Arquivos de Meio Ambiente

O Bra­sil vai à 25ª Con­fe­rên­cia das Na­ções Uni­das so­bre Mu­dan­ças Cli­má­ti­cas (COP25), que co­me­ça nes­ta segunda-​feira (2) na Es­pa­nha, com a in­ten­ção de ne­go­ci­ar com os paí­ses de­sen­vol­vi­dos o fi­nan­ci­a­men­to de pro­je­tos de pre­ser­va­ção am­bi­en­tal. A pro­pos­ta se­rá apre­sen­ta­da pe­lo go­ver­no fe­de­ral e rei­te­ra­da pe­los go­ver­na­do­res da Amazô­nia Le­gal, que di­zem ter che­ga­do a um con­sen­so com o Exe­cu­ti­vo no en­ten­di­men­to de que, por ser vi­tal pa­ra a ma­nu­ten­ção da tem­pe­ra­tu­ra do pla­ne­ta por con­ta da flo­res­ta amazô­ni­ca, o Bra­sil tem di­rei­to aos re­cur­sos in­ter­na­ci­o­nais pro­me­ti­dos pe­lo Acor­do de Pa­ris.

Agên­cia Bra­sil

Es­se dis­cur­so, po­rém, não foi com­pra­do da mes­ma for­ma pe­los am­bi­en­ta­lis­tas. Es­pe­ci­a­lis­tas ou­vi­dos pe­lo Con­gres­so em Fo­co ex­pli­cam que, pa­ra ter aces­so a es­ses re­cur­sos, o Bra­sil pre­ci­sa­ria es­tar cum­prin­do me­tas de pre­ser­va­ção am­bi­en­tal, co­mo a re­du­ção do des­ma­ta­men­to, o que não vem acon­te­cen­do. E lem­bram: o ape­lo re­ve­la uma mu­dan­ça de dis­cur­so do go­ver­no Bol­so­na­ro no que tan­ge à co­o­pe­ra­ção in­ter­na­ci­o­nal na pre­ser­va­ção am­bi­en­tal, já que no au­ge das quei­ma­das da Amazô­nia o Pla­nal­to ne­gou aju­da ex­ter­na, di­zen­do que não pre­ci­sa­va do au­xí­lio de paí­ses co­mo Fran­ça e Ale­ma­nha pa­ra man­ter a flo­res­ta de for­ma sus­ten­tá­vel.
Leia mais

Câmara discute desmatamento, queimadas e ameaças a ONGs

quinta-feira, 28 de novembro de 2019 09:53 Notícias

O des­ma­ta­men­to na Amazô­nia su­biu 29,5% en­tre 1º de agos­to do ano pas­sa­do e 31 de ju­lho des­te ano, em com­pa­ra­ção com os 12 me­ses an­te­ri­o­res. O ín­di­ce é o mais al­to des­de 2008 e, per­cen­tu­al­men­te, re­pre­sen­tam a mai­or ta­xa de um ano pa­ra o ou­tro dos úl­ti­mos 22 anos. Es­se ce­ná­rio crí­ti­co na re­gião amazô­ni­ca se­rá o te­ma do se­mi­ná­rio “Des­ma­ta­men­to e Quei­ma­das na Amazô­nia: Ten­dên­ci­as, Di­nâ­mi­cas e So­lu­ções”, que se­rá re­a­li­za­do na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, nes­ta quinta-​feira (28/​11), a par­tir das 9h.

Da­ni­el Beltrá/​Greenpeace


Queimada na floresta Amazônica

No even­to, o Ins­ti­tu­to de Es­tu­dos So­ci­o­e­conô­mi­cos (Inesc) di­vul­ga­rá aná­li­se do or­ça­men­to des­ti­na­do, nos úl­ti­mos cin­co anos, à pre­ven­ção e con­tro­le de in­cên­di­os flo­res­tais nas áre­as fe­de­rais pri­o­ri­tá­ri­as. Além dis­so, o Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sa Am­bi­en­tal da Amazô­nia (Ipam) apre­sen­ta­rá da­dos da tem­po­ra­da de fo­go na Amazô­nia, de agos­to a no­vem­bro de 2019.
Leia mais

Ins­ta­la­da nes­sa quarta-​feira (27) com o ob­je­ti­vo de apu­rar a ori­gem das man­chas de óleo que po­lu­em as prai­as bra­si­lei­ras, a CPI do Óleo já co­me­ça a tra­ba­lhar nes­ta quinta-​feira (28). De­sig­na­do re­la­tor da Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to (CPI), João Cam­pos (PSB-​PE) ex­pli­cou que os de­pu­ta­dos fa­rão um “in­ten­si­vo” nas pró­xi­mas se­ma­nas pa­ra co­me­çar a avan­çar com es­sa in­ves­ti­ga­ção an­tes mes­mo do re­ces­so par­la­men­tar do fi­nal do ano.

