Arquivos de Reforma da Previdência

O lí­der do go­ver­no no Se­na­do, Fer­nan­do Be­zer­ra Co­e­lho (MDB-​PE), es­pe­ra que a Ca­sa apro­ve a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia com uma mar­gem si­mi­lar à da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, que re­gis­trou 74% de apro­va­ção ao texto-​base da ma­té­ria. Is­so por­que ele acre­di­ta que cer­ca de 60 dos 81 se­na­do­res de­vem apoi­ar o go­ver­no nes­ta vo­ta­ção - mai­o­ria que, se­gun­do o se­na­dor, tam­bém de­ve apro­var a in­di­ca­ção de Edu­ar­do Bol­so­na­ro (PSL-​SP) à em­bai­xa­da nos Es­ta­dos Uni­dos.

Edil­son Rodrigues/​Agência Se­na­do


"Aqui tem voto", garantiu Fernando Bezerra Coelho, que também acredita que os senadores aprovem indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada

“Nos­sa ex­pec­ta­ti­va é que a gen­te pos­sa con­cluir a vo­ta­ção no Se­na­do Fe­de­ral até apro­xi­ma­da­men­te o dia 20 de se­tem­bro. Eu acre­di­to que o go­ver­no de­ve­rá ter aqui en­tre 54 e 60 vo­tos. […] Aqui tem vo­to”, ga­ran­tiu Fer­nan­do Be­zer­ra Co­e­lho, ar­gu­men­tan­do que a re­for­ma vai além da ba­se do go­ver­no. “Tem o apoio de mui­tos ou­tros par­ti­dos, que in­clu­si­ve fa­zem opo­si­ção ao go­ver­no”, afir­mou o se­na­dor.
Leia mais

An­tes da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, ne­nhum ou­tro pro­je­to de lei ou emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal ha­via reu­ni­do tan­tos par­la­men­ta­res no ple­ná­rio da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos. É que ape­nas três de­pu­ta­dos não re­gis­tra­ram vo­to no dia em que o texto-​base da re­for­ma foi apro­va­do no ple­ná­rio - nú­me­ro re­cor­de pa­ra uma vo­ta­ção le­gis­la­ti­va, se­gun­do o pre­si­den­te da Ca­sa, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ).

Luis Macedo/​Câmara dos De­pu­ta­dos


Só três dos 513 deputados não votaram o texto-base da reforma

“Des­de 1991, quan­do pas­sa­mos a ter os da­dos de to­das as vo­ta­ções, es­sa foi a vo­ta­ção le­gis­la­ti­va com o mai­or quó­rum da his­tó­ria”, afir­mou nes­ta terça-​feira (17), Ro­dri­go Maia. Ele ex­pli­cou que pes­qui­sas no ban­co de da­dos da Câ­ma­ra re­ve­la­ram que ape­nas al­gu­mas pou­cas ses­sões reu­ni­ram um nú­me­ro de de­pu­ta­dos su­pe­ri­or ao que foi vis­to na vo­ta­ção da re­for­ma. E ne­las não fo­ram apre­ci­a­dos emen­das cons­ti­tu­ci­o­nais ou pro­je­tos de lei. “O quó­rum só per­de pa­ra o im­pe­a­ch­ment, pa­ra a pos­se dos de­pu­ta­dos e pa­ra a elei­ção do pre­si­den­te da Câ­ma­ra. De vo­ta­ção le­gis­la­ti­va, foi o mai­or”, ga­ran­tiu Maia, acres­cen­tan­do: “foi um bom re­sul­ta­do”.
Leia mais

A pre­si­den­te da CCJ (Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça) do Se­na­do, Si­mo­ne Te­bet (MDB-​MS), dis­se nes­ta segunda-​feira, 15, que não acre­di­ta que o Se­na­do vai apro­var a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia em se­tem­bro, mas na pri­mei­ra se­ma­na de ou­tu­bro. “Não ve­jo pos­si­bi­li­da­de de en­tre­gar dia 15 de se­tem­bro. É im­por­tan­te dei­xar a opo­si­ção res­pi­rar”. O pre­si­den­te da Ca­sa, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP), dis­se que o Se­na­do apro­va a re­for­ma em se­tem­bro.

