Arquivos de Política

Lula quer Recife como primeira viagem após sair da prisão

segunda-feira, 11 de novembro de 2019 09:36 Notícias

A pri­mei­ra vi­a­gem po­lí­ti­ca que o ex-​presidente Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va (PT) de­ve par­ti­ci­par após ter saí­do da pri­são em Cu­ri­ti­ba “pro­va­vel­men­te se­rá em Re­ci­fe”, dis­se ao Con­gres­so em Fo­co o de­pu­ta­do e ex-​líder do go­ver­no de Dil­ma Rous­seff na Câ­ma­ra Jo­sé Gui­ma­rães (PT-​CE).

Di­vul­ga­ção Te­re­sa Leitão/​PT


Ex-presidente deve participar de Festival Lula Livre nos dias 17 e 18 de novembro

De acor­do com o de­pu­ta­do, que ho­je é vice-​líder da mi­no­ria, a vi­a­gem de­ve acon­te­cer ain­da no mês de no­vem­bro e an­tes do Con­gres­so Na­ci­o­nal do PT, mar­ca­do pa­ra os di­as 22, 23 e 24 em São Pau­lo, quan­do Glei­si Hoff­mann de­ve ser re­e­lei­ta pre­si­den­te do par­ti­do.
Leia mais

m uma cla­ra cam­pa­nha pós-​prisão, Luís Iná­cio Lu­la da Sil­va ado­tou tom de com­ba­ti­vi­da­de em São Ber­nar­do do Cam­pos no ABC Pau­lis­ta. Acom­pa­nha­do de Fer­nan­do Had­dad (PT), Mar­ce­lo Frei­xo (Psol), Gui­lher­me Bou­los (Psol) e de­mais li­de­ran­ças pe­tis­tas, o ex-​presidente enal­te­ceu os ali­a­dos foi pra ci­ma de Jair Bol­so­na­ro e dos seus mi­nis­tros de go­ver­no. Lu­la con­cla­mou os ali­as a lu­ta­rem ao seu la­do nas ru­as.

Ima­gem ar­qui­vo pes­so­al


Fernando Haddad, Marcelo Freixo e Paulo Teixeira

O ex-​presidente cha­mou a ju­ven­tu­de e ou­tros no­mes for­tes da es­quer­da pa­ra irem pa­ra as ru­as. “Frei­xo, Had­dad, Bou­los, PC­doB, que a gen­te es­te­ja na rua e so­bre­tu­do com a ju­ven­tu­de”, de­cla­rou. O pe­tis­ta de­cla­rou que a es­quer­da em 2022 irá ga­nhar as elei­ções. “Em 2022, a cha­ma­da es­quer­da que o Bol­so­na­ro tem tan­to me­do, vai der­ro­tar a ou­tra di­rei­ta”, dis­se.
Leia mais

Co­mo tem fei­to se­ma­nal­men­te des­de que se ele­geu, o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro faz uma li­ve nes­ta quinta-​feira (7). Nes­ta se­ma­na, o man­da­tá­rio cha­mou no­va­men­te o mi­nis­tro da pes­ca Jor­ge Seif Jú­ni­or, que de­cla­rou na se­ma­na pas­sa­da os pei­xes des­vi­a­ri­am do óleo que es­tá che­gan­do nas prai­as do nor­des­te há dois me­ses, por se­rem in­te­li­gen­tes.

Re­pro­du­ção


Live semanal do presidente Bolsonaro

Em uma ten­ta­ti­va de de­fen­der o mi­nis­tro, que foi ví­ti­ma de cha­co­ta nas re­des so­ci­ais, o pre­si­den­te rei­te­rou a fa­la e afir­mou: “Lo­gi­ca­men­te que al­guns [pei­xes] mor­rem em ra­zão da man­cha [de óleo], em es­pe­ci­al os que vi­vem mais na su­per­fí­cie co­mo o golfinho(sic) que pre­ci­sa res­pi­rar, acon­te­ce. Mas o pei­xe tem in­te­li­gên­cia, pô”, dis­se Bol­so­na­ro.
Leia mais