Adema/​Governo do Ser­gi­pe


Manchas de óleo contaminam praias do Nordeste

Nes­ta quin­ta, de­vem ser vo­ta­dos o pla­no de tra­ba­lho e os re­que­ri­men­tos da CPI, que pro­me­te fa­zer vi­si­tas ex­ter­nas, pro­cu­rar ór­gãos co­mo o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral e ou­vir au­to­ri­da­des co­mo o mi­nis­tro Ri­car­do Sal­les pa­ra iden­ti­fi­car e pu­nir os res­pon­sá­veis pe­lo der­ra­ma­men­to de óleo que já du­ra qua­se três me­ses.
Leia mais

A gri­la­gem foi res­pon­sá­vel por 35% das áre­as des­ma­ta­das na flo­res­ta Amazô­ni­ca en­tre agos­to de 2018 e ju­lho de 2019, se­gun­do o Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sas da Amazô­nia (Ipam), que ana­li­sou os da­dos do Pro­je­to de Mo­ni­to­ra­men­to do Des­ma­ta­men­to na Amazô­nia Le­gal por Sa­té­li­te (Pro­des), di­vul­ga­dos pe­lo Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Pes­qui­sa Es­pa­ci­al (In­pe) na segunda-​feira (18).

Reprodução/​Congresso em Fo­co


Desmatamento na Amazônia

Pa­ra che­gar a es­se nú­me­ro, o Ipam di­vi­diu os re­sul­ta­dos do Pro­des por ca­te­go­ria fun­diá­ria, des­co­brin­do que 35% do va­lor to­tal de des­ma­ta­men­to acon­te­ceu em áre­as não-​designadas e sem in­for­ma­ção, o que in­di­ca­ria gri­la­gem. O nú­me­ro, no en­tan­to, po­de ser ain­da pi­or, ca­so se­ja acres­cen­ta­do o des­ma­ta­men­to em áre­as pro­te­gi­das, che­gan­do a 44% do to­tal, se­gun­do a ins­ti­tui­ção.
Leia mais

A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos vai ins­ta­lar uma Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to (CPI) pa­ra in­ves­ti­gar a ori­gem das man­chas de óleo que atin­gem as prai­as do Nor­des­te e do Es­pí­ri­to San­to. Pro­pos­ta pe­lo de­pu­ta­do João Cam­pos (PSB-​PE) com o apoio de 267 par­la­men­ta­res, a CPI do Va­za­men­to de Óleo já re­ce­beu o aval do pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ). A de­ci­são cons­ta de des­pa­cho di­vul­ga­do nes­ta segunda-​feira (18) e se­rá li­da no ple­ná­rio nos pró­xi­mos di­as pa­ra que os lí­de­res par­ti­dá­ri­os in­di­quem os mem­bros do co­le­gi­a­do.

Raul Spinassé/​Folhapress


Pedido da CPI do Vazamento de Óleo foi apresentado pelo deputado João Campos com 267 assinaturas

“Es­ta pre­si­dên­cia dá co­nhe­ci­men­to ao Ple­ná­rio da cri­a­ção da Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to com a fi­na­li­da­de de in­ves­ti­gar as ori­gens das man­chas de óleo que se es­pa­lham pe­lo li­to­ral do Nor­des­te, bem co­mo ava­li­ar as me­di­das que es­tão sen­do to­ma­das pe­los ór­gãos com­pe­ten­tes, apu­rar res­pon­sa­bi­li­da­des pe­lo va­za­men­to e pro­por ações que mi­ti­guem ou ces­sem os atu­ais da­nos e a ocor­rên­cia de no­vos aci­den­tes”, diz o des­pa­cho as­si­na­do por Maia.
Leia mais

De­mi­ti­do do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Pes­qui­sas Es­pa­ci­ais (In­pe) após a di­vul­ga­ção dos pri­mei­ros aler­tas so­bre o au­men­to do des­ma­ta­men­to na Amazô­nia, o fí­si­co Ri­car­do Gal­vão dis­se que o cres­ci­men­to de 30% da área des­ma­ta­da, con­fir­ma­do nes­ta segunda-​feira (18) pe­lo go­ver­no fe­de­ral, com­pro­va os aler­tas emi­ti­dos em agos­to e in­di­ca que o Bra­sil não vai con­se­guir cum­prir a Po­lí­ti­ca Na­ci­o­nal so­bre Mu­dan­ça do Cli­ma. Ins­ti­tuí­da pe­la Lei 12.187 de 2009, es­sa po­lí­ti­ca es­ta­be­le­ce me­tas de cres­ci­men­to econô­mi­co sus­ten­tá­vel co­mo a re­du­ção do des­ma­ta­men­to.

