Arquivos de Notícias

Resumo das negociações da Data Base Junho 2018 para Convenção Coletiva de Trabalho 2018/2019.

COZINHA INDUSTRIAL

No dia 12 de julho 2018 às 14:00hs, aconteceu a 8ª Rodada de Negociações da data base junho na sede da FETERCESP (Federação) em São Paulo. Discussões acaloradas durante toda tarde entre os representantes dos Sindicatos de empregados e o Sindicato Patronal (SINDERC – SP). Às 17h52min foram finalizadas as negociações com o consenso das partes chegando ao seguinte resultado:

VIGÊNCIA E DATA-BASE – 1º de junho de 2018 a 31 de maio de 2019 e a data base da categoria em 1o de junho.

REAJUSTE SALARIAL – Os salários dos empregados representados pelo SINTERC serão reajustados a partir de 1º de junho 2018, com a aplicação dos percentuais descritos abaixo:

Piso normativo será reajustado em 2,8% (dois vírgula oito) por cento, isto é, R$ 1.246,96 (um mil e duzentos e quarenta e seis reais e noventa e seis centavos) mensais, ou R$ 5,67 (cinco reais e sessenta e sete centavos) por hora.

Para salários entre R$ 1.213,01 (um mil, duzentos e treze reais e um centavo) e R$ 3.032,50 (três mil, trinta e dois reais e cinquenta centavos), o percentual será de 2,3% (dois vírgula três) por cento.

Para os salários entre R$ 3.032,51 (três mil, trinta e dois reais e cinquenta e um centavos) e R$ 5.458,50 (cinco mil, quatrocentos e cinquenta e oito reais e cinquenta centavos), o percentual será de 2,07% (dois vírgula zero sete) por cento.

Para os salários acima do limite de R$ 5.458,51 (cinco mil, quatrocentos e cinquenta e oito reais e cinquenta e um centavos), será aplicado o valor fixo de R$ 112,99 (cento e doze reais e noventa e nove centavos) ou livre negociação se mais vantajosa.

O salário normativo para Cozinheiro (a) será de R$ 1.386,77 (um mil, trezentos e oitenta e seis reais e setenta e sete centavos) mensais, ou R$ 6,30 (seis reais e trinta centavos) por hora.

O salário normativo para Copeiro (a) hospitalar será de R$ 1.251,41 (um mil duzentos e cinquenta e um reais e quarenta e um centavos) mensais, ou R$ 5,68 (cinco reais e sessenta e oito centavos) por hora.

Os reajustes serão aplicados nos salários vigentes em 31 de maio de 2.018 e para outras funções não descritas acima, ficam ressalvadas as condições salariais mais favoráveis existentes.

BENEFÍCIOS:

Cesta básica ou vale compras R$ 141,00 (cento e quarenta e um reais);
Vale Refeição R$ 21,40 (vinte e um reais e quarenta centavos);
TODOS OS DESCONTOS REFERENTES A BENEFÍCIOS PERMANECERAM CONGELADOS CONFORME CONVENÇÃO COLETIVA 2017/2018;
• Manutenção de todas as cláusulas da Convenção Coletiva anterior e inserção de novas cláusulas, inclusive algumas da reforma trabalhista, que foram melhoradas dando uma melhor segurança jurídica para ambos os lados, garantindo todos os direitos dos trabalhadores da categoria profissional de Refeições Coletivas.

Tendo em vista todas as negociações que aconteceram de janeiro a junho no Brasil e em especial no setor de Cozinhas Industriais, tivemos um ganho real de 1.04%, mais a recomposição da inflação acumulada em doze meses (de maio 2017 a maio 2018) que foi de 1.76% com um resultado final de 2.80% de reajuste no piso da categoria, que representa aproximadamente 70% de toda massa salarial.

À DIRETORIA

Outras reuniões da Campanha Salarial 2018/19:

O ex-presidente Lula foi absolvido, nesta quinta-feira (12), pelo juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, da acusação de obstrução à Justiça na Lava Jato. O ex-presidente petista era acusado de um suposto esquema para comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró.