O ex-​presidente Lu­la de­ve ser sol­to a qual­quer mo­men­to após a de­ci­são do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) con­trá­ria a pri­são em se­gun­da ins­tân­cia. Na vi­são do ad­vo­ga­do Gus­ta­vo Po­li­do, es­pe­ci­a­lis­ta em Di­rei­to Pe­nal e Pro­ces­so Pe­nal, a de­ci­são do STF tem efei­to ime­di­a­to. “Mas pro­va­vel­men­te, por ser o ca­so que é, vão man­dar pa­ra pu­bli­ca­ção no diá­rio ofi­ci­al e após a pu­bli­ca­ção te­rá va­li­da­de”, ava­lia o ad­vo­ga­do.

Pau­lo Pinto/​Agência PT


Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

O ex-​presidente foi pre­so após re­ce­ber con­de­na­ção em se­gun­do grau pe­lo Tri­bu­nal Re­gi­o­nal Fe­de­ral da 4ª Re­gião, no ca­so do tri­plex do Gua­ru­já. Co­mo o jul­ga­men­to do STF foi de re­per­cus­são ge­ral, to­dos os pro­ces­sos em que ti­ve­rem pre­sos nes­ta si­tu­a­ção do ex-​presidente Lu­la, o juiz de­ve­ria sol­tar de ofí­cio, ou se­ja, sem a ne­ces­si­da­de da de­fe­sa en­trar com pe­di­do.
Leia mais

Os mi­nis­tros do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) de­ci­di­ram nes­ta quinta-​feira (7) em fa­vor de três ações que pe­di­am o fim da pri­são em se­gun­da ins­tân­cia. A mu­dan­ça de en­ten­di­men­to po­de be­ne­fi­ci­ar 4.895 pre­sos, en­tre eles o ex-​presidente Lu­la.

Nel­son Jr/​STF


Ministros do STF

O jul­ga­men­to co­me­çou em 17 de ou­tu­bro e, após qua­tro di­as de jul­ga­men­to, foi fi­na­li­za­do nes­ta tar­de em uma ses­são que du­rou mais de 7 ho­ras. O cer­ne da ques­tão dis­cu­ti­da na Cor­te era se uma pes­soa po­de­ria co­me­çar a cum­prir pe­na após con­de­na­ção em se­gun­da ins­tân­cia ou se era ne­ces­sá­rio es­pe­rar até o es­go­ta­men­to dos re­cur­sos ju­rí­di­cos, si­tu­a­ção co­nhe­ci­da co­mo trân­si­to em jul­ga­do.
Leia mais

O Ple­ná­rio da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos apro­vou a Me­di­da Pro­vi­só­ria 889/​19, que mu­da as re­gras de sa­que do Fun­do de Ga­ran­tia do Tem­po de Ser­vi­ço (FGTS). O tex­to foi apro­va­do na for­ma de um pro­je­to de lei de con­ver­são e se­gui­rá pa­ra o Se­na­do.

Reprodução/​Congresso em Fo­co

A me­di­da ins­ti­tui a mo­da­li­da­de de saque-​aniversário, pe­la qual o tra­ba­lha­dor po­de fa­zer uso de par­te do di­nhei­ro a ca­da ano, in­de­pen­den­te­men­te de even­tos co­mo de­mis­são ou fi­nan­ci­a­men­to da ca­sa pró­pria. O tex­to apro­va­do, de au­to­ria do de­pu­ta­do Hu­go Mot­ta (Republicanos-​PB), mu­da vá­ri­os pon­tos da le­gis­la­ção do fun­do e au­men­ta de R$ 500 pa­ra R$ 998 o va­lor de sa­que úni­co au­to­ri­za­do pe­la MP.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

Em au­di­ên­cia pú­bli­ca na Câ­ma­ra, o ministro-​chefe do Ga­bi­ne­te de Se­gu­ran­ça Ins­ti­tu­ci­o­nal da Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca, ge­ne­ral Au­gus­to He­le­no, ga­ran­tiu que não há qual­quer pos­si­bi­li­da­de de que se­jam ado­ta­das me­di­das ex­tre­mas, co­mo “re­gi­mes di­ta­to­ri­ais, au­to­ri­ta­ris­mos e exor­bi­tân­ci­as”, pe­lo go­ver­no de Jair Bol­so­na­ro. O mi­nis­tro vi­nha sen­do pu­bli­ca­men­te cri­ti­ca­do por de­cla­ra­ção apoi­an­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro na de­fe­sa do re­tor­no de um AI-​5.