Reprodução/​Congresso em Fo­co


Desmatamento na Amazônia

“O Bra­sil tem o com­pro­mis­so, pe­la Lei 12.187, de até o ano de 2020 não ter um des­ma­ta­men­to aci­ma de 3,9 mil quilô­me­tros qua­dra­dos. Mas es­se ín­di­ce es­tá su­bin­do há três anos e ago­ra che­gou a qua­se 10 mil quilô­me­tros qua­dra­dos. É com­ple­ta­men­te fo­ra do com­pro­mis­so do go­ver­no bra­si­lei­ro”, ex­pli­cou o ex-​diretor do In­pe, Ri­car­do Gal­vão, fa­zen­do re­fe­rên­cia aos da­dos atu­a­li­za­dos do In­pe que fo­ram di­vul­ga­dos nes­ta segunda-​feira pe­los mi­nis­tros do Meio Am­bi­en­te, Ri­car­do Sal­les, e da Ci­ên­cia e Tec­no­lo­gia, Mar­cos Pon­tes.
Leia mais

Acu­sa­do de ter va­za­do óleo no Nor­des­te pe­lo mi­nis­tro do Meio Am­bi­en­te, Ri­car­do Sal­les; o Gre­en­pe­a­ce dis­se que o mi­nis­tro tem men­ti­do so­bre o de­sas­tre am­bi­en­tal que atin­ge o li­to­ral bra­si­lei­ro pa­ra “es­con­der sua in­com­pe­tên­cia em agir e pro­te­ger as pes­so­as e o meio am­bi­en­te”. “Sua pos­tu­ra não é dig­na do car­go que ocu­pa”, cri­ti­cou o Gre­en­pe­a­ce, que pro­me­te to­mar to­das as me­di­das le­gais ca­bí­veis con­tra a de­cla­ra­ção de Sal­les.

Jo­sé Cruz/​Agência Bra­sil


Salles sugeriu no Twitter que o óleo que polui o Nordeste vazou de um navio do Greenpeace

“En­quan­to o óleo con­ti­nua atin­gin­do as prai­as do Nor­des­te, o mi­nis­tro Ri­car­do Sal­les nos ata­ca in­si­nu­an­do que se­ría­mos os res­pon­sá­veis por tal de­sas­tre eco­ló­gi­co. Trata-​se, mais uma vez, de uma men­ti­ra pa­ra cri­ar uma cor­ti­na de fu­ma­ça na ten­ta­ti­va de es­con­der a in­ca­pa­ci­da­de de Sal­les em li­dar com a si­tu­a­ção. É bom lem­brar que is­so vem de al­guém co­nhe­ci­do por men­tir que es­tu­da­va em Ya­le e ser con­de­na­do na Jus­ti­ça por frau­de am­bi­en­tal”, re­ba­teu o Gre­en­pe­a­ce, que es­tá ana­li­san­do quais me­di­das le­gais po­dem ser to­ma­das con­tra Sal­les. “As au­to­ri­da­des têm que as­su­mir res­pon­sa­bi­li­da­de e res­pon­der pe­lo Es­ta­do de Di­rei­to pe­los seus atos”, ar­gu­men­tou a or­ga­ni­za­ção não go­ver­na­men­tal em no­ta.
Leia mais

Em Lon­dres pa­ra uma sé­rie de com­pro­mis­sos ofi­ci­ais, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), co­brou do Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te um po­si­ci­o­na­men­to ofi­ci­al so­bre a de­cla­ra­ção do mi­nis­tro Ri­car­do Sal­les que su­ge­re que um na­vio do Gre­en­pe­a­ce va­zou óleo no li­to­ral do Nor­des­te. O pe­di­do de Maia te­ve qua­se três mil “li­kes” no Twit­ter, mas re­ce­beu, co­mo res­pos­ta de Sal­les, mais uma acu­sa­ção con­tra a or­ga­ni­za­ção não go­ver­na­men­tal.

