­ti­fi­ca­dos pe­lo pa­tro­ci­na­dor do estudo.

A pas­ta in­for­mou ain­da que a pau­sa nos tes­tes sig­ni­fi­ca que não ha­ve­rá in­clu­são, nes­te mo­men­to, de no­vos par­ti­ci­pan­tes. “O Mi­nis­té­rio da Saú­de foi no­ti­fi­ca­do por e-​mail nes­ta da­ta, pe­la As­tra­Ze­ne­ca, e re­for­ça o com­pro­mis­so em ga­ran­tir uma va­ci­na se­gu­ra e efi­caz em quan­ti­da­de pa­ra a po­pu­la­ção bra­si­lei­ra”, concluiu.

A va­ci­na de­sen­vol­vi­da pe­la As­tra­Ze­ne­ca, em par­cei­ra com a Uni­ver­si­da­de de Ox­ford, do Rei­no Uni­do, é ti­da pe­lo go­ver­no bra­si­lei­ro co­mo uma das prin­ci­pais apos­tas pa­ra a imu­ni­za­ção con­tra a covid-​19 no país.

Tam­bém em no­ta, a Fun­da­ção Oswal­do Cruz (Fi­o­cruz), en­ti­da­de do Mi­nis­té­rio da Saú­de res­pon­sá­vel pe­la pro­du­ção da va­ci­na no país, diz que foi in­for­ma­da pe­la As­tra­Ze­ne­ca da “sus­pen­são dos tes­tes clí­ni­cos em fa­se 3 e vai acom­pa­nhar os re­sul­ta­dos das in­ves­ti­ga­ções so­bre pos­sí­vel as­so­ci­a­ção de efei­to re­gis­tra­do com a va­ci­na pa­ra se pro­nun­ci­ar oficialmente”.

O go­ver­no bra­si­lei­ro, por meio do Mi­nis­té­rio da Saú­de e da Fi­o­cruz, as­si­nou um me­mo­ran­do de en­ten­di­men­to com a As­tra­Ze­ne­ca que pre­vê a com­pra de 30 mi­lhões de do­ses da va­ci­na, com en­tre­ga em de­zem­bro des­te ano e ja­nei­ro do ano que vem, e a pos­si­bi­li­da­de de aqui­si­ção de mais 70 mi­lhões se a va­ci­na ti­ver efi­cá­cia e se­gu­ran­ça comprovadas.

Além dis­so, o acor­do ini­ci­al pre­vê a trans­fe­rên­cia da tec­no­lo­gia de­sen­vol­vi­da pe­la Uni­ver­si­da­de de Ox­ford e pe­lo la­bo­ra­tó­rio As­tra­Ze­ne­ca pa­ra pro­du­ção lo­cal na Fi­o­cruz, com pre­vi­são do mi­nis­té­rio de iní­cio ain­da no pri­mei­ro se­mes­tre de 2021.

An­tes do anún­cio de sus­pen­são dos tes­tes pe­lo la­bo­ra­tó­rio, em reu­nião mi­nis­te­ri­al pe­la ma­nhã, o mi­nis­tro in­te­ri­no da Saú­de, ge­ne­ral Edu­ar­do Pa­zu­el­lo, che­gou a di­zer que a ex­pec­ta­ti­va do go­ver­no é po­der ini­ci­ar a va­ci­na­ção “de to­do mun­do” já em ja­nei­ro do ano que vem. Pa­zu­el­lo não ci­tou no­mi­nal­men­te a AstraZeneca.

“A gen­te es­tá fa­zen­do os con­tra­tos com quem fa­bri­ca a va­ci­na e a pre­vi­são é que a va­ci­na che­gue pa­ra nós a par­tir de ja­nei­ro do ano que vem e a gen­te co­me­ce a va­ci­nar to­do mun­do”, dis­se Pa­zu­el­lo, em re­pos­ta a uma you­tu­ber mi­rim que Bol­so­na­ro le­vou pa­ra a reu­nião pa­ra fa­zer per­gun­tas aos ministros.

O Bra­sil acu­mu­lou nes­ta ter­ça 4.162.073 ca­sos de Covid-​19, de acor­do com da­dos do Mi­nis­té­rio da Saú­de, sen­do o ter­cei­ro país em nú­me­ro de ca­sos no mun­do, atrás de Es­ta­dos Uni­dos e Ín­dia. O to­tal de mor­tes pe­la do­en­ça so­ma 127.464.

Fon­te: Con­gres­so em Foco

,