A CPI mista das Fake News ouvirá na próxima terça-feira (5) o blogueiro Allan dos Santos, um dos fundadores do blog Terça Livre. Ele é acusado pelo deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) de ser um propagador de fake news e ataques virtuais contra adversários. Segundo Frota, Allan dos Santos e o escritor Olavo de Carvalho controlam essa rede.

Roque de Sá/Agência Senado


Alexandre Frota apontou Allan dos Santos e Olavo de Carvalho no topo da cadeia da rede de fake news pró-Bolsonaro

“Eles escolhem o alvo. Geralmente, ou o Allan dos Santos ou o Olavo de Carvalho dão a primeira dica, a primeira pancada, a primeira postagem. Isso depois de terem passado pelos criadores. Além disso, existe uma ala orgânica, iludida, que acha que este é o caminho. E tem também os credenciados, remunerados e abrigados na Alesp, na Alerj, na Câmara dos Deputados e até no Senado”, afirmou Frota em entrevista ao UOL.

Ainda segundo ele, a metodologia empregada começa pelo mentor do clã. “Olavo de Carvalho participa não só da promoção como escolhe as vítimas, os adversários. Ele inicia geralmente o linchamento, falando inclusive palavrões absurdos”, explica o deputado na mesma entrevista.

A audiência foi solicitada pelo deputado Rui Falcão (PT-SP). “A atuação dos redatores de conteúdo dessa página na internet foi questionada desde a sua fundação, em 2014, por conta de inúmeras notícias falsas veiculadas por essa página. Também ficou conhecido por atuar durante a campanha eleitoral de 2018, próximo ao então candidato Bolsonaro e seus filhos, segundo notícias da imprensa, tendo como principal característica a prática da divulgação de notícias falsas e usando extrema hostilidade para seus adversários, incluindo políticos e jornalistas”, afirma Rui Falcão no requerimento.

Nesse sábado (2) Allan fez críticas à comissão parlamentar de inquérito. “Na CPMI da Fake News PT e Globo serão descartados na primeira oportunidade. O que está em jogo é a proximidade do Brasil com os EUA que é uma ameaça ao BRICS. Rússia e China querem IMPOR a mesma lei que usam em seus países: a ‘internet soberana’ em nome da segurança cibernética.”

O blogueiro também comentou o depoimento de Frota à CPI na semana passada. “A estratégia do Frota MUDOU: agora ele afirma que meu CPF ou meu CNPJ NÃO estão na SECOM ou no SEGOV. Reconhecendo que NÃO RECEBO dinheiro público. Entretanto, MENTE ao dizer que uso uma empresa de fachada. Frota é a MAIOR FAKE NEWS dessa comissão”, escreveu Allan no Twitter.

Na quarta-feira (6) a CPI ouvirá os representantes da Federação das Associações da Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro Nacional), Adriele Ayres Brito; do portal Boatos.org, Edgard Matsuki; do portal Comprova, Sérgio Boeck Lüdtke; e do portal e-farsas.com, Gilmar Henrique Lopes. A oitiva dos especialistas no combate à desinformação foi requerida pelo deputado Dr. Leonardo (Solidariedade-MT).

Fonte: Congresso em Foco

© Copyright 1993-2021 Sinterc - Todos os direitos reservados

Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Refeições Coletivas, Cozinhas Industriais, Restaurantes Industriais, Merenda Escolar Terceirizada, Cestas Básicas, e Comissarias da Região Norte e Oeste do Estado de São Paulo.

Sede

Rua Cussy Júnior, 11-63, Centro,Bauru/SP, CEP 17015-022