Reprodução/​Twitter


Salles publicou uma foto do navio do Greenpeace no Twitter, relacionando a ONG ao óleo no Nordeste

“Pre­si­den­te, o na­vio do Gre­en­pe­a­ce con­fir­ma que na­ve­gou pe­la cos­ta do Bra­sil na épo­ca do apa­re­ci­men­to do óleo ve­ne­zu­e­la­no, e as­sim co­mo seus mem­bros em ter­ra, não se pron­ti­fi­cou a aju­dar”, es­cre­veu Sal­les em res­pos­ta a Maia. Foi a mes­ma res­pos­ta ofi­ci­al que o Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te en­vi­ou ao Con­gres­so em Fo­co. Ve­ja:
Leia mais

O Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te co­me­teu uma sé­rie de vi­o­la­ções no tra­ta­men­to que deu ao pro­ble­ma das man­chas de pe­tró­leo nas prai­as nor­des­ti­nas, se­gun­do um do­cu­men­to for­mu­la­do pe­lo go­ver­no em 2018, o Pla­no Na­ci­o­nal de Con­tin­gên­cia pa­ra In­ci­den­tes de Po­lui­ção por Óleo em Águas sob Ju­ris­di­ção Na­ci­o­nal (PNC).

Sal­ve Ma­ra­caí­pe


Na praia de Ponta dos Mangues, em Sergipe, óleo chegou à areia

Ca­so a pas­ta ti­ves­se se­gui­do à ris­ca as ins­tru­ções do tex­to, o pla­no te­ria si­do ins­ti­tuí­do em 2 de se­tem­bro, mas is­so só foi fei­to 41 di­as de­pois, em 11 de ou­tu­bro. O do­cu­men­to, que tem for­ça le­gal, foi cri­a­do a par­tir de um de­cre­to pre­si­den­ci­al de 2013 e te­ve sua pri­mei­ra ver­são fi­na­li­za­da em 2018, mas não foi pu­bli­ca­do ofi­ci­al­men­te. O tex­to não foi com­par­ti­lha­do com es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os e fi­cou res­tri­to à cú­pu­la do MMA, do Iba­ma, da Agên­cia Na­ci­o­nal do Pe­tró­leo (ANP) da e Ma­ri­nha.
Leia mais

O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro de­ter­mi­nou ur­gên­cia nas in­ves­ti­ga­ções so­bre o va­za­men­to de óleo que há mais de um mês atin­ge as prai­as da re­gião Nor­des­te. Em des­pa­cho pu­bli­ca­do nes­te sá­ba­do (5) em edi­ção ex­tra­or­di­ná­ria do Diá­rio Ofi­ci­al da União, o pre­si­den­te pe­de que três de seus mi­nis­té­ri­os vol­tem os olhos pa­ra o pro­ble­ma, a fim de iden­ti­fi­car as cau­sas e os res­pon­sá­veis pe­las man­chas de óleo, que têm po­luí­do e pro­vo­ca­do a mor­te de ani­mais em to­do o li­to­ral nor­des­ti­no. Se­gun­do o Iba­ma, mais de 128 lo­ca­li­da­des de 61 mu­ni­cí­pi­os já fo­ram afe­ta­das.

Re­pro­du­ção


Manchas de óleo têm sido vistas em todo o litoral nordestino. Na foto, exemplo de contaminação em Sergipe

“De­ter­mi­no ao Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, por in­ter­mé­dio da Po­lí­cia Fe­de­ral, ao Mi­nis­té­rio da De­fe­sa, por in­ter­mé­dio do Co­man­do da Ma­ri­nha, sem pre­juí­zo de ações co­or­de­na­das com o Co­man­do do Exér­ci­to e com o Co­man­do da Ae­ro­náu­ti­ca, e ao Mi­nis­té­rio do Meio Am­bi­en­te, por in­ter­mé­dio do Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro do Meio Am­bi­en­te e dos Re­cur­sos Na­tu­rais Re­no­vá­veis - Iba­ma e do Ins­ti­tu­to Chi­co Men­des de Con­ser­va­ção da Bi­o­di­ver­si­da­de, ca­da ór­gão no âm­bi­to de su­as res­pec­ti­vas com­pe­tên­ci­as, in­ves­ti­guem as cau­sas e apu­rem as res­pon­sa­bi­li­da­des so­bre as man­chas de óleo que atin­gi­ram o li­to­ral do nor­des­te bra­si­lei­ro nos úl­ti­mos di­as”, diz o des­pa­cho do pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, que foi pu­bli­ca­do pe­lo mi­nis­tro do Meio Am­bi­en­te, Ri­car­do Sal­les, nas re­des so­ci­ais.
Leia mais