Ro­ber­to Cas­tel­lo


Presidente da CCJ criticou Bolsonaro negociar emendas em troca de votos pela Previdência

A de­cla­ra­ção da eme­de­bis­ta foi da­da ao fa­zer um re­su­mo de sua atu­a­ção no co­man­do da CCJ. “Vai che­gar na CCJ em uma quinta-​feira, que já é dia 7 de agos­to, se der cer­to lá [vo­ta­ção em se­gun­do tur­no na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos]”. A pre­si­den­te da CCJ tam­bém con­fir­mou o se­na­dor Tas­so Je­reis­sa­ti (PSDB-​CE) co­mo re­la­tor da re­for­ma. Te­bet pre­vê uma tra­mi­ta­ção de três se­ma­nas a um mês da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia na CCJ e de uma se­ma­na a 15 di­as no ple­ná­rio.
Leia mais

A in­clu­são de es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os po­de­ria am­pli­ar em apro­xi­ma­da­men­te R$ 350 bi­lhões o im­pac­to fis­cal da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia nos pró­xi­mos dez anos, que, se­gun­do o go­ver­no, pas­sou de R$ 1,1 tri­lhão pa­ra R$ 900 bi­lhões com as mu­dan­ças apro­va­das no pri­mei­ro tur­no da vo­ta­ção na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos. O cál­cu­lo é da Ins­ti­tui­ção Fis­cal In­de­pen­den­te (IFI) do Se­na­do, que, por is­so, de­fen­de que os en­tes fe­de­ra­ti­vos vol­tem pa­ra o pro­je­to que mu­da as re­gras de apo­sen­ta­do­ria bra­si­lei­ra quan­do es­se tex­to for ana­li­sa­do pe­los se­na­do­res.

Pau­lo H. Carvalho/​Agência Bra­sí­lia


Governadores divulgaram carta apelando ao Congresso para que mantenham os servidores estaduais e municipais na reforma da Previdência

“A si­tu­a­ção pre­vi­den­ciá­ria dos es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os, so­bre­tu­do a dos es­ta­dos, é mui­to ruim, as­sim co­mo é a da União. Se re­pre­sen­ta um re­mé­dio pa­ra o de­se­qui­lí­brio da união, a re­for­ma que es­tá sen­do apro­va­da tam­bém re­pre­sen­ta­ria um re­mé­dio pa­ra os es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os. En­tão, os se­na­do­res pro­va­vel­men­te irão ava­li­ar es­sa ques­tão”, afir­mou, em en­tre­vis­ta ex­clu­si­va ao Con­gres­so em Fo­co, o no­vo di­re­tor da Ins­ti­tui­ção Fis­cal In­de­pen­den­te, Jo­sué Pel­le­gri­ni.
Leia mais

Com a apro­va­ção em pri­mei­ro tur­no da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, o pre­si­den­te do Se­na­do, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-​AP), já cal­cu­la que a Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) 6/​2019 se­ja vo­ta­da pe­los se­na­do­res em 45 di­as. A opo­si­ção ga­ran­te, por sua vez, que con­ti­nu­a­rá tra­ba­lhan­do pe­la re­jei­ção da pro­pos­ta. Com a pres­são de de­pu­ta­dos pe­la li­be­ra­ção de emen­das, cres­ceu de on­tem pa­ra ho­je a pos­si­bi­li­da­de de a vo­ta­ção em se­gun­do tur­no na Câ­ma­ra fi­car pa­ra o co­me­ço de agos­to.

Fá­bio Ro­dri­gues Pozzebom/​Agência Bra­sil


Presidente do Senado, Davi Alcolumbre comemorou a aprovação da reforma na Câmara

O pra­zo es­ti­ma­do por Al­co­lum­bre é fei­to com ba­se nos pra­zos re­gi­men­tais, le­van­do em con­si­de­ra­ção o ri­to de aná­li­se da ma­té­ria na Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça (CCJ) do Se­na­do e os dois tur­nos de vo­ta­ção no ple­ná­rio. A ce­le­ri­da­de se­ria pos­sí­vel por­que o fu­tu­ro re­la­tor da pro­pos­ta Ca­sa, Tas­so Je­reis­sa­ti (PSDB-​CE), pre­ten­de ga­ran­tir a apro­va­ção do que sair da Câ­ma­ra e só de­pois dis­cu­tir ou­tras mu­dan­ças nas re­gras da apo­sen­ta­do­ria por meio de uma PEC pa­ra­le­la.
Leia mais

Mes­mo com o ple­ná­rio cheio e dis­pos­to a con­ti­nu­ar vo­tan­do a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia na noi­te des­ta quarta-​feira (10), o pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), pre­fe­riu en­cer­rar a ses­são e dei­xar a apre­ci­a­ção dos des­ta­ques apre­sen­ta­dos ao tex­to pa­ra es­ta quinta-​feira (11). Na saí­da do ple­ná­rio, ele ex­pli­cou que pre­ci­sa­va ori­en­tar os lí­de­res so­bre os des­ta­ques e ad­mi­tiu que, por con­ta dis­so, a vo­ta­ção do se­gun­do tur­no po­de se es­ten­der até a ma­nhã de sá­ba­do (13).

