De olho na elei­ção mu­ni­ci­pal de 2020, o Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE) quer acres­cen­tar uma no­va re­gra na le­gis­la­ção elei­to­ral, pa­ra ten­tar di­mi­nuir a quan­ti­da­de de Fa­ke News di­vul­ga­da no plei­to do ano que vem.

Jo­sé Cruz/​Agência Bra­sil


Prédio do Tribunal Superior Eleitoral

O me­ca­nis­mo foi in­cluí­do pe­la pri­mei­ra vez em uma mi­nu­ta de re­so­lu­ção do TSE, que são as nor­mas que ori­en­tam a atu­a­ção da Jus­ti­ça Elei­to­ral du­ran­te as elei­ções. As in­for­ma­ções são da Fo­lha de S. Pau­lo.

O do­cu­men­to, dis­po­ni­bi­li­za­do pa­ra con­sul­ta pú­bli­ca em 8 de no­vem­bro, pre­vê que a uti­li­za­ção de in­for­ma­ções vei­cu­la­das por ter­cei­ros em pro­pa­gan­das “pres­su­põe que o can­di­da­to, par­ti­do ou co­li­ga­ção te­nha pro­ce­di­do à che­ca­gem da ve­ra­ci­da­de e fi­de­dig­ni­da­de”.
Leia mais

O mi­nis­tro da Edu­ca­ção, Abraham Wein­traub, res­pon­deu a uma usuá­ria do Twit­ter cha­man­do a mãe de­la de “égua sar­nen­ta e des­den­ta­da”. O co­men­tá­rio foi uma res­pos­ta a crí­ti­cas que Wein­traub re­ce­beu por de­fen­der a Mo­nar­quia du­ran­te o fe­ri­a­do da pro­cla­ma­ção da Re­pú­bli­ca na úl­ti­ma sexta-​feira (15).

Agên­cia Bra­sil


O ministro da Educação, Abraham Weintraub


Leia mais

A lis­ta das 100 mu­lhe­res mais in­flu­en­tes do mun­do, que to­do ano é ela­bo­ra­da pe­la BBC, traz uma no­vi­da­de bra­si­lei­ra nes­te ano: a de­pu­ta­da Ta­ba­ta Ama­ral (PDT-​SP). Ta­ba­ta re­pre­sen­ta o Bra­sil nes­sa re­la­ção jun­to com a fi­ló­so­fa Dja­mi­la Ri­bei­ro e en­trou no rol de mu­lhe­res mais in­flu­en­tes do mun­do por con­ta do ati­vis­mo em prol da edu­ca­ção.

Câ­ma­ra dos Deputados/​Divulgação


A deputada Tabata Amaral

“Ta­ba­ta Ama­ral, uma das mu­lhe­res mais jo­vens do con­gres­so do Bra­sil, cha­mou a aten­ção na­ci­o­nal es­te ano quan­do um ví­deo de­la ques­ti­o­nan­do o mi­nis­tro da Edu­ca­ção do país se tor­nou vi­ral”, ex­pli­ca a BBC. O por­tal ain­da des­ta­ca a tra­je­tó­ria de vi­da da de­pu­ta­da na pá­gi­na em que jus­ti­fi­ca as es­co­lhas des­te ano: “A jo­vem de 25 anos cres­ceu nos ar­re­do­res de São Pau­lo, on­de per­deu o pai por de­pen­dên­cia de dro­gas. Dedicando-​se à sua edu­ca­ção, ela ga­nhou um lu­gar na Uni­ver­si­da­de de Har­vard com uma bol­sa de es­tu­dos com­ple­ta e se for­mou em Ci­ên­cia Po­lí­ti­ca e As­tro­fí­si­ca. Co­mo par­la­men­tar, su­as prin­ci­pais agen­das são edu­ca­ção, di­rei­tos das mu­lhe­res, ino­va­ção po­lí­ti­ca e fu­tu­ro sus­ten­tá­vel”.
Leia mais

O pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), mi­nis­tro Di­as Tof­fo­li, de­ter­mi­nou que o Ban­co Cen­tral (BC) en­vi­as­se ao Su­pre­mo uma có­pia de to­dos os re­la­tó­ri­os de in­te­li­gên­cia fi­nan­cei­ra (RIF) pro­du­zi­dos pe­lo an­ti­go Con­se­lho de Con­tro­le de Ati­vi­da­des Fi­nan­cei­ras (Co­af) nos úl­ti­mos três anos.