Cleia Viana/​Câmara dos De­pu­ta­dos


Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Augusto Heleno

“O go­ver­no Bol­so­na­ro de­fen­de a le­ga­li­da­de e o res­pei­to en­tre as ins­ti­tui­ções. Qual­quer cri­se so­ci­al tem que ser re­sol­vi­da ape­nas com o uso dos ins­tru­men­tos cons­ti­tu­ci­o­nais”, dis­se He­le­no.

“Se pe­ga­rem a re­por­ta­gem, vão ver que a pri­mei­ra coi­sa que eu dis­se é que qual­quer su­ges­tão te­ria que ser es­tu­da­da. Em ne­nhum mo­men­to me co­lo­quei a fa­vor do AI-​5. O AI-​5 foi edi­ta­do em uma con­jun­tu­ra to­tal­men­te di­fe­ren­te da atu­al”, re­for­çou o mi­nis­tro.

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), que clas­si­fi­cou co­mo re­pug­nan­te a de­cla­ra­ção do de­pu­ta­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro (PSL-​SP) so­bre a pos­sí­vel vol­ta do AI-​5, tam­bém cri­ti­cou o po­si­ci­o­na­men­to do mi­nis­tro do Ga­bi­ne­te de Se­gu­ran­ça Ins­ti­tu­ci­o­nal (GSI), ge­ne­ral Au­gus­to He­le­no, que res­pon­deu Edu­ar­do di­zen­do que “tem de es­tu­dar co­mo vai fa­zer” is­so. Maia la­men­tou o fa­to de o ge­ne­ral ter se trans­for­ma­do em “um au­xi­li­ar do ra­di­ca­lis­mo” de Ola­vo de Car­va­lho e dis­se que He­le­no po­de ser con­vo­ca­do pe­la Câ­ma­ra pa­ra pres­tar es­cla­re­ci­men­tos so­bre o “no­vo AI-​5”.

Fon­te: Con­gres­so em Fo­co

De­cre­to as­si­na­do pe­lo pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro trans­fe­re to­da a po­lí­ti­ca cul­tu­ral da ges­tão do Mi­nis­té­rio da Ci­da­da­nia, co­man­da­do por Os­mar Ter­ra, pa­ra o Mi­nis­té­rio do Tu­ris­mo, do mi­nis­tro Mar­ce­lo Ál­va­ro Antô­nio, acu­sa­do de co­man­dar um es­que­ma de can­di­da­tas la­ran­jas no PSL de Mi­nas Ge­rais. A de­ci­são (De­cre­to 10.107) foi pu­bli­ca­da na edi­ção des­ta quinta-​feira (7) do Diá­rio Ofi­ci­al da União.

Vag­ner Vargas/​MTur


O ministro Marcelo Álvaro Antônio (ao centro, de camiseta azul), em visita a praias de Ipojuca para ver efeitos do vazamento de óleo no Nordeste

Além da Se­cre­ta­ria Es­pe­ci­al de Cul­tu­ra, tam­bém fo­ram re­ma­ne­ja­dos o Con­se­lho Na­ci­o­nal de Po­lí­ti­ca Cul­tu­ral; a Co­mis­são Na­ci­o­nal de In­cen­ti­vo à Cul­tu­ra e a Co­mis­são do Fun­do Na­ci­o­nal de Cul­tu­ra. A mu­dan­ça de­ve pro­vo­car no­va on­da de pro­tes­tos de ar­tis­tas, a exem­plo do que ocor­reu com a ex­tin­ção do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra e sua in­cor­po­ra­ção pe­lo en­tão recém-​criado Mi­nis­té­rio da Ci­da­da­nia.
Leia mais