Luis Macedo/​Agência Câ­ma­ra


O projeto ainda poderá ser modificado porque os deputados votarão os destaques

Ao ser ques­ti­o­na­do so­bre o cro­no­gra­ma de vo­ta­ção da Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) 6/​2019, Maia re­for­çou que é pos­sí­vel apro­var os dois tur­nos da pro­pos­ta ain­da nes­ta se­ma­na. “A gen­te re­to­ma ama­nhã de ma­nhã. O ple­ná­rio es­tá com mai­o­ria en­tão a gen­te to­ca” afir­mou o pre­si­den­te da Câ­ma­ra. Quan­do foi ques­ti­o­na­do so­bre quan­to a vo­ta­ção che­ga­ria ao fim, ele acres­cen­tou: “ter­mi­na sex­ta à noi­te ou sá­ba­do de ma­nhã”.

An­tes da re­to­ma­da das vo­ta­ções, con­tu­do, Maia vai re­a­li­zar uma no­va reu­nião de lí­de­res. A ideia é ga­ran­tir que os des­ta­ques se­jam apre­ci­a­dos de for­ma fa­vo­rá­vel à re­for­ma e, de pre­fe­rên­cia, com am­pla mar­gem, co­mo acon­te­ceu com o texto-​base.
Leia mais

A Câ­ma­ra apro­vou por 379 vo­tos a 131, nes­ta quarta-​feira (10), o texto-​base da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, após dois di­as de de­ba­tes no ple­ná­rio. É a prin­ci­pal vi­tó­ria do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro no Con­gres­so Na­ci­o­nal. O go­ver­no apos­ta nas mu­dan­ças nas re­gras de apo­sen­ta­do­ria pa­ra me­lho­rar o ce­ná­rio econô­mi­co, cu­ja con­sequên­cia é o al­to ín­di­ce de de­sem­pre­go: 13,4 mi­lhões de bra­si­lei­ros fo­ra do mer­ca­do for­mal de tra­ba­lho.

Luis Macedo/​Câmara dos De­pu­ta­dos


Votação dividiu os senadores no plenário

Por se tra­tar de uma Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC 06/​2019), eram ne­ces­sá­ri­os os vo­tos de 308 dos 513 de­pu­ta­dos fe­de­rais. Na sequên­cia, o ple­ná­rio ana­li­sa des­ta­ques que su­ge­rem al­te­ra­ções no tex­to apro­va­do. Após a con­clu­são, a re­for­ma se­rá sub­me­ti­da a uma se­gun­da vo­ta­ção na Câ­ma­ra, an­tes de se­guir pa­ra o Se­na­do Fe­de­ral, on­de pre­ci­sa­rá de 49 vo­tos em dois tur­nos.

O tex­to apro­va­do cria uma ida­de mí­ni­ma de apo­sen­ta­do­ria: 62 anos pa­ra mu­lhe­res e 65 pa­ra ho­mens. O tem­po mí­ni­mo de con­tri­bui­ção se­rá de 20 anos pa­ra ho­mens e de 15 anos pa­ra mu­lhe­res. Pa­ra os ser­vi­do­res, o tem­po de con­tri­bui­ção se­rá de 25 anos.
Leia mais

Após qua­se cin­co ho­ras de de­ba­tes, a Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos de­ci­diu, na ma­dru­ga­da des­ta quarta-​feira (10), pôr fim à fa­se de dis­cus­são da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia. A me­di­da, apre­sen­ta­da por um re­que­ri­men­to da mai­o­ria, foi apro­va­da por 353 vo­tos a 118 e per­mi­te que os de­pu­ta­dos pas­sem pa­ra a pró­xi­ma eta­pa da tra­mi­ta­ção da Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) 6/​2019 - a vo­ta­ção.

Luis Macedo/​Câmara dos De­pu­ta­dos


PEC precisa de 308 votos para ser aprovada

Com is­so, o texto-​base da re­for­ma de­ve co­me­çar a ser apre­ci­a­do no ple­ná­rio na ma­nhã des­ta quarta-​feira. Ao en­cer­rar a ses­são des­ta ma­dru­ga­da, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), re­for­çou a con­vo­ca­ção de uma no­va ses­são pa­ra as 9h com es­se in­tui­to. A ex­pec­ta­ti­va é que ha­ja quó­rum pa­ra vo­tar a pro­pos­ta que mu­da as re­gras da pre­vi­dên­cia bra­si­lei­ra por vol­ta das 10h30 - mes­mo ho­rá­rio em que Maia de­ve che­gar ao ple­ná­rio, já que, no iní­cio da ma­nhã, ele re­ce­be o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro no Con­gres­so Na­ci­o­nal pa­ra o cul­to de en­cer­ra­men­to do se­mes­tre da Fren­te Par­la­men­tar Evan­gé­li­ca.
Leia mais