Nel­son Jr/​STF


Ministro Dias Toffoli

Os da­dos men­ci­o­nam 600 mil pes­so­as, sen­do 412,5 mil fí­si­cas e 186,2 mil ju­rí­di­cas, e já es­tão dis­po­ní­veis pa­ra aces­so do ma­gis­tra­do. A jus­ti­fi­ca­ti­va do pre­si­den­te da Cor­te pa­ra so­li­ci­tar os da­dos é en­ten­der o pro­ce­di­men­to de ela­bo­ra­ção e tra­mi­ta­ção dos re­la­tó­ri­os fi­nan­cei­ros.
Leia mais

Du­as me­di­das pro­vi­só­ri­as es­tão pa­ra­das no Con­gres­so há mais de 65 di­as es­pe­ran­do que o pre­si­den­te do Se­na­do, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP), ins­ti­tua co­mis­sões es­pe­ci­ais pa­ra analisá-​las. Ca­so os tex­tos não se­jam vo­ta­dos pe­la Câ­ma­ra e pe­lo Se­na­do, eles per­dem o va­lor de lei.

Ro­que de Sá/​Agência Se­na­do


Brasília tem expectativa de dia tenso por causa da crise no partido do presidente da República e votações polêmicas

As du­as me­di­das pa­ra­li­sa­das são a MP 895, que cria a car­tei­ra de es­tu­dan­te di­gi­tal, e a MP 896, que dis­pen­sa a obri­ga­to­ri­e­da­de da pu­bli­ca­ção de li­ci­ta­ções de ór­gãos pú­bli­cos em jor​nais​.Na quinta-​feira pas­sa­da (7), o pra­zo de vi­gên­cia ini­ci­al das du­as me­di­das aca­bou. Nes­ses ca­sos, os tex­tos con­ti­nu­am em vo­ga e o tem­po de aná­li­se é du­pli­ca­do, so­man­do 120 di­as no to­tal. Ca­so não se­jam vo­ta­dos nes­se pe­río­do, as MPs ca­du­cam.
Leia mais

Lí­der do go­ver­no no Con­gres­so, o se­na­dor Edu­ar­do Go­mes (MDB-​TO) dis­se nes­ta terça-​feira (12) que a co­mis­são mis­ta que vai de­fi­nir o tex­to fi­nal da re­for­ma tri­bu­tá­ria só de­ve ser ins­ta­la­da no pró­xi­mo ano. Ele su­ge­riu que não há mais tem­po de cri­ar um con­sen­so so­bre a com­po­si­ção des­sa co­mis­são nes­te ano, o que de­ve atra­sar ain­da mais a apro­va­ção da me­di­da. Mas ga­ran­tiu que o adi­a­men­to não di­mi­nui as con­quis­tas econô­mi­cas ob­ti­das pe­lo go­ver­no no Con­gres­so Na­ci­o­nal nes­te ano.

Di­vul­ga­ção


PEC da reforma tributária está em discussão na Câmara e no Senado

“Não dá tem­po de fa­zer tu­do ao mes­mo tem­po. Só te­mos mais qua­tro se­ma­nas de ple­ná­rio, com Or­ça­men­to pa­ra ser apro­va­do ain­da”, ar­gu­men­tou Edu­ar­do Go­mes. Ele lem­brou que ain­da não há de­fi­ni­ção, por exem­plo, de quem se­rá o re­la­tor da re­for­ma tri­bu­tá­ria na co­mis­são mis­ta. Ho­je, o tex­to é re­la­ta­do por Agui­nal­do Ri­bei­ro (PP-​PB) na Câ­ma­ra e por Ro­ber­to Ro­cha (PSDB-​MA) no Se­na­do, mas um ter­cei­ro no­me de­ve ser es­co­lhi­do nes­ta co­mis­são, que te­rá co­mo ob­je­ti­vo jus­ta­men­te cri­ar um con­sen­so en­tre a Câ­ma­ra, o Se­na­do e o go­ver­no so­bre o tex­to da re­for­ma tri­bu­tá­ria.
Leia mais