Ricardo Stuckert/Instituto Lula


Este foi o primeiro processo no qual Lula virou réu. Ele os outros seis acusados foram absolvidos pelo juiz Ricardo Leite

Além de Lula, também foram absolvidos o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o ex-advogado de Cerveró, Edson Siqueira, o pecuarista e amigo de Lula, José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai. Todos eram réus no mesmo processo.

O juiz Ricardo Leite entendeu que áudio gravado pelo filho de Nestor Cerveró — e que levou Delcídio para a cadeia —, não era uma prova válida para condenar os réus. Para o magistrado, houve “clara intenção” de preparar o flagrante e que o áudio captado era deficiente em fornecer esclarecimentos.
Leia mais

Mesmo em cenário de crise econômica e falta de recursos em caixa, o Congresso vem aprovando uma série de projetos que aumentam despesas e diminuem receitas. O impacto pode ultrapassar os R$ 100 bilhões nos próximos anos, segundo o Estadão.

Edilson Rodrigues/Agência Senado


Eunício Oliveira, presidente do Senado, disse que “pauta-bomba” veio do próprio governo

Um dos últimos projetos aprovados que irão impactar as contas públicas é o que manteve benefícios tributários a indústrias de refrigerantes da Zona Franca de Manaus. O impacto é de R$ 1,78 bilhão por ano.

As principais perdas são: compensação aos Estados pela União da desoneração do ICMS sobre exportações (R$ 39 bilhões por ano); benefícios para caminhoneiros (R$ 27 bilhões até 2020); o Refis para dívidas com Funrural (R$ 13 bilhões em 2018); e Refis para empresas do Simples (R$ 7,8 milhões).
Leia mais

Acostumado a circular pela Câmara com uma bíblia debaixo do braço e a fazer orações na tribuna do plenário, o deputado Cabo Daciolo (Patriotas-RJ) utilizou o espaço, nessa quarta-feira (11), para profetizar a “cura”, segundo ele, da deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), cadeirante há mais de 20 anos. Pré-candidato a presidente, Daciolo prometeu fazer com que a deputada, tetraplégica desde 1994, em razão de um grave acidente de automóvel, voltasse a andar.

Reprodução


Cabo Daciolo disse que Mara Gabrilli iria voltar a andar em “alguns minutos”

“O que vou falar aqui vai parecer loucura para muitos, mas eu prefiro a loucura de Deus do que a sabedoria dos homens”, afirmou no começo do discurso. Ele contou que há dois anos ouve um pedido de Deus para conversar com a deputada. “Mas eu me acovardei e não pronunciei o que Deus estava mandando eu falar para ela. E Deus fez com que ela aparecesse no corredor. E ele me disse: fala com ela agora!”, prosseguiu.
Leia mais

Relator do projeto de lei que flexibiliza regras para a liberação de agrotóxicos, o deputado Luiz Nishimori (PR-PR) está por trás de duas empresas que vendem venenos agrícolas. Sediadas em Marialva, no interior do Paraná, a Mariagro Agricultura e a Nishimori Agricultura comercializam e prestam serviços relacionados a sementes, fertilizantes e “defensivos fitossanitários” (o nome usado para amenizar o peso negativo do termo “agrotóxicos”).

Lucio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados


Luiz Nishimori (PR-PR) apresentou relatório que facilita regras para agrotóxicos

O parlamentar fez carreira como produtor de soja na região de Marialva antes de entrar na política. Ele nega que será beneficiado caso o projeto vire lei. Uma das empresas de Nishimori, a Mariagro Agricultura, chegou a vender um volume tão grande de agrotóxicos que bateu a meta de vendas estipulada pela Syngenta, multinacional que fabrica defensivos. Segundo o deputado, sua empresa teve de entrar na Justiça para receber o prêmio em dinheiro. O processo ainda está em aberto. Para Nishimori, a abertura do processo indica sua isenção com relação a grandes indústrias de agrotóxico.
Leia mais

A ministra Laurita Vaz, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), indeferiu habeas corpus contra decisão do presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que negou pedido de liberdade ao ex-presidente Lula (PT) no último fim de semana.