A vo­ta­ção de um re­que­ri­men­to apre­sen­ta­do pe­la opo­si­ção, pa­ra re­ti­ra­da da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia da pau­ta da Câ­ma­ra, ofe­re­ceu uma boa in­di­ca­ção so­bre a cor­re­la­ção de for­ças ho­je exis­ten­te em re­la­ção ao te­ma. Com 450 de­pu­ta­dos pre­sen­tes, 331 vo­ta­ram con­tra o re­que­ri­men­to (a fa­vor do go­ver­no, por­tan­to), 117 a fa­vor e dois se abs­ti­ve­ram. “É um bom si­nal”, dis­se ao Con­gres­so em Fo­co o lí­der do go­ver­no, Ma­jor Vi­tor Hu­go (PSL-​GO).

Luis Macedo/​Câmara dos De­pu­ta­dos


Deputados rejeitaram requerimento de retirada de pauta

Ele re­co­nhe­ceu, po­rém, que se­rá di­fí­cil vo­tar o texto-​base da re­for­ma na ses­são ain­da em an­da­men­to. Nes­te mo­men­to, a opo­si­ção con­ti­nua ten­tan­do obs­truir a vo­ta­ção (cli­que no ví­deo pa­ra acom­pa­nhar ao vi­vo). “Es­tão dei­xan­do a vo­ta­ção pa­ra quar­ta por­que ou não têm ain­da os vo­tos que pre­ci­sam ou por­que não têm se­gu­ran­ça quan­to a es­ses vo­tos”, re­a­giu Or­lan­do Sil­va (PCdoB-​SP).

Com 505 de­pu­ta­dos pre­sen­tes, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ), abriu, pou­co an­tes das 21h, a ses­são con­vo­ca­da pa­ra vo­tar a pro­pos­ta de emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) 06/​2019, que al­te­ra o sis­te­ma de Pre­vi­dên­cia bra­si­lei­ro.
Leia mais

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-​RJ) se reu­niu nes­te sá­ba­do (06) com lí­de­res par­ti­dá­ri­os e os ar­ti­cu­la­do­res do go­ver­no e dis­se es­tar con­fi­an­te na apro­va­ção da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia “com uma boa mar­gem de vo­tos”. Maia tra­ba­lha pa­ra que o quó­rum de de­pu­ta­dos na Câ­ma­ra na pró­xi­ma se­ma­na se­ja al­to e, ter­mi­na­do o de­ba­te, se­ja pos­sí­vel en­trar no pro­ces­so de vo­ta­ção do tex­to en­tre terça-​feira (9) e quarta-​feira (10). A ex­pec­ta­ti­va do go­ver­no é con­se­guir vo­tar a pro­pos­ta de emen­da à Cons­ti­tui­ção em dois tur­nos no ple­ná­rio an­tes do re­ces­so par­la­men­tar, que co­me­ça em 18 de ju­lho. A ava­li­a­ção de Maia é que há uma am­bi­en­te fa­vo­rá­vel pa­ra is­so.

Mar­ce­lo Camargo/​Agência Bra­sil


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, após reunião na residência oficial da presidência da Câmara

“O im­por­tan­te é ga­nhar. Va­mos ga­nhar com uma boa mar­gem pa­ra uma ma­té­ria que há um ano atrás era mui­to di­fí­cil che­gar nes­se mo­men­to com pers­pec­ti­va de vi­tó­ria”, dis­se Ro­dri­go Maia, ao dei­xar sua re­si­dên­cia ofi­ci­al, on­de ocor­reu a reu­nião.

Es­ti­ve­ram pre­sen­tes no en­con­tro os lí­de­res do PP, Arthur Li­ra (AL), e do De­mo­cra­tas, El­mar Nas­ci­men­to (BA). O mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Go­ver­no, Luiz Edu­ar­do Ra­mos, no­vo ar­ti­cu­la­dor po­lí­ti­co do Pla­nal­to, e o se­cre­tá­rio Es­pe­ci­al de Pre­vi­dên­cia e Tra­ba­lho do Mi­nis­té­rio da Eco­no­mia, Ro­gé­rio Ma­ri­nho, tam­bém com­pa­re­ce­ram à reu­nião. As con­ver­sas de­vem con­ti­nu­ar nes­te do­min­go, quan­do Maia de­ve se en­con­trar com o Onyx Lo­ren­zo­ni, mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil.
Leia mais