O Se­na­do Fe­de­ral não con­se­guiu vo­tar na ses­são de­li­be­ra­ti­va des­ta terça-​feira (12) os des­ta­ques apre­sen­ta­dos à PEC pa­ra­le­la da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia por con­ta do bai­xo quó­rum. Mes­mo as­sim, a Ca­sa apro­vou ou­tras me­di­das de in­te­res­se do go­ver­no, co­mo a me­di­da pro­vi­só­ria que cria no­vas re­gras pa­ra o sa­que do FGTS.

Mar­cos Oliveira/​Agência Se­na­do

De acor­do com o tex­to apro­va­do pe­lo Se­na­do, o sa­que do FGTS que po­de­rá ser fei­to no mês de ani­ver­sá­rio po­de ser de até R$ 998 - va­lor su­pe­ri­or aos R$ 550 pro­pos­tos pe­lo go­ver­no na edi­ção des­sa me­di­da pro­vi­só­ria, em ju­lho. A me­di­da vai à san­ção.
Leia mais

O pro­gra­ma do go­ver­no fe­de­ral que quer in­cen­ti­var a con­tra­ta­ção de jo­vens no mer­ca­do de tra­ba­lho bra­si­lei­ro não foi mui­to bem re­ce­bi­do no Se­na­do. É que, en­tre os pon­tos do cha­ma­do Pro­gra­ma Ver­de e Ama­re­lo, es­tá a pos­si­bi­li­da­de de ta­xar o seguro-​desemprego. Os se­na­do­res não que­rem, con­tu­do, ta­xar o be­ne­fí­cio e, por is­so, já ava­li­am al­ter­na­ti­vas à pro­pos­ta. Lí­der do go­ver­no no Se­na­do, Fer­nan­do Be­zer­ra Co­e­lho (MDB-​PE) ad­mi­tiu que, di­an­te des­sa re­a­ção, se­rá pre­ci­so ajus­tar es­se pon­to do pro­gra­ma du­ran­te a vo­ta­ção do Con­gres­so.

Por­tal Bra­sil

“De fa­to, hou­ve uma re­a­ção mui­to for­te à ta­xa­ção so­bre o seguro-​desemprego den­tro do Se­na­do Fe­de­ral. En­tão, ago­ra, na apre­ci­a­ção da ma­té­ria na co­mis­são mis­ta, se ten­ta­rá iden­ti­fi­car ou­tras fon­tes pa­ra fi­nan­ci­ar a ge­ra­ção de em­pre­go, so­bre­tu­do pa­ra os jo­vens”, con­fir­mou Fer­nan­do Be­zer­ra Co­e­lho, mos­tran­do que o go­ver­no es­tá dis­pos­to a ne­go­ci­ar es­se pon­to do pro­gra­ma que foi anun­ci­a­do nes­sa segunda-​feira (12) pe­lo pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro e edi­ta­do por meio da me­di­da pro­vi­só­ria 905/​2019 nes­ta terça-​feira (12).
Leia mais

Sinterc 26 anos

quarta-feira, 13 de novembro de 2019 08:19 Comunicado

Até me­a­dos de 1993, nos­sa ca­te­go­ria pro­fis­si­o­nal era ape­nas par­te des­co­nhe­ci­da no meio de ou­tros se­to­res, cu­jo no­me “Re­fei­ções Co­le­ti­vas” nem so­a­va bem! Foi pre­ci­so mui­to tra­ba­lho pa­ra or­ga­ni­zar os tra­ba­lha­do­res e tra­ba­lha­do­ras e fazê-​los en­ten­der que jun­tos po­de­ría­mos mui­to mais: mais sa­lá­rio, mais be­ne­fí­ci­os, mais qua­li­da­de no am­bi­en­te de tra­ba­lho, mais ga­ran­ti­as de seus di­rei­tos. Daí, no dia 13 de no­vem­bro de 1993, foi fun­da­do o Sin­terc Norte/​Oeste do Es­ta­do de São Pau­lo.