Sérgio Amaral


Ministra Laurita Vaz negou recurso impetrado por advogado de São Paulo

A decisão foi tomada em recurso apresentado por um advogado de São Paulo que não integra a defesa de Lula. Segundo o STJ, o tribunal recebeu outros 145 habeas corpus enviados por pessoas que não fazem parte da defesa do petista.

Para Laurita Vaz, a decisão do desembargador Rogério Favretto, plantonista do TRF4 que concedeu a ordem de liberdade a Lula no domingo (8) com base em suposto fato novo (o fato de o ex-presidente ser pré-candidato) mostra “flagrante desrespeito” a decisões já tomadas sobre o caso em tribunais colegiados.
Leia mais

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado rejeitou o projeto de lei que define regras para a desistência da compra de imóvel na planta, o chamado distrato. Foram 14 votos contrários, 6 a favor e 1 abstenção. Mesmo assim, a proposta será examinada pelo Plenário.

Reprodução/Congresso em Foco


O texto, já aprovado pela Câmara, prevê permissão para que as construtoras fiquem com até 50% dos valores pagos pelo consumidor em caso de desistência

O texto, já aprovado pela Câmara, prevê permissão para que as construtoras fiquem com até 50% dos valores pagos pelo consumidor em caso de desistência, quando o empreendimento tiver seu patrimônio separado do da construtora, mecanismo chamado de patrimônio de afetação. O governo pretende reduzir esse percentual para até 25%.

De acordo com o projeto, o comprador que desistir de um imóvel comprado na planta terá direito à restituição das quantias que houver pagado diretamente ao incorporador, corrigidas monetariamente. O valor devolvido, no entanto, terá desconto da comissão de corretagem e do valor da multa – que não poderá exceder 25% da quantia já paga. O Judiciário hoje costuma decidir entre 10% e 25% para o valor da multa.
Leia mais

O Sinterc participou ontem (05/07) da 7ª Rodada de Negociações entre Laboral e Patronal da Campanha Salarial 2018/19 da categoria de Refeições Coletivas, segmento de Cozinhas Industriais e Restaurantes Industriais.

A reunião entre os Sindicatos Laborais filiados à Fetercesp e o Sindicato Patronal (SINDERC/SP) ocorreu às 14 horas, na sede do SINDERC/SP. Não houve acordo e a próxima reunião foi agendada para o próximo dia 12/07, às 14hs, na sede da FETERCESP.

Confira as fotos da reunião:

A 6ª Rodada de Negociações entre os Sindicatos Laborais e Patronal foi realizada nesta quinta-feira, dia 28/06, às 10 horas, na sede do SINDERC (Sindicato Patronal) em São Paulo, sem muitos avanços e falta de boa vontade das empresas, deixando as negociações um tanto quanto desgastadas.

Por fim, as empresas apresentaram a proposta do dia para reajuste dos empregados no percentual de 2,07% para o piso normativo; para quem ganha acima do piso, o reajuste de 1,76% (INPC); e no vale compras ou cesta de alimentos se aplicaria o mesmo reajuste do piso, ou seja, 2,07%, passando de R$ 137,00 para R$ 139,83.

Não aceitamos a miséria que nos foi oferecida e, após debates, foi agendada uma nova reunião para o dia 05/07, às 14 horas, na sede do SINDERC.

Veja as fotos da reunião:

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin determinou hoje (27) que o plenário da Corte deve decidir sobre o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para homologar a rescisão do acordo de colaboração dos executivos do grupo J&F. Fachin deverá enviar ao plenário a rescisão, mas só depois do prazo que ele deu para as provas.

Carlos Moura/STF


Edson Fachin remeteu pedido ao plenário, que só deve analisar em agosto

Ainda não há data marcada para o julgamento, mas o colegiado deve analisar o caso somente a partir de agosto, após o período de recesso de julho na Corte. No despacho em que encaminha o caso ao plenário, Fachin concedeu prazo de cinco dias para que as partes no processo indiquem as provas que pretendem produzir.
Leia mais