O pre­si­den­te do Con­gres­so Na­ci­o­nal, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP), aca­tou o pe­di­do do se­na­dor An­ge­lo Co­ro­nel (PSD-​BA) e es­ten­deu até o pró­xi­mo ano o pra­zo de tra­ba­lho da CPI mis­ta das Fa­ke News. Com is­so, a Co­mis­são Par­la­men­tar Mis­ta de Inqué­ri­to (CPMI) não te­rá mais o pra­zo en­cur­ta­do, co­mo ha­via co­gi­ta­do a Me­sa do Se­na­do, e po­de­rá con­ti­nu­ar in­ves­ti­gan­do a di­vul­ga­ção de no­tí­ci­as fal­sas na in­ter­net até abril de 2020.

Mar­cos Oliveira/​Agência Se­na­do


A CPMI das Fake News investiga a divulgação de notícias falsas na internet

A de­ci­são de Al­co­lum­bre aten­de a uma ques­tão de or­dem apre­sen­ta­da pe­lo se­na­dor An­ge­lo Co­ro­nel, que é pre­si­den­te da CPI mis­ta das Fa­ke News e con­tes­tou a de­ci­são da Me­sa do Se­na­do de en­cur­tar pa­ra 23 de de­zem­bro des­te ano o pra­zo de tra­ba­lho do co­le­gi­a­do. Se­gun­do o se­na­dor bai­a­no, uma Co­mis­são Par­la­men­tar de Inqué­ri­to tem um pra­zo re­gi­men­tal de 180 di­as úteis de tra­ba­lho e, por is­so, não pre­ci­sa ser en­cer­ra­da ao fi­nal do ano le­gis­la­ti­vo, co­mo ha­via de­ter­mi­na­do a Me­sa. A CPI mis­ta das Fa­ke News, por­tan­to, de­ve se es­ten­der até abril de 2020, já que foi cri­a­da em se­tem­bro des­te ano.
Leia mais

O mi­nis­tro Ed­son Fa­chin, do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, ne­gou pe­di­do da Po­lí­cia Fe­de­ral pa­ra pren­der a ex-​presidente Dil­ma Rous­seff na ope­ra­ção que bus­cou pro­vas, nes­ta terça-​feira (5), con­tra os se­na­do­res Ja­der Bar­ba­lho (MDB-​PA), Re­nan Ca­lhei­ros (MDB-​AL) e Edu­ar­do Bra­ga (MDB-​AM). Eles são sus­pei­tos de ter re­ce­bi­do R$ 40 mi­lhões da JBS pa­ra apoi­ar a re­e­lei­ção de Dil­ma em 2014.

Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca


Para o ministro Edson Fachin, Dilma não oferece riscos à investigação que apura pagamento de propina a emedebistas para apoiar sua reeleição

Além da ex-​presidente, tam­bém eram al­vos de pe­di­dos de pri­são tem­po­rá­ria o ex-​ministro da Fa­zen­da Gui­do Man­te­ga, os ex-​senadores Eu­ni­cio Oli­vei­ra (MDB-​CE) e Val­dir Raupp (MDB-​RO) e o mi­nis­tro do Tri­bu­nal de Con­tas da União, Vi­tal do Rê­go Fi­lho.

Em no­ta (ve­ja a ín­te­gra mais abai­xo), a as­ses­so­ria de Dil­ma clas­si­fi­cou o pe­di­do da Po­lí­cia Fe­de­ral co­mo ab­sur­do, já que, se­gun­do o co­mu­ni­ca­do, a ex-​presidente não é in­ves­ti­ga­da no ca­so. “Ain­da bem que pre­va­le­ceu o bom sen­so e a res­pon­sa­bi­li­da­de do mi­nis­tro res­pon­sá­vel pe­lo ca­so no STF, as­sim co­mo do pró­prio Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral”, des­ta­ca o tex­to.
Leia mais