Ano após ano, nos­sa ca­te­go­ria se des­ta­cou pe­las me­lho­ri­as e por sua in­de­pen­dên­cia da CLT (Con­so­li­da­ção das Leis Tra­ba­lhis­tas), pois os di­rei­tos dos tra­ba­lha­do­res e tra­ba­lha­do­ras fo­ram am­pli­a­dos e são re­no­va­dos por meio da Con­ven­ção Co­le­ti­va de Tra­ba­lho.

Ho­je, 26 anos após sua fun­da­ção, o Sin­terc é des­ta­que en­tre sin­di­ca­tos de vá­ri­as ca­te­go­ri­as, pois, ape­sar de to­da cri­se en­fren­ta­da pe­lo mo­vi­men­to sin­di­cal des­de a re­for­ma tra­ba­lhis­ta de 2017, não re­du­zi­mos nos­sa es­tru­tu­ra, não de­mi­ti­mos ne­nhum fun­ci­o­ná­rio e es­ta­mos em ple­na as­cen­são, com um nú­me­ro de as­so­ci­a­dos bem aci­ma da mé­dia (de 65% a 70%).

No pró­xi­mo ano es­ta­re­mos inau­gu­ran­do nos­sa Co­zi­nha Es­co­la e, já nes­te ano de 2019, pas­sa­mos a fun­ci­o­nar em no­va se­de ad­mi­nis­tra­ti­va. Es­ta­mos sem­pre nos rein­ven­tan­do pa­ra po­der ofe­re­cer mais e me­lhor pa­ra a nos­sa ca­te­go­ria.

Pa­ra­béns a to­dos. “Na cri­se, crie”.

À DIRETORIA

De­pu­ta­dos do PDT en­tra­ram, nes­ta segunda-​feira (11), com um man­da­do de se­gu­ran­ça no Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), con­tra o pre­si­den­te do Se­na­do, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP), com pe­di­do de li­mi­nar pa­ra se­jam re­me­ti­das à Câ­ma­ra as três pro­pos­tas de emen­da à Cons­ti­tui­ção (PECs) do pa­co­te do mi­nis­tro Pau­lo Gue­des. São elas: a 186/​2019 (Emer­gen­ci­al), a 187/​2019 (Re­vi­são dos Fun­dos) e a 188/​20219 (Pac­to Fe­de­ra­ti­vo).

Pe­dro França/​Agência Se­na­do


Senador assumiu autoria de propostas do governo, já que, pela Constituição, PECs começam tramitação pela Câmara quando são do Executivo

Os par­la­men­ta­res pe­de­tis­tas pe­dem, ain­da, a sus­pen­são da tra­mi­ta­ção das pro­po­si­ções até a de­ci­são do STF. A pe­ça é as­si­na­da pe­lo lí­der da ban­ca­da, An­dré Fi­guei­re­do (CE), e pe­los de­pu­ta­dos Pom­peo de Mat­tos (RS), Leô­ni­das Cris­ti­no (CE), Gus­ta­vo Fru­et (PR) e Tú­lio Ga­de­lha (PE). Eles ar­gu­men­tam que a Cons­ti­tui­ção de­ter­mi­na que pro­pos­tas de emen­da à Cons­ti­tui­ção e pro­je­tos de lei de au­to­ria do Exe­cu­ti­vo co­me­cem sua tra­mi­ta­ção pe­la Câ­ma­ra, o que não ocor­re nes­se ca­so.
